Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos) - Queria Estar Lendo

Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos)

Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos)

All the Crooked Saints é o título mais recente da autora Maggie Stiefvater - que entregou ao mundo obras primas como Os Garotos Corvos e A Corrida do Escorpião. Aqui, Maggie fala sobre milagres, sobre família e sobre o poder que cada pessoa carrega de aceitar sua escuridão e conviver com ela.
Sinopse: Aqui está uma coisa que todos querem: um milagre. Aqui está uma coisa que todos temem: o que é preciso para obter um. Qualquer visitante de Bicho Raro provavelmente vai encontrar uma paisagem com santos sombrios, amor proibido, sonhos científicos, corujas milagrosas, afeições afastadas, um ou dois órfãos e um céu cheio de estrelas vigilantes sobre o deserto. No coração deste lugar você encontrará a família Soria, onde todos têm a capacidade de realizar milagres incomuns. E no coração desta família estão três primos desejosos de mudar seu futuro: Beatriz, a menina sem sentimentos que quer ser livre para entender seus pensamentos; Daniel, o Santo que faz milagres para todos, exceto ele mesmo; e Joaquín, que passa suas noites comandando a estação de rádio pirata sob o nome de Diablo Diablo. Todos estão à procura de um milagre. Mas os milagres de Bicho Raro nunca são exatamente o que você espera.
A história se passa no ano de 1962 e conta a história de uma família de origem mexicana que vive na cidadezinha de Bicho Raro, no Colorado. Lá, eles realizam milagres. Mas não são milagres comuns; eles têm a ver com a necessidade de cada pessoa, e também têm a ver com a escuridão que cada pessoa carrega. Para realizar um milagre, o Santo responsável por ele precisa fazer essa escuridão aparecer - e, então, a pessoa precisa se livrar dela sozinha.

Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos)

Acompanhamos os pontos de vista de vários personagens, mas principalmente dos primos Daniel, Beatriz e Joaquín. Em meio à própria escuridão e a sonhos impossíveis, esses três passam as noites no deserto transmitindo seu programa pirata através de uma frequência de rádio abandonada - com a chegada de novos peregrinos em Bicho Raro, as coisas estáveis até então vão sofrer um pouco de abalo. Isso porque existe uma regra a respeito dos milagres; uma vez que a pessoa passe pela primeira etapa, ela precisa seguir em frente e se livrar da escuridão sozinha. Se você interferir, vai carregar seu próprio castigo.
Você pode ouvir um milagre à distância em meio à escuridão.
Tudo que a Maggie Stiefvater toca vira ouro, isso já é uma coisa óbvia no mundo literário. Esse livro é bem diferente de tudo que ela já escreveu e, mesmo assim, tem aquela narrativa poética e indescritível que só a Maggie consegue trazer à vida. A história é sombria e cheia de criatividade.

A respeito dos personagens, esse trio citado certamente guia a trama, mas todos os nomes que aparecem durante a história são essenciais para o desenvolvimento dela.
Aqui está uma coisa que Beatriz queria: dedicar seu tempo para entender porque uma borboleta era similar à galáxia. Aqui está uma coisa que ela temia: ser obrigada a fazer qualquer outra coisa.
Beatriz é racional e centrada. Em um universo onde milagres e magia são reais, ela se vê diferente dos parentes porque emoções são pouco ou quase nada de influência em como vive a sua vida; ela é a garota das invenções, da praticidade e das escolhas mais rígidas. Ela está ali pela família e por ela mesma, com seus sonhos práticos e pouco distantes da realidade.

Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos)

Pelo menos até a chegada de Pete. Ele veio a Bicho Raro em busca de um trabalho e da oportunidade de construir seu futuro; deixou tudo que conhece para trás porque lá não podia ser útil, com o problema que tem em seu coração e com a certeza de que nunca seria o suficiente para a própria família. Em Bicho Raro, talvez seja suficiente para si mesmo.
Mas o deserto ouviu Pete Wyatt cantando aquela canção de amor. E o deserto o amou.
As interações entre os dois são regadas a poesia e olhares e toques mínimos e pode esperar um ship slow burn do mais poderoso e causador de feels. Não vou falar muito a respeito deles porque muito do que acontece no relacionamento é essencial para a história, mas existe um choque de percepções e de personalidades que é perfeito pra criar ótimas interações.
A escuridão nunca desaparece. Ela permanece dentro de cada um.
Daniel carrega o peso de ser um Santo. Ele é o responsável pelos milagres de Bicho Raro e, apesar de louvável, é também um trabalho perturbador. Daniel encontra a escuridão dos peregrinos e os condena a ela, uma vez que depende de cada pessoa escapar da sua própria sina. Para um garoto tão doce e tão sensível, essa árdua tarefa deixa marcas; principalmente quando se trata de Marisita.


