Resenha: Onze Reis - Queria Estar Lendo

Resenha: Onze Reis

Resenha: Onze Reis

Onze Reis é o primeiro volume da série Principia. Escrita pelo autor Tiago P. Zanetic, é uma obra completa para os apaixonados por fantasia - e por histórias muito bem contadas. 
Sinopse: O continente de Relltestra tem vivido pacificamente por muitos anos, mas bastará uma palavra para mudar isso: “Acorde". A voz surge dentro da cabeça de Sttanlik, o despertando, e mudará seu mundo. O dono da voz se apresenta como Aggel, e implora para que o jovem fuja de sua cidade, Sëngesi, e que o encontre na distante floresta chamada Idjarni. Com nada além do aço de suas espadas, Sttanlik abandona sua casa. Não muito longe, do lado de fora dos muros de Sëngesi, ele é atacado pela Guarda Escarlate, a guarda real de Tinop’gtins, mas sua sorte muda com o aparecimento de um misterioso arqueiro. Enquanto isso, nas proximidades de Sëngesi, uma tribo nômade se vê forçada a recolher suas iurtas, e mais uma vez ganhar a estrada. No entanto, Vanza, a filha do chefe dos yuquis, precisa partir sozinha em uma misteriosa missão para salvar seu povo.
A trama é dividida em três núcleos principais, cada um deles envolvendo uma jornada e uma busca. O continente está prestes a ver outra grande guerra, mas alguns personagens podem fazer a diferença no tabuleiro para impedir que tudo pelo que eles lutam se perca.

Vocês bem sabem que quando eu gosto muito de uma história, a dificuldade de explicá-la é de mais de oito mil (meus resumos de Os Garotos Corvos não me deixam mentir). Onze Reis foi uma leitura completa, com as mais variadas cargas emocionais e espaço para um desenvolvimento rico e eletrizante.
O mundo vai sangrar, Sttanlik, e tu podes ser a adaga do golpe final ou o torniquete que evita a hemorragia. Tua escolha depende de confiares em mim ou não.
A obra, com suas quase 500 páginas, tem tudo o que uma boa Ficção Fantástica pede. O mundo criado pelo autor é bem construído e a narrativa dá tempo ao tempo para introduzir os leitores nesse novo universo; a ambientação medieval e a magia que encabeçam a história me transportaram para um mundo fascinante - e igualmente assustador, uma vez que a ameaça da guerra está pairando sobre nossos personagens.

Resenha: Onze Reis

Os três núcleos que eu mencionei são a sustentação da trama - seus personagens, os pilares que a mantém firme. O principal deles é composto por Sttanlik, o primeiro personagem que conhecemos; ele tem a presença típica de um protagonista que caiu de paraquedas em toda a bagunça caótica e está pronto para se fortificar e lutar pelo que acredita ser certo. Sttanlik tem muito da jornada do herói e eu, como boa devota desse clichê, gostei das surpresas que a trama trouxe para o protagonista.
- Vi feiticeiros amaldiçoarem vilarejos inteiros, reis serem coroados e os mesmos perderem a cabeça pelas mãos dos seus próprios carrascos, guerras destruírem famílias e unirem nações. E, inacreditavelmente, presenciei um mundo em paz.
Ele não é um personagem unilateral; como todos os protagonistas da obra, Sttanlik tem seus momentos de dúvida, de medo, de extrema coragem e até grandiosas burrices (que atire a primeira pedra um protagonista de Fantasia que não fez besteira, né nom?). Dá para simpatizar com o cidadão, apesar de ele não ter sido meu favorito.
- Ter um coração bom é uma faca de dois gumes.
E eu vou falar do meu favorito agora: o companion do Sttanlik é um arqueiro com trejeitos de Han Solo e bastou uns comentários sarcásticos e umas tiradinhas afiadas pra eu estar querendo protegê-lo com a minha vida. Paptur - apelidado de Aljava Sangrenta - é a voz na consciência do Sttanlik, mas a voz sabichona que adora apontar erros e tirar sarro e, apesar de bancar o independente, se importa mais do que todo mundo. Gostei do bromance construído entre os dois, de como suas personalidades opostas se equilibravam e criaram uma amizade inusitada tão importante para o desenvolvimento do livro como um todo.

