Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown - Queria Estar Lendo

Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown

Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown

A Menina Mais Fria de Coldtown é uma premiada fantasia urbana da autora Holly Black. Inspirada no amor da autora pelas histórias de vampiros, nos traz a personagem Tana, que se descobre corajosa e determinada em meio a ameaça de transformar-se em vampira.
Sinopse: No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair.Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown. A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio.
Tana Bach estava apenas se divertindo em uma festa no por do sol, até que acabou se trancando, bêbada, no banheiro para escapar do ex-namorado. Acordando na manhã seguinte, de ressaca e dentro da banheira, ela desce as escadas da casa de fazenda para descobrir um massacre sem igual. Todos os seus amigos de colégio estão mortos, menos ela e seu ex, Aidan.

O problema é que no mundo de Tana os vampiros existem e há anos foram descobertos pelos humanos. Agora, sempre que um humano é mordido, ele é infectado e, caso se alimente de sangue humano, se transforma em vampiro. E a fome que surge em uma pessoa Resfriada - como são chamados os infectados - é enorme.

Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown

Por causa disso o governo criou as Coldtowns, cidades muradas onde Resfriados e Vampiros são colocados - e onde humanos em busca da imortalidade, obcecados pela morte ou doentes também buscam refugio.

Agora, Tana precisa escapar da casa da fazenda antes do pôr-do-sol, mas com seu ex infectado e um vampiro preso por correntes  no quarto ao lado dele, ela precisa tomar importantes decisões, e a maior delas é: ela está realmente pensando em resgatar um vampiro?

Eu gostei muito do mundo que a Holly Black criou aqui, como ela justificou a presença dos vampiros e toda a mitologia que criou envolve os vampiros, a descoberta do governo, a doença e as Coldtowns.

Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown

Tana foi uma protagonista bastante realista. A forma como ela fica assustada, mas ainda assim decide agir. Gostei da forma como ela foi escrita, que difere um pouco das heroínas comuns de fantasia urbana que não pensando 2 segundos antes de fazerem algo realmente estúpido e "heroico".

Sobre os personagens secundários, no entanto, não consegui me conectar muito. A história foi empolgante, teve um ótimo ritmo e me relembrou as histórias originais de vampiros, embora bem repaginada e atual. Mas os personagens secundários não me conquistaram realmente.

Aidan, com seus jogos e sua necessidade de atenção, Gavriel com a sua loucura e mistério, os humanos em busca da vida eterna, os vampiros presos em meio a intrigas, nenhum deles realmente chamou a atenção ou me deixou querendo saber mais. O que instigou a leitura, mesmo, foi a história. Como eu queria saber o que aconteceria, o que era a vingança, e como tudo aquilo ia terminar.

Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown
Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown

Holly tem uma escrita fácil, porém com um pé em uma narrativa mais rebuscada, o que tornou a experiência bem interessante. Intercalar a história da Tana com o passado de Gavriel também tornou a leitura mais dinâmica e um clima mais "Drácula" para toda a história.

A Menina Mais Fria de Coldtown é uma leitura interessante, que cumpre o que promete e até um pouco mais, e uma boa forma de conhecer a narrativa e as história de Holly Black, um autora tão bem conceituada no meio Young Adult.

Título Original: The Coldest Girl in Coldtown
Autora: Holly Black
Tradutora: Ana Death Duarte
Editora: Novo Conceito
Gênero: YA - Fantasia Urbana
Nota: 4
Skoob


GOSTOU DO LIVRO? ENTÃO COMPRE ATRAVÉS DO NOSSO LINK E AJUDE A MANTER O BLOG!

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

12 comentários:

  1. Oi, Bibs

    Acho interesse a nova roupagem para a mitologia dos vampiros, porém, não é uma leitura que chama.muito minha atenção.
    Ae fosse pra ler seria apenas para saber como funciona esse conhecimento que os humanos têm dos vampiros, mas o restante realmente não me atrai.
    Pena que oa personagens secundários não te conquistaram, mas pelo menos você conseguiu tirar boas coisas da leitura.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami!
      Eu curto muito vampiros, então normalmente histórias que fogem do clichê dos anos 2005 chamam a minha atenção sempre, independente da mitologia que usam.

      bjs

      Excluir
  2. Oii Bibs, eu não conhecia a autora e também o livro, mas eu gosto bastante de fantasia, é bom para fugir nem que seja um pouquinho da nossa realidade né?
    Minha lista de livros só aumentam, é um perigo para mim entrar em blog de leitura kkkkkkk

    Blog Covil Dourado | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jennifer!
      Fantasia urbana é um dos meus gêneros preferidos. E a Holly faz muito bem, recomendo mesmo.

      bjs

      Excluir
  3. Oi Bibs, muitaaaa gente fala muita coisa bacana sobre esse livro e dizem que a história é boa. Lendo sua resenha fiquei ainda mais interessada em ler hehehe. Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aléxia!
      Sempre ouvi falar muito bem da Holly no gênero de fantasia urbana, que é um os meus preferidos, e fiquei muito feliz com a leitura.

      bjs

      Excluir
  4. Oi, Bibs
    Eu já havia ouvido falar desse livro mas ainda não pude ler, eu acho que gostaria pelos mesmos motivos que você citou, mas preciso estar inspirada para iniciar a leitura porque ultimamente estou bem preguiçosa em relação as leituras.
    Beijo!!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      Te entendo, tô muito preguiçosa para ler também. Tem livro pequeno que eu levo duas semanas pra ler.
      Mas não paro de comprar livros, send help UAHSUAHSUAHSUAHS

      bjs

      Excluir
  5. Oi, Bibs!
    Eu até tinha esse livro, mas acabei passando pra frente. Só que de vez em quando bate aquela vontade de ler.. sou doida mesmo hahahha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Conheço o sentimentos, as vezes eu mando embora uns livros que não li e fico comigo "mas serááááá que eu nunca vou querer ler mesmo?" UAHSUAHSUHASUHASUHAS Uma vez sorteei Garotas de Vidro e antes de enviar eu fui ler, amei e tive que comprar outro pra enviar aushauhsuahsuah

      bjs

      Excluir
  6. Oi Bibs,
    Ah, eu não canso de vampiros, adoro e não nego leitura.
    Tinha esse livro por aqui, mas acho que minha prima catou.
    Acho a edição linda e futuramente pretendo ler. Achei engraçado o nome do rapaz ser Gavriel.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nana!
      No fundo eu também amo vampiros auhsaushauhsauhs não dá, eu sempre me pego atraída pelas histórias com eles, independente da mitologia usada.
      Gavriel é a versão russa de Gabriel, pelo que eu andei vendo.

      bjs

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!