Resenha: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude - Queria Estar Lendo

Resenha: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude

Resenha: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude

O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude é um dos lançamentos mais aguardados da Galera Record - que cedeu este exemplar em cortesia para resenha. O romance da autora Mackenzi Lee mescla libertinagem, bom humor e uma viagem pelo inesperado em uma narrativa extremamente carismática.
Sinopse: Uma aventura romântica do século XVIII para a era moderna. Simon Versus a Agenda Homo Sapiens, encontra os anos 1700. Henry "Monty" Montague nasceu e foi criado para ser um cavalheiro, mas nunca foi domado. Os melhores internatos da Inglaterra e a constante desaprovação do pai não conseguiram conter nenhuma das suas paixões - jogos de azar, álcool e dividir a cama com mulheres e homens. Mas agora sua busca constante por uma vida cheia de prazeres e vícios está em risco. O pai quer que ele tome conta dos negócios da família. Mas antes Monty vai partir em seu Grand Tour pela Europa, com a irmã mais nova, Felicity, e o melhor amigo, Percy - por quem ele mantém uma paixão inconsequente e impossível. Monty decide fazer desta última escapada umafesta hedonista e flertar com Percy de Paris a Roma. Mas quando uma de suas decisões imprudentes transforma a viagem em uma angustiante caçada através da Europa, isso faz com que ele questione tudo o que conhece, incluindo sua relação com o garoto que ele adora.
Na história, acompanhamos Henry em sua Tour pela Europa antes de ser colocado para trabalhar ao lado do pai; é basicamente uma despedida à sua vida de festas e farra para se ver confinado em uma vida que nunca quis. Ao lado da irmã, Felicity - que participará da viagem para chegar até a escola de etiqueta que vai recebê-la - e do melhor amigo, Percy - que também atende por "o maior crush da vida do Henry" -, a trama vai acompanhar a jornada desses personagens e as peripécias que eles vão enfrentar pelo caminho.

Eu peguei O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude com altas expectativas e é com louvor que afirmo que todas foram alcançadas e superadas. Mackenzi Lee entrega um livro divertido, juvenil e cheio de questionamentos importantes; uma aventura do começo ao fim.
Minha bela e trágica história de amor com Percy não é nem bela nem uma verdadeira história de amor, e é trágica apenas pela unilateralidade.
Através dos olhos de Henry, contemplamos sua realidade privilegiada, mas marcada pelo terror que a figura paterna instaurou em sua postura. Mesmo um libertino cheio de lábia e presença carrega seus demônios, e os de Henry têm tudo a ver com sua sexualidade. Ele é muito aberto "mentalmente" em relação a isso, mas sabe as consequências caso seu pai venha a saber mais sobre a vida amorosa que tem. Henry gosta de garotas e de garotos e, para ele, está tudo bem; para a sociedade, nem tanto.


Resenha: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude

Eu gostei muito de como a autora escolheu colocar tanto privilégio sobre o Henry para bater de frente com os conflitos dos coadjuvantes, ao mesmo tempo em que cria esse arco empático sobre a sexualidade do protagonista e como ele convive com isso. Como aceita. Como reage. Principalmente quando se trata da paixonite intensa que tem por Percy, seu melhor amigo.
A fortuna favorece os que flertam.
A narrativa do Henry é hilária em toda sua acidez e sarcasmo, e igualmente dolorosa nos momentos de fragilidade do personagem. E, claro, apaixonante quando ele e o Percy dividem seus momentos. Henry é um protagonista problemático em alguns quesitos, mas facilmente amável. Tem seus momentos "garoto branco privilegiado achando que o mundo é injusto com ele" em coisas que não condizem com o que o oprime, mas a autora usa isso justamente para levantar suas críticas.

Afinal de contas, Percy é negro e Felicity é uma garota. O lugar em que Henry se encontra é de grandessíssimo privilégio; e o arco de desenvolvimento dele envolve entender e aceitar isso.
E me pergunto se haverá um dia em que não terei a sensação de que Percy poderá desmanchar entre meus dedos.
Percy foi uma gracinha de acompanhar. Centrado e conciso onde Henry era exaltado e sem controle, é a bússola moral e empática para o protagonista, com suas próprias dores e seus sonhos. Eu gostei muito da dinâmica entre os dois, de como a química saltava das páginas a cada toque e olhar e sorriso. De como sua amizade era intensa e de como seus sentimentos claramente eram maiores do que apenas isso.


Resenha: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude

Os embates envolvendo a cor de pele do Percy e o preconceito brusco e perturbador da sociedade - da época em que os escravos tinham sido libertos, mas não encontravam espaço para exercer essa liberdade completamente - são muito interessantes. A sensibilidade da autora é notável e sempre que traz isso para discussão, o faz com empatia. 
- Não estamos caçando problemas. Flertando com eles, no máximo.
Por fim, para fechar esse trio principal, temos Felicity - claramente a minha favorita na história toda. A irmã caçula do Henry é régia e extremamente inteligente. Enquanto Percy é o coração e Henry o espírito, Felicity é o cérebro de toda a aventura. Eles formam um conjunto inusitado, mas trabalham tão bem entre si em todos os momentos - desde os mais tensos até os de diversão - que não dá pra não se apaixonar.