E com licença que eu preciso gritar um pouco sobre o meu ship: ELES SÃO TÃO MARAVILHOSOS E SOFRIDOS E QUEBRADOS E EU QUERIA ABRAÇÁ-LOS E COLOCÁ-LOS EM POTINHOS PARA PROTEGER DO UNIVERSO!
Ele nunca foi dela para sentir falta, porque ela era uma peregrina e ele era um santo e, mais importante ainda, ela nunca deixaria de ser uma peregrina.
Marisita é uma peregrina. Ela veio a Bicho Raro para fugir de algum problema em seu passado, e a escuridão a encontrou e aprisionou; chove sobre Marisita o tempo todo, e por isso há centenas de borboletas monarca presas ao seu vestido branco. Ela é uma garota triste e misteriosa tal como seu milagre - e, quando se envolve com Daniel, a escuridão dele pode acabar condenando os dois.

Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos)

Em meio a relacionamentos, temos Joaquín e seus sonhos criativos envolvendo o rádio e espalhar sua voz pelo mundo. Ele vê as músicas e as palavras como um escape, uma corda para salvar as pessoas que o estão ouvindo. A cidade toda tem figuras carismáticas incríveis, com uma construção de dinâmica perfeita para a história. Tony, Francisco, Antonia, Judith. São personagens e mais personagens que enriquecem o arco principal e dão desenvolvimento à simplicidade da questão que permeia os protagonistas.

Os milagres, aliás, são incríveis e perturbadores. É difícil de entender ao mesmo tempo em que se mostra muito simples; você lê e vê a bizarrice se tornando normal. Um padre com a cabeça de um coiote, gêmeas presas uma a outra por uma serpente, um homem que se torna gigante da noite para o dia. Os milagres falam sobre medos e traumas e problemas de cada pessoa e, para se livrar deles e se curar, essas pessoas precisam enfrentar seus maiores demônios.

A sina da família Soria reside no fato de eles realizarem os milagres, mas não poderem ajudar. Existe um tabu ou mesmo uma maldição que faz suas respectivas escuridões persegui-los caso estendam auxílio aos peregrinos, o que deixa Bicho Raro em uma divisão silenciosa. De um lado, os milagreiros. Do outro, aqueles que buscam salvação.


Resenha: All the Crooked Saints (Todos os santos malditos)

All the Crooked Saints entrega uma aura sinistra e perturbadora em uma história com começo, meio e fim (sim, é volume único!). Seus personagens são vivos e cheios de personalidades distintas; você mergulha nesse universo de milagres e sombras e diversos tipos de amor e torce para que cada peregrino, Santo ou pessoa comum encontre uma luz para fugir da escuridão.

Uma novidade boa para quem não está acostumado a ler em inglês é que a Editora Verus vai publicar o livro aqui! Ainda não tem data, mas o título traduzido foi anunciado como "Todos os santos malditos". Vamos aguardar novidades!

Título original: All the Crooked Saints
Autora: Maggie Stiefvater
Editora: Scholastic Press
Gênero: Fantasia Urbana | Jovem Adulto
Nota: 5
Skoob

GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

Share this:

, , ,

COMENTÁRIOS

3 comentários:

  1. Oiii Denise! tudo bom?

    Vi que aparentemente esse livro será publicado em português! Quero muito conferir essa história, o fato de ser autoconclusivo deixa tudo melhor ainda. Da Maggie li calafrio, até gostei, mas te confesso que esperava mais. All the crooked saints entretando tem vários detalhes que eu gosto e me deixam curiosa, então creio que esse tem tudo pra me agradar bastante.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    Nunca li nada da autora apesar de sempre ter tido interesse e eu amei DEMAIS tudo. Desde a capa, até a sinopse, e principalmente a sua resenha. Esse livro me interessa muito e eu adoraria tê-lo em inglês <3
    PS: AMEI O GIF HAHAHAHAHAH
    Beijos,
    https://ofantasmaliterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nizz!
    Me perdoa mas até agora estou rindo que a cidade se chama Bicho Raro hahahhahah
    Quando ele saiu, eu já adicionei na TBR. Tenho muita vontade de ler algo da Maggie e por ser único, ele foi o escolhido.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!