Resenha: The Falconer - Queria Estar Lendo

Resenha: The Falconer

Resenha: The Falconer

The Falconer é o primeiro livro da trilogia escrita pela autora Elizabeth May. Situada em uma Escócia steampunk, essa história sobre uma guerra invisível entre o povo feérico e o mundo mortal roubou meu coração.
Sinopse: Lady Aileana Kameron, a única filha do marquês de Douglas, estava destinada a uma vida cuidadosamente planejada em torno dos eventos sociais de Edimburgo - até um feérico matar sua mãe. Agora é a temporada de inverno de 1844 e Aileana caça feéricos em segredo, entre a interminável rodada de bailes, chá e celebrações. Armada com pistolas de percussão e explosivos modificados, ela esquece sua fachada aristocrática todas as noites para caçar. Aileana está determinada a rastrear a feérica que matou sua mãe e a destruir qualquer criatura mágica que ouse atacar humanos em sua cidade. Contudo, o equilíbrio entre a alta sociedade e sua guerra privada é delicado, e conforme os feéricos se infiltram em sua rotina e o pai de Aileana retorna para casa, ela tem decisões a tomar. Quanto está disposta a perder - e até que ponto vai chegar para conseguir sua vingança?
Aileana é uma dama da sociedade escocesa durante o dia - e uma caçadora quando a noite cai. Um ano atrás, sua mãe foi assassinada por um monstro, uma feérica poderosa e maligna que vem deixando um rastro de massacres por onde passa; Aileana passou a caçá-la desde então. Auxiliada por um feérico que pouco se importa com a própria raça, já que está em uma missão solitária particular para exterminar os seus inimigos, e através das próprias engenhosidades, Aileana vai acabar confrontando verdades que não esperava descobrir, em uma corrida contra o tempo para impedir que o mundo humano sucumba ao poder imortal.

Pense em uma história fodástica. Pensou? É essa.
Todos acham que eu sou o único monstro aqui, mas o perigo real é aquilo que eles não podem ver.
The Falconer entrou para o meu hall de Ficções Fantásticas mais adorados; não só isso, mas também entrega uma história bem construída, personagens carismáticos, interações incríveis e uma das melhores protagonistas que a literatura já conheceu.


Resenha: The Falconer

Aileana é tudo de poder e humanidade. Depois do trauma de ver sua mãe ser assassinada nas mãos de um monstro até então inexistente - uma vez que os feéricos são invisíveis aos olhos humanos, só detectados por mecanismos encantados ou por raros mortais que possuem a Visão -, Aileana cai de cabeça nesse mundo frenético e sobrenatural, cheio de perigos e de coisas desconhecidas. E ela se arrisca para ter sua vingança.
Você acha que poderíamos existir sem momentos de vulnerabilidade? De arrependimento?
Movida por esse sentimento corrosivo e crescente, Aileana encontra aliança junto a Kiaran, um feérico milenar, de passado misterioso e de objetivos ainda mais secretos. Tudo que ela sabe sobre ele é que Kiaran está disposto a ajudá-la nas caçadas, a treiná-la para se tornar uma guerreira capaz e, principalmente, a deixar seu caminho livre quando o momento da vingança chegar. Em meio às investigações para encontrar a Baobhan Sìth - nome dado à raça da feérica que matou sua mãe -, Aeliana descobre um selo que vem mantendo o mundo mágico separado do mortal; e esse selo está prestes a se romper.

Como Falconer, está em seu sangue o dever de proteger os humanos da ameaça sobrenatural; como caçadora, está em seu coração a ânsia de impedir que mais monstruosidades se espalhem pelas ruas do seu mundo. Como Aeliana, está em seu espírito garantir que mais ninguém viva a dor que ela viveu.
Tudo se arrasta para o momento em que eles percebem que não sou a presa, afinal. Eu sou o predador.
Eu me apaixonei tanto por essa personagem que é até difícil falar mais a respeito. Aileana é forte, resiliente e determinada. Uma escocesa teimosa e bruta, aliás, sem farpas na língua quando se trata do que quer - pelo menos quando se trata de suas caçadas e de sua convivência com Kiaran e alguns outros personagens em específico.



Ela esconde todas essas características em suas andanças pela sociedade, mas os olhares das pessoas ao seu redor a veem como diferente; ela não faz parte da aristocracia, da normalidade e civilidade de Edimburgo. Ela não pertence aos bailes e aos vestidos; ela pertence às invenções, à engenharia, aos estudos, às artes milenares que Kiaran a ensinou a usar durante o combate. Lutando sempre para fazer o melhor para si mesma e para as pessoas com quem se importa, Aileana vai se ver muitas vezes confrontada entre o fácil e o correto. E isso pode acabar sendo sua ruína.
"Você me subestima," eu sussurro. "E esse é o seu erro."
Em relação ao núcleo aristocrático, muitas figuras carismáticas rodeiam a protagonista. Principalmente sua melhor amiga, Catherine, e o irmão dela, Gavin - que acaba de retornar para a Escócia e parece mais ligado a Aileana do que ela esperava.