Felicity é a frente de seu tempo em muitos quesitos, principalmente no que concerne o papel da mulher e como ela é tratada por seu gênero. Eu amei e vibrei e ergui as mãos para os céus toda vez que ela batia de frente com o Henry questionando seu privilégio, sua posição, como a sociedade o aceitava simplesmente por ser um homem. E já estou absurdamente ansiosa para ler o livro dela!
Revidar contra todos que nos destroem é um luxo em que ambos paramos de acreditar há muito tempo.
O humor da narrativa é muito do que eu adorei em Minha Lady Jane, mas mais sutil e menos escrachado. É bem mais voltado para o o sarcasmo, com um plano de fundo inesperado, mas cativante. O Tour já começa com problemas e coloca os viajantes em uma enrascada absurda, tudo por causa de um erro cometido pelo Henry. E esse é o plot que vai guiá-los até viagens pelo oceano e confrontos com criminosos dos sete mares.


Resenha: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude

Sem entregar muito da história, porque acho que uma parte de eu ter gostado tanto do livro foi a surpresa em relação ao rumo que a trama principal tomou, posso garantir que ação e o "inesperado" não vão faltar. O caminho dos personagens principais se cruza com figuras marcantes, desde lordes avarentos e perigosos até corsários extremamente simpáticos e facilmente amigáveis.

A edição da Galera Record está impecável. É o tipo de livro bonitinho que você pega e não quer mais largar; seja pela edição em si ou pela história apaixonante.

Vejo um homem ruivo se debruçar sobre o parapeito de uma ponte e levantar a máscara para poder beijar outro homem de barba espessa e, eita, jamais quero deixar esse lugar.
O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude é um romance de época com boas doses de humor e amizade. Com personagens vívidos e cheios de personalidade, um pano de fundo carregado em adrenalina e de situações inesperadas, vai encantar todos os leitores que resolverem participar desse Tour.


Título original: A Gentleman's Guide to Vice and Virtue
Autora: Mackenzi Lee
Editora: Galera Record
Gênero: Romance de Época | LGBT +
Tradução: Mariana Kohnert
Nota: 5 +
Skoob


GOSTOU DA RESENHA? ENTÃO APOIE O BLOG E COMPRE ATRAVÉS DOS NOSSOS LINKS:

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

13 comentários:

  1. Oi, Denise
    Eu fico meio assim de ler livros LGBT+, talvez porque nunca tenha lido e eu ache estranho, principalmente em romances de época, mas já vi referências a personagens gays e bis nos livros que li então é bem interessante acompanhar uma história que mostre esses conflitos em relação a sociedade na época. Só não gostei dessa capa, eles acabaram com ela colocando essas fonts verdes horrorosas!
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      É só tu tratar como um romance normal que vai ser o mesmo tipo de leitura. O fato de focar num casal gay em vez de um casal hétero é realmente o único diferencial, e não deveria ser diferenciaaaal né, espero que lancem mais e mais desse tipo de história pra que ela se torne padrão também <3
      Geente, mas eu sou APAIXONADA nessa capa, como assim! Acho tão estilosa e aesthetic!

      Beijos.

      Excluir
  2. Olá, Denise.
    Não conhecia esse livro ainda e nunca pensei que era romance de época hehe. Eu gosto do gênero e achei esse super diferentão. Não é uma leitura que eu queira fazer no momento, mas é algo que achei tão interessante que pretendo ler futuramente.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!
      Vale super a pena, juro pra ti. Se tu curte um pouco do gênero que seja, já vai gostar - e por ter uma pegada mais jovem, acho que é uma leitura bem mais fluida também.

      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Denise!
    Romance de época LGBT+ é algo que eu nunca esperaria. Ainda mais com esse título e capa. Mas gosto da proposta, não tenho o costume de ler essa temática, mas acho válido, temos que ter tudo para todos os públicos.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale!
      Sim, espero que lancem mais e mais de romances LGBT em todos os gêneros possíveis. Quero poder parar de falar que é literatura LGBT e só citar que 'ei, é um casal gay em vez de um hétero', quero que seja padrão também. VAI LEVAR UM TEMPO NÉ mas devagar a gente consegue <3

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Denise!
    Eu vi muita divulgação desse livro e pelo visto ele está fazendo o maior sucesso. Pela capa eu nem imaginava que fosse ser algo assim hahaha. Que bom que a história conseguiu superar as suas expectativas e foi tudo aquilo que você esperava!! Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lex!
      SIIIIM tô amando toda a hype em cima do livro <3 merece demais.
      Foi um dos melhores do ano, com certeza. Tô ansiosa pela sequência.

      Beijos.

      Excluir
  5. Gostei da resenha Denise. Achei a proposta do livro bem diferente por ser um romance de época e esse foi um dos tópicos que me deixaram interessada em conhecer a história. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa!
      Se tu curte um pouco do gênero romance de época com certeza vai curtir a abordagem da autora nesse quesito. E vale muito, muito a pena a leitura!

      Beijos.

      Excluir
  6. Oi, Nizz!
    Mulher, eu até queria ler esse livro, mas já tomei um ranço tão grande dele por causa do Epic Reads. A cada 10 posts, 11 é falando dele e quando a coisa tem muito hype, eu tendo a ter essa reação. MIM PERDOA E NÃO DESISTE DE MIM!!!
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      AH MAS EU VOU DAR NA SUA CARA TIRA ESSE RANÇO JÁÁÁÁ
      Deixa eles fazerem post pelo amor da deusa esse livro merece O MUNDO, quanto mais gente amando melhor. O Tumblr dele é tão vazio que dá dó KJANSFUOASBUOASGBUOASG preciso de edits e gifsets e aesthetics.
      VAI LEEEEEEEEEEEEEER!

      Beijos.

      Excluir
  7. Expectativas superadas e alcançadas me anima muito. O título e a capa não me chamaram a atenção, mas a història sim. Comentarios positivos sempre me anima em livros que estou na dùvida.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!