Resenha: Onze Reis

Uma coisa interessante em Onze Reis é a dimensão dos seus personagens; mesmo nos outros núcleos, com a corajosa Vanza e o destemido Ckroy - onde eles passam por provações tão perigosas quanto as de Sttanlik - as características dos aliados e dos inimigos eram cinzentas; nada de bem e mal, simplesmente, mas nuances de honra e de traição e de fúria que deixam a história muito mais interessante do que já era.

Inclusive, Vanza, que mulher. Que personagem feminina incrível, que voz e que poder e que determinação.



A garota passa por cada situação desesperadora que eu só ficava PELO AMOR DA EVA GREEN DEIXA ELA DESCANSAR UM POUCO, mas lá estava Vanza, encontrando forças para cumprir sua missão, independente dos riscos e dos sacrifícios.
O combate fez a batalha dos deuses de outrora parecer coisa de criança.
Um personagem que pode ser citado mesmo sem ser, de fato, personagem é o próprio mundo - Relltestra. Acho que como a Terra Média, Nárnia, Ravka e tantos outros lugares fantásticos, o fato de eu ter me encantado com o passado e o presente desse universo tornou a história muito mais emocionante. A história me fez sentir parte daquele lugar, criou empatia com o que estava acontecendo e com o que tinha acontecido - com as ameaças que Relltestra sofria; a possibilidade de um futuro sombrio cair sobre o mundo.
- Quanto maior a luz, mais densa a sombra que ela produz.
Resenha: Onze Reis

Quando você se importa com os personagens e com o universo e tem tantas batalhas eletrizantes, cenas de ação bem construídas e duelos carregados em adrenalina, é meio impossível não dar uns gritos e se desesperar pelo que pode acontecer; e os melhores livros de Fantasia são construídos assim.
Se quisermos a paz, é melhor nos prepararmos para a guerra.
Não vou negar que o final me deixou aflita; se tem uma coisa que esse livro entrega é batalha atrás de batalha e eu só queria sair gritando DEATH! (respeita a referência) pra proteger meus personagens mais queridos.

Resenha: Onze Reis

Onze Reis é definitivamente um dos melhores livros de aventura que já li. É Ficção Fantástica no ponto perfeito para os amantes desse gênero, e também aos curiosos querendo se aventurar em uma história que fala sobre coragem, amizade e honra.

Título original: Onze Reis - Principia
Autor: Tiago P. Zanetic
Editora: Callis
Gênero: Ficção Fantástica
Nota: 5
Skoob

GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELO NOSSO LINK!

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

18 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Eu já me aventurei por esses gêneros e tive um pouco de dificuldade para me sentir dentro da trama. Sei que é diferente, mas o único com esse tema mais medieval que eu consegui ler e me envolver foi Guerra dos Tronos. E ainda assim nem consegui terminar os livros ainda hahaha Acho que esse pode não ser pra mim, mas gostei muito de ler sua resenha e ver o quanto você gostou. Espero que você possa ler os outros.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Entendo bem o sentimento. No meu caso é mais romance que é difícil me pegar e me fazer querer continuar a leitura, faz parte. A gente vai pro gênero que atrai mais.
      Toda vez que olho pra Guerra dos Tronos me pergunto COMO CONSEGUI LER AQUILO. Ainda mais o terceiro. Santa Bíblia, Batman.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oiii Denise

    Ah eu amo esse gênero de livros, ainda nem conhecia Onze reis mas a tua resenha é tão empolgante, impossivel não anotar na Wishlist. Adoro livros assim, cheios de batalhas que fazem o leitor sofrer e querer gritar por seus personagens mais queridos. 500 páginas é um livrão mas pelo visto vale super a pena.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice!
      Ahh se tu gosta do gênero, vai fundo! O livro tem tudo que é melhor em Fantasia, com bônus pro sofrimento porque tu ama tanto todos os personagens que lutaria por eles.
      Achei que demoraria pra ler porque tô bem preguiçosa pra livros grandes, mas terminei muito rápido por todos os motivos citados! Tu vai adorar :D

      Beijos!

