Resenha: Tudo aquilo que nos separa - Queria Estar Lendo

Resenha: Tudo aquilo que nos separa

Resenha: Tudo aquilo que nos separa

Tudo aquilo que nos separa está em pré-venda e será publicado pela editora Record aqui no Brasil - que cedeu este exemplar exclusivo na caixinha VIB do mês. O livro, escrito por Rosie Walsh, conta a história de Sarah, dona de uma ONG em Los Angeles da qual cuida com o ex-marido. Quando ela resolve passar as férias na casa dos pais, no interior da Inglaterra, acaba conhecendo um homem chamado Eddie.
Sinopse: Imagine a seguinte situação: você conhece um homem, vocês passam sete dias maravilhosos juntos, e você fica apaixonada. E o que é melhor: o sentimento é recíproco. Você nunca teve tanta certeza de algo na vida. Então, quando ele parte numa viagem de férias agendada há muito tempo e promete te ligar para o aeroporto, você não tem nenhum motivo para duvidar disso. Mas ele não liga. Seus amigos dizem que você deve desencanar, que deve esquecer o cara, mas você sabe que eles estão errados. Eles não sabem de nada. Algo de ruim deve ter acontecido, deve haver um motivo sério para explicar o silêncio dele. O que você faz quando finalmente descobre que tem razão? Que existe um motivo — e que esse motivo é a única coisa que vocês não compartilharam um com o outro? A verdade.
Depois de uma semana dos sonhos juntos, Eddie simplesmente desaparece. Sarah fica desesperada acreditando que algo de ruim aconteceu a ele e vai em busca de notícias, já que ele não responde suas mensagens. A partir daí a história surpreende de uma maneira inexplicável. Soltei tantos "oh", "ai meu Deus" e "não acredito" durante a leitura que perdi a conta.

Quando li a sinopse de livro e até uma certa parte da história, meu único pensamento era "mais um embuste literário". Mas Sarah não acredita nisso e nos convence que ele realmente não é capaz de algo assim. Por meio dos flashbacks da semana que ela passou com ele vemos que Eddie não é esse tipo de cara.

Sarah teve uma adolescência complicada e nos mostra isso pelas suas lembranças bem vívidas que voltam à tona quando ela está na sua cidade natal. As lembranças são principalmente de Hannah, que não está mais presente na vida dela. Seus pais respeitam todos esses problemas que ela teve e em momento algum criticam o fato de ter simplesmente largado tudo para trás e ido para Los Angeles quando adolescente ou sua recusa a voltar pra cidade.

Resenha: Tudo aquilo que nos separa

Quando um dos melhores amigos de infância da Sarah, Tommy, se muda para Los Angeles, ela vê a chance de começar a vida de novo, sem traumas. É onde ela conhece o ex-marido e inicia a ONG na qual trabalha atualmente.

Além de Tommy, Sarah tem mais duas grandes amigas: Jenni, que capta recursos pra ONG, que acredita muito em Sarah, no amor que ela criou pelo Eddie e incentiva a amiga a ir atrás dele. Também temos Jo, que, ao contrário de Jenni, não acredita que algo aconteceu com Eddie. Acha que ele simplesmente desistiu. Afinal, os caras prometem ligar e deixam de fazê-lo muitas vezes. Jo pede diversas vezes para Sarah esquecê-lo, até ver alguns fatos e notícias que Sarah vai descobrindo. Jo tem um filho fofíssimo e super inteligente, o Rudi, ele adora a Sarah e eu quis apertar ele várias vezes durante a leitura. Todos eles prezam muito pela Sarah e querem muito protegê-la, achando que ela é frágil e pode se machucar com esse amor. Mas quem nunca fez isso com os amigos né?

Ao longo da leitura vamos descobrindo um pouco sobre Eddie. A autora vai nos mostrando frestas da personalidade dele com as lembranças de Sarah da semana que passaram juntos. Eddie mora numa casa no campo, trabalha com marcenaria, joga futebol com os amigos, um cara bem comum. Porém, ele tem uma relação conturbada com a mãe. Apesar desses problemas, amor e cumplicidade têm de sobra naquela relação e entendemos que o Eddie é um homem muito bom, carinhoso e preza muito pela única família que ele tem.


