Resenha: Tempestade de Cristal - Queria Estar Lendo

Resenha: Tempestade de Cristal

Resenha: Tempestade de Cristal

Publicado pela Editora Seguinte - que cedeu o exemplar para esta resenha - Tempestade de Cristal é o quinto volume da série A Queda dos Reinos, da autora Morgan Rhodes. A obra chega com respostas e reviravoltas e uma conclusão desesperadora, preparando o terreno para o sexto e último livro da adorada saga fantástica.
Sinopse: MAGNUS e CLEO são forçados a testar a força de seu amor quando Gaius retorna à Mítica dizendo não mais ser o Rei Sanguinário, mas, sim, um homem mudado buscando rendenção. LUCIA, grávida do filho de um Vigilante, escapou das garras do Deus do Fogo. Seus poderes estão enfraquecendo enquanto ela segue em frente para completar a profecia que manterá seu bebê a salvo... JONAS volta para Mítica com um plano para tirar Amara do poder, mas o destino toma às rédeas quando ele vai em direção à bela princesa Lucia e se junta a ela em sua perigosa jornada. AMARA tomou o trono de Mítica, mas sem uma forma de liberar a magia da água presa em seu cristal roubado, ela nunca será capaz de encontrar glória e conseguir sua doce vingança. E qual tipo de escuridão cairá - e quem estará salvo - depois que o Príncipe Ashur revelar o perigoso preço que ele pagou para enganar a morte?
Esta resenha vai conter alguns spoilers dos títulos anteriores da série.

A história se inicia momentos depois do fim eletrizante de Maré Congelada. Os núcleos estão divididos, o tabuleiro da guerra está montado, e revelações e traições colocaram muitos dos personagens em risco. De um lado temos Magnus e Cleo e a reviravolta absurda de que Gaius talvez não seja o principal inimigo, como sempre imaginaram.

Lucia está sozinha depois de derrotar o deus do fogo, e precisa da ajuda dos imortais para entender seus caminhos em meio às incertezas do conflito. Jonas e os outros rebeldes se erguem contra a tirania do império instaurado por Amara, ao mesmo tempo em que a imperatriz move suas próprias peças para garantir seu poder soberano acima de todos. Com todos os personagens em suas devidas jornadas individuais, Morgan entrega um livro bem desenvolvido dentro de tudo que a série apresentou até então.

Resenha: Tempestade de Cristal

Preciso começar a resenha dizendo que ao mesmo tempo em que amo A Queda dos Reinos, também considero a história um pouco fraquinha. Indico loucamente e acho que, mesmo com os defeitos, tem seus méritos. Por isso a nota do livro é mediana; não acho a obra espetacular, a narrativa poderia sim, ser mais desenvolvida, mas acho ela boa e satisfatória dentro do que apresentou até aqui.

Tempestade de Cristal é o último livro antes da conclusão da série, então as respostas que eu esperava encontrar foram bem encaixadas pela narrativa. Sempre parece que muitas delas são "tiradas da cartola", mas acabei me acostumando com a simplicidade com que esse universo encontra alternativas para profecias ou rituais aparentemente tão impossíveis de se realizar - no fim das contas, um personagem sempre vai ter uma carta na manga pra aliviar o processo do "impossível".

Os protagonistas que mais se sobressaíram e mostraram crescimento e amadurecimento foram Magnus e Cleo, meus favoritos entre todos. Magnus, sempre meu querido, está muito mais conciso e ainda mais perturbado do que já era. Tem toda essa aura sombria rondando o herdeiro de Limeros, a certeza de que tudo em que foi forçado a acreditar está sendo colocado à prova. Em relação ao seu pai, a narrativa entrega bons conflitos, questionando a monstruosidade de Gaius e colocando em dúvida todas as opiniões e mágoas que Magnus carrega em relação a ele.
É quando estamos mais inseguros que devemos parecer mais confiantes. Demonstrar fraqueza é permitir que os outros se aproveitem disso.
Cleo, por outro lado, foi de um desenvolvimento louvável. Apesar de ela ainda escorregar em alguns momentos - não aguento mais o quanto ela se deixa influenciar por aquele panaca do Nic - é uma personagem bem diferente da que conhecemos nos primeiros volumes da série. Muito mais amadurecida pela dor e pelas perdas. Por querer ser mais do que a donzela indefesa e a princesa que acata ordens, Cleo está jogando os jogos de poder com astúcia e com amargor.
Magnus deu um passo na direção dela. Cleo deu um passo para trás: a dança na qual se envolviam de vez em quando.
Seu relacionamento com Magnus, ai ai. Eu morro por um ship e é Magneo. Eu amo a química entre eles, o slow burn e como a Morgan usa muito disso para mostrar que ainda são arredios, que ainda carregam mágoas, que ainda estão em lados opostos do tabuleiro. Eu amo como a Cleo é a luz para a escuridão do Magnus.