Resenha: The Falconer

Não espere triângulos amorosos; graças aos céus, o livro desenvolve a parte romântica de maneira bem inesperada e satisfatória. Gavin é, sim, um pretendente, mas ele está ali muito mais como apoio e amigo e confidente do que como peça no desenvolvimento amoroso. Ele é uma gracinha de personagem, amigável e simpático e corajoso na medida do esperado.
As pessoas acham que é o amor, a ganância, a riqueza, mas vingança te dá vida. Fortalece. Queima tudo que você é.
Por falar em desenvolvimento amoroso; ah, Kiaran... Se meu coração não fosse de Jem Carstairs eu o daria pra você. Que feérico escocês cabeça-dura mais apaixonante!



Sabemos muito pouco sobre Kiaran, tal como a protagonista. Ele é um Daoine Sìth - uma das raças mais poderosas dentro do reino imortal -, e carrega esse poder nas caçadas. Também é um poço de segredos e sombras, mas está sempre presente para Aileana quando ela precisa. Não como um salvador, mas como um companheiro; ele não vai estender a mão para ajudá-la a levantar, vai incitá-la a fazê-lo porque sabe, tão bem quanto ela, que Aileana é capaz.
Seus olhos não têm profundidade, como se estivessem em um infinito de espaço, profundo e sombrio. Exceto por traços dourados, cinzas queimando no abismo sem fim.
O relacionamento dos dois é muito importante para a história; não só emocionalmente, mas também pelas informações que Kiaran possui a respeito do que Aileana está confrontando. De colegas de caçada para confidentes, amigos e amantes, a trama desenvolve suas interações a ponto de causar arrepios em quem está lendo. É impossível, absolutamente impossível não amar os dois.


Resenha: The Falconer

Quanto ao mundo criado pela autora - afinal, apesar de se passar na Escócia, temos um universo steampunk entremeado em uma guerra infinita entre magia e mortalidade -, é de encher os olhos; fui transportada para Edimburgo, para as paisagens frias e verdejantes e solitárias da Escócia, para cenários mágicos que ganhavam vida através da narrativa fluida de Elizabeth May. Se eu já considerava a Escócia um segundo lar graças a Outlander, agora ela é parte de mim.
"Aoram dhui," ele sussurra. "Eu vou adorá-la."
E a parte fantástica é, de fato, fantástica. Os feéricos são parte do desconhecido e por isso aterrorizantes. Não espere aquela coisa sensual e apaixonante de Corte de Espinhos e Rosas - com exceção de Kiaran e de Derrick, um pixie simpático que jurou lealdade a Aeliana (e com quem ela divide ótimas cenas cômicas) os imortais são medonhos. Toda essa ambientação deixa a história ainda mais interessante.

The Falconer é o livro perfeito para quem quer uma aventura inovadora e personagens intensos misturados à magia. Você vai terminar a leitura no chão, gritando e implorando por mais; e todo mundo sabe que só os melhores livros causam isso.


Título original: The Falconer
Autora: Elizabeth May
Editora: Chronicle Books
Gênero: Fantasia | Romance | Steampunk
Nota: 5 +
Skoob


GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

Share this:

, , ,

COMENTÁRIOS

9 comentários:

  1. Oie
    Sua empolgação me deixou curiosa. O enredo é curioso e gostei que se passa na Escócia, já quero ler.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. OI, Denise
    Eu nunca li nada steampunk, então fico um pouco curiosa para saber qual a diferença de um livro assim para tantos outros. Eu estou nessa vibe de ler mais fantasia (amém) e acho que me interessaria muito pela obra, mas se ela fosse em português, porque infelizmente meu inglês é uma grande bosta.
    Beijao
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá Denise!
    Fiquei muito curiosa para ler, e nem é o meu estilo de livro. No começo da resenha estranhei o lance steampunk, mas logo seu texto me contagiou e deixou realmente curiosa. Só de saber que não tem um triângulo amoroso fico animada rs
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas

    ResponderExcluir
  4. Oi, Dê!
    Eu achei a capa desse livro maravilhosa <3 Sério, fazia um bom tempo que não gostava tanto de uma. Eu achei um pouco mistureba demais esse lance do steampunk e não sei se me agradou. Porém, nunca li nada desse jeito, então pode ser que eu goste e só tenha um pouco de preconceito sem nem saber o motivo. Sua resenha me fez repensar melhor isso e vou colocar na minha wishlist. Quem sabe eu me rendo.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  5. Que linda essa capa. Não vejo muito falarem desse livro por aí, mas a história é muito interessante. Apesar de que em algumas partes me parece um pouco confuso, mas talvez é só impressão..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Denise! Vc sempre me apresentando boas fantasias! O mundo criado parece bem interessante e o desenvolvimento amoroso bem satisfatório e nada forçado! Gostei da dica!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nizz!
    Mulher, se eu já queria ler esse livro desde seus surtos nos stories, agora é questão de honra comprar tudo na próxima leva da Amazon.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. Fantastic post! You have a nice blog!
    Would you like to follow each other? Follow me and I'll follow you back!
    Have a great day!
    http://elenabienvenido.blogspot.com.es/

    ResponderExcluir
  9. Oi Denise, tudo bem? Acho que empolgação traduz teu sentimento nessa resenha, né! Eu adoro magia, me encantei com essa capa e já adorei os personagens! Confesso que gostaria de um romancezão (porque eu sou incorrigível mesmo), mas isso é detalhe, hehehe!
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!