Resenha: Tudo aquilo que nos separa

No início da leitura, não tinha muitas expectativas. Realmente acreditava que o Eddie era só mais um embuste literário, mas depois de um certo ponto, não consegui mais largar o livro. A história foi muito bem construída e surpreendente. Rosie Walsh soube criar um livro que te faz sentir de tudo, vai de alegria a dor. E como dói!


A leitura vale muito a pena. A história é muito envolvente! Apesar de ser uma prova e não a versão final, ele veio com as páginas amareladas que a gente tanto ama e a diagramação está bem agradável.

Quando recebemos a caixinha VIB, o livro veio acompanhado de uma caixa de lenços e um pingente de coração partido. É exatamente como você vai ficar. Não chorei durante a leitura e olha que sou bem manteiga derretida pra qualquer coisa, mas depois... Dói até de lembrar.

Título original: The man who didn't call
Autora: Rosie Walsh
Editora: Record
Gênero: Romance | Suspense 
Nota: 4,5
Skoob

GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

17 comentários:

  1. Amei a premissa, já quero ler :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Depois conta pra gente o que achou! Espero que goste.
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Raquel. Eu ainda não li um livro com essa premissa, por isso acho que será interessante conferir essa história. Ah, já vou me preparar para ficar com o coração partido então.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Fazia muito tempo que não lia um livro nesse estilo, mas ele é diferente de tudo que já li, foi uma leitura única.
      Depois conta o que achou!
      Beijos!

      Excluir
  3. Oii Raquel

    Já to imaginando mil e um motivos do porquê Eddie sumiu. Fiquei curiosa mas receosa também porque já sei que vou chorar só pela dica da editora estar enviando lenços junto...rsrs

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      A caixinha e o pingente foram bem sugestivos haha Eu também fiquei elaborando mil e uma teorias, nenhuma delas certa.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Raquel
    Quando vi esse livro pela primeira vez imaginei que fosse ser daqueles que faz a gente chorar horrores, e por causa disso tenho receio em ler porque quero evitar este desconforto. Mesmo assim ainda deixo ele na lista.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Eu não chorei horrores, já chorei mais em outras leituras. Mas foi uma leitura dolorosa, senti meu coração se partindo em pedacinhos e depois se remendando de novo.
      Beijos!

      Excluir
  5. Respostas
    1. Oii!
      Também sou curiosa, então a partir do ponto que confiei no Eddie e parei de achar que ele era um embuste, não larguei mais o livro!
      Beijos

      Excluir
  6. Oi Raquel!! Quando eu recebi com lenços eu já logo saquei que seria uma leitura bem densa. Confesso que estou com medo de chorar horrores, mas que bom que vc super curtiu!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Não chorei tanto, só depois que fechei o livro. Achei que ia chorar mais, a caixa de lenço é bem sugestiva né haha
      Beijos

      Excluir
  7. Gostei dessa història, e pelo jeito se eu ler vou chorar bastante. Parece uma història que estamos cansadas de ler, mas ja que é diferente, quero conferi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      É muito diferente! Não foi nada parecido com o que eu costumo me deparar por aí. A autora fez uma história única e maravilhosa!
      Beijos

      Excluir
  8. Oi, Raquel

    Eu só chorei no final, mas me emocionei em muitas partes. A Rosie escreveu uma história muito tocante, foi uma das minhas melhores leituras do ano com certeza.
    Fico contente por você ter gostado, quando gosto muito de um livro quero que todos o amem também! Hahahaha

    Beijos e bom final de semana. :)
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Eu chorei depois que fechei o livro também. Mas a sensação dolorosa durou boa parte do livro, mas não foi ruim. Só tocante, como você disse. Também quero que as pessoas amem os livros que eu amo haha te entendo
      Beijos!!

      Excluir
  9. Olá!
    Desculpe pela pergunta específica, mas perdi minha mãe com câncer há 6 anos e, por esse motivo, eu não gosto de ler ou assistir nada que tenha alguém com a mesma doença.
    Li a sinopse desse livro e fiquei apaixonada! Mas, fiquei com medo de ele ter câncer pelos comentários da contracapa.
    Você pode só me responder se é isso mesmo ou se posso ler sossegada?
    Pode me mandar um comentário privado para evitar spoilers aos outros leitores rsrs.
    Muito obrigada!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!