Resenha: O Rei Demônio - Queria Estar Lendo

Resenha: O Rei Demônio

Resenha: O Rei Demônio

O Rei Demônio é o primeiro título da quadrilogia Os Sete Reinos, da autora Cinda Williams Chima. Foi publicado aqui pela Editora Suma - que cedeu o exemplar para resenha. O pontapé inicial para uma saga fantástica que poderia ter sido bem melhor...
Sinopse: O jovem ladrão reformado Han Alister é capaz de quase qualquer coisa para garantir o sustento da mãe e da irmã, Mari. Ironicamente, a única coisa valiosa que ele possui não pode ser vendida: largos braceletes de prata, marcados com runas, adornam seus pulsos desde que nasceu. São claramente enfeitiçados — cresceram conforme ele crescia, e o rapaz nunca conseguiu tirá-los. Enquanto isso, Raisa ana’Marianna, princesa herdeira de Torres, enfrenta suas próprias batalhas. Ela poderá se casar ao completar 16 anos, mas ela não está muito interessada em trocar essa liberdade por aulas de etiqueta e bailes esnobes. Almeja ser mais que um enfeite, ela aspira ser como Hanalea, a lendária rainha guerreira que matou o Rei Demônio e salvou o mundo. Em O Rei Demônio, primeiro de quatro livros, os Sete Reinos tremerão quando as vidas de Han e Raissa colidirem nesta série emocionante da autora Cinda Williams Chima.
A trama se divide entre dois protagonistas. Han, um ladrão solitário que, por uma confusão, acaba se envolvendo com o amuleto mágico de um feiticeiro há muito morto - o Rei Demônio. E Raisa, a princesa-herdeira do reino em que vivem. Com a aproximação do seu aniversário, as leis comandam que encontre um pretendente para desposar; e uma guerra silenciosa que se aproxima desse território pode acabar por unir essas duas figuras tão distintas.

Peguei O Rei Demônio com altas expectativas e acabei quebrando a cara. A narrativa, extremamente maçante do início ao fim, não prendeu. Mais me afastou do que me deu vontade de continuar. E o fato de todo o plot principal se iniciar só depois da página 200 também foi outro detalhe decepcionante.
Quem esperaria numa janela por um demônio, ainda por cima chamando seu nome?
Não é que seja uma narrativa ruim, longe disso. Cinda sabe usar as palavras, constrói diálogos bem ricos e descrições detalhadas vívidas e críveis. O problema é que não tem aquele elemento que crie o interesse. Não tem aquele detalhe que te prenda no capítulo e te impeça de parar até chegar ao fim dele. Só está ali e você está lendo e seu cérebro divaga sobre outras coisas que poderia estar fazendo naquele momento; o que é uma pena, sinceramente, porque potencial não falta dentro dessa obra.


Resenha: O Rei Demônio

Eu entendo que livros de Fantasia Épica precisam do seu espaço pra desenvolver mundo, personagens e situação. Só que esse não fez nada disso muito bem; o mundo é apresentado abruptamente e não dá tempo para que a gente se acostume a ele. Os personagens são quase sem personalidade e sem presença que eu não poderia ter me importado menos com cada um deles. E a situação... Que situação? De novo, a trama se enrola tanto em momentos insignificantes ou corriqueiros dos personagens - colocando Han em brigas de gangues de rua e Raisa em capítulos enfadonhos sobre seus pretendentes - que, quando algo de fato acontece, eu já estava distante de qualquer interesse que pudesse existir.

Não fosse a narrativa se embaralhar tanto em detalhes pífios e entregar tão pouca ação, esse teria sido um livro completamente diferente. E eu tenho certeza que teria gostado.

Quanto aos protagonistas, Han tem a típica postura de herói de Alta Fantasia. Ele é ingênuo, tem complexo de salvador e escuta muito pouco dos conselhos de quem sabe das coisas porque já viveu muito - Han só quer fazer tudo do jeito dele porque é claro que o jeito dele é o certo. Não foge do comum a protagonistas desse tipo; irrita, mas ao mesmo tempo tem seus momentos carismáticos.
De onde isso vem?, perguntou-se ele. A ideia de que você merece mais do que a sua cota no mundo?
Raisa, por outro lado, eu queria tanto ter gostado dela. Suas primeiras cenas dão a entender que se trata de uma personagem feminina bem desenvolvida, com falhas e determinação. Ela acabou se mostrando mais mimada e egoísta do que eu gostaria; não humana a ponto de eu entender sua postura, mas só... chata.


Resenha: O Rei Demônio

Um ponto positivo é que, uma vez acostumada ao universo da autora, consegui achar muitos detalhes dele interessantes. A construção da ordem política em torno da figura onipotente da Rainha e como, no fim das contas, ela também estava dentro dos esquemas de manipulação. As lendas antigas que permeiam os protagonistas - a do Rei Demônio, principalmente, que é parte da trama a guiar os personagens - são ricas e bem fundadas. Foram as coisas que me seguraram na leitura, que fizeram eu ter vontade de terminar.

Cinda usa alguns artifícios criativos para o fim da obra, e fecha de uma maneira que até incita a continuar a leitura. Eu talvez dê uma chance para o resto da série porque duas revelações (que não foram grandes revelações porque estavam meio que na cara) deram um rumo novo à história.

Toda a edição da Suma é maravilhosa. Eu sou apaixonada pelas capas dessa quadrilogia e a do Rei Demônio é a minha segunda favorita; queria que o conteúdo tivesse conquistado tanto quanto a arte conquistou.


Resenha: O Rei Demônio

No mais, O Rei Demônio é um começo bem morno/frio para uma série que promete guerras mágicas e reviravoltas chocantes. Mas vou deixar meu cérebro acolher a obra como um todo pra ver se rola o interesse de continuar.

Título original: The Demon King
Autora: Cinda Williams Chima
Editora: Suma
Gênero: Fantasia Épica
Tradução: Ana Resende
Nota: 2,5
Skoob

GOSTOU DA RESENHA? ENTÃO APOIE O BLOG E COMPRE ATRAVÉS DOS NOSSOS LINKS:

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Ahhh, amei a capa! É nesses momentos que queria conseguir ler fantasia porque essa série parece ser bem legal!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  2. Oiii Denise

    A edição está memso maravilhosa, mas realmente parece um livro que toma um bom tempo até situar o leitor e o fato de a coisa toda só ganhar fôlego a partir da pagina 200 é no minimo frustrante, até a gente chegar lá ja está quase querendo desistir.
    Eu ainda quero ler a saga, tenho curiosidade, mas irei com muita calma e ja preparada pra todos eses percalços na leitura.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, Denise.
    Eu estava super empolgada com o livro porque o enredo é muito interessante. Mas agora lendo sua resenha e sabendo o quanto você gosta do gênero, não sei se lerei. Vou aguardar os próximos capítulos para saber se a série vale a pena hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!