Resenha: Tempestade de Cristal

Em relação aos outros protagonistas, Amara sem dúvida foi uma surpresa gratificante. A mulher já mostrou a que veio, e gosto como ela é poder e força e bate de frente com qualquer um que ouse dizer menos dela só pelo seu gênero. Ainda acho uns pitis da personagem bem exagerados, mas já me acostumei com as reações um pouco caricatas que a Morgan escolhe usar na narrativa.

Sobre Jonas, Nic e Felix: eu não poderia me importar menos com cada um deles. O Jonas talvez tenha tido uns bons momentos, mas eu me irrito tanto com a sua existência que só queria vê-lo apagado do mapa. Nic é um pastel. Toda santa vez que ele falava mal do Magnus minha vontade era de sair na voadora.


Felix é um misógino chato e o Ashur... Não entendi o que o Ashur estava fazendo ali. Espero ver alguma atitude dele no último livro, uma vez que ele deveria ser uma figura de tanto poder.

A questão do conflito - tanto político quanto mágico - foi bem estabelecida. A autora vem trabalhando o terreno para essa grande tempestade que se aproxima, e o clímax do livro encaixa bem com a proposta de "OLHA TODA A DESGRAÇA QUE OS PERSONAGENS VÃO TER QUE ENFRENTAR PELO FINAL FELIZ". Pensa numa desgraça; é o que ela entregou nas últimas páginas. Já tô rezando pelos meus bebês.


Resenha: Tempestade de Cristal

Eu sou completamente apaixonada pelas edições da Seguinte pra essa série e nunca vou parar de falar nelas. As capas, a diagramação e o conjunto completo da obra são lindos e eu amo ver a série lado a lado na estante.
As pessoas se apegavam à possibilidade de esperança.
Tempestade de Cristal é um bom penúltimo capítulo para essa saga iniciada sem grandes pretensões, que se tornou uma guerra de magia e poder tão grandiosa. O tipo de leitura simples e carregada de adrenalina que fãs de Fantasia vão adorar. Agora só me resta esperar por Reinado Imortal e torcer para que meus favoritos passem bem até lá!

Título original: Crystal Storm
Autora: Morgan Rhodes
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia | Aventura
Tradução: Flávia Souto Maior
Nota: 3,5
Skoob


GOSTOU DA RESENHA? ENTÃO APOIE O BLOG E COMPRE ATRAVÉS DOS NOSSOS LINKS:

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

7 comentários:

  1. Oi, Denise
    Passei meio voando pela resenha porque não queria ler algum spoiler, até porque vejo muitos comentários sobre a série da Morgan e estou com aquela pitada de curiosidade sobre o que é exatamente A queda dos Reinos. Quem sabe eu não dê uma chance? O que me desmotiva são o grande número de volumes, chega me dá preguiça.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise,

    Achei que era só eu que não vi utilidade para o Ashur nesse livro. Ele é tão parado que dá até raiva.
    Eu tentei muito gostar da Amara e da Lucia, mas mesmo tendo terminado a série, ainda não sinto uma simpatia por elas.
    Cléo e Magnus são maravilhosos. Amo os dois.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise! Passei batido na resenha, porque quero ler essa série, só vejo ótimos elogios e muito alvoroço quando o último livro foi lançado, mas queria deixar meu abraço por aqui.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. hahah, eu to louca pra ler viu!!

    http://dosedeestrela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Nizz!
    Lembra quando falei que o casal LGBT ia trazer ranço? Pois foi nesse livro bem aí.. Gente, Ashur só fez cagada atrás de cagada, Nic nem sei por que ainda vive..
    Entendo que você não curte o Felix, mas não vai me dizer que não riu naquela cena do fosso, quando jogam a Amara.. Sei que é errado, mas eu me acabo de rir toda vez que lembro da reação dele.
    Eu tenho uma relação de amor e ódio com Amara. Gosto, mas acho que ela deveria maneirar em certos momentos...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia essa série, vou ver se foi publicada aqui em Portugal, tenho sempre receio de séries com tantos livros, porque já aconteceu aqui as editoras abandonarem séries =/

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  7. Li algumas resenhas dessa série, esse livro tem uma història bem legal. Não sou fã do estilo, porém eu curto e tenho vontade de ler em breve.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!