      Excluir
  3. Olá...
    Gente do Céu, que livro é esse!!!
    Ainda não conhecia nem a obra nem o autor, mas, estou aqui totalmente fascinada pela história do livro! Pelos seus comentários parece ser exatamente o tipo de livro que curto, então, espero poder ter a oportunidade de ler brevemente...
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diane!
      Opa, bom saber que a influência foi bem sucedida. Espero que tu consiga ler sim, e vem falar comigo sobre ele quando ler porque preciso surtar com mais alguém JANSUOASBUOAG

      Beijos!

      Excluir
  4. Olá, Denise.
    Eu amo um livro do gênero. Ainda mais assim um que me parece ser tão complexo. Gosto dessa dificuldade de se ambientar porque quando a gente entra na história não consegue mais sair. Não conhecia ele ainda, mas já quero ler hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!
      Exatamente! Eu vejo muita gente reclamar de livros de Fantasia que tomam seu tempo pra desenvolver o mundo, mas é a melhooor coisa do gênero. Uma vez que tu se familiariza com o universo, não quer mais sair dele.
      Quando ler vem surtar comigo!

      Beijos.

      Excluir
  5. Oi, Denise

    Então, eu não gosto muito do gênero, como você bem sabe. E não consegui encontrar nessa história características das fantasias que eu curto, apesar de sua pegada medieval.
    Sei bem como é difícil falar sobre uma história que gostamos muito, também sou dessas. Hahahaha
    Acho que eu iria gostar da Vanza e de sua força. Gosto de personagens femininas destemidas, entretanto, creio que não lerei o livro.

    Beijocas
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami!
      Sei bem como é se aventurar em gênero que não é muito do seu agrado, geralmente não dá muito certo :/ mas dá pra se surpreender também!
      Personagens femininas destemidas são minha religião e graças a deusa pela Vanza existir. Que mulheeeeeeer.

      Beijos!

      Excluir
  6. Oi, Denise!
    Menina, eu não conhecia esse livro, mas depois de lida essa resenha vou já ver ali o que vou vender do corpo para adquirir. Necessito demais!!!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Pelo amor do nosso santo Carswell Thorne, leia e venha surtar comigo!

      Beijos.

      Excluir
  7. Oi Dê, tudo bem? Eu confesso que ando bem afastada dos livros de fantasia, mas gosto de ficção fantástica e depois de tantos elogios fica difícil não ficar curiosa rs!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi! Tudo bom e contigo?
      Olha ai uma dica pra retornar pra um mundo fantástico em? Eu tava bem enferrujada nesse gênero, mas foi um retorno bem satisfatório :D

      Beijos!

      Excluir
  8. Oi, Denise
    Dá pra sentir aqui o quanto você gostou da obra. Eu já fui de ler muita fantasia, mas de uns anos pra cá as obras não me descem mais, perdi totalmente o interesse. Mas uma trama bem desenvolvida sempre chama atenção e eu já vou anotar a dica!
    Beijos

    http://suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      Quanto mais eu amo um livro, mais difícil é falar dele. Engraçado que quando é o contrário não me falta textão pra reclamar UHASUHASUHUHAS vai entender :v
      Sei bem como é essa história de tentar gêneros que não funcionam pra gente. Meu caso de falta de química é com romance, principalmente os mais adultos. Mas tenta ler sim, vai que te surpreende!

      Beijos.

      Excluir
  9. Oi Dê!!
    Amei conhecer esse livro <3

    https://dosedeestrela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samanta!
      Fico muito feliz por ter curtido! :D

      Beijos.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!