Resenha: Mensageira da Sorte

  • 09:00
  • 9.3.19
  • Resenha: Mensageira da Sorte

    Mensageira da Sorte é o mais recente lançamento da autora Fernanda Nia - também conhecida pela série Como Eu Realmente. Publicado pela Plataforma21, o livro explora um universo extranatural dentro da nossa realidade; nesse universo, a sorte e o azar são quase dados em um tabuleiro. Através dos mensageiros, eles são um guia para um futuro grandioso ou desastroso - depende do que a pessoa decidir.

    Sinopse: Em pleno Carnaval carioca, durante uma confusão em um protesto contra a AlCorp – uma corporação que controla o preço dos alimentos e medicamentos no país – Cassandra Lira, ou Sam, passa a ser uma mensageira temporária no Departamento de Correção de Sorte (DCS), uma organização extranatural secreta incumbida de nivelar o azar na vida das pessoas. Para manter esse equilíbrio, os mensageiros devem distribuir presságios de sorte ou azar para alguns escolhidos. O primeiro "cliente" de Sam é justamente o seu vizinho e colega de classe, Leandro. O garoto é um youtuber em ascensão e a ajuda dela, na forma de uma mensagem sobre nada menos que paçocas, impulsiona Leandro a fazer um vídeo que o levará para o auge da fama. O que Sam não sabe é que o rapaz também é um ávido participante dos protestos contra os abusos da AlCorp, comprometido a expô-los em seu canal, independentemente dos riscos que possa correr, e a garota se vê obrigada a usar a sorte do DCS para protegê-lo. Mesmo que não entenda por que foi escolhida para trabalhar para o Destino, logo ela se vê no meio de uma rede de intriga, corrupção e poder. Ainda lidando com a culpa pela morte do próprio pai e com seus sentimentos por Leandro, Sam embarcará na jornada de desmascarar a quadrilha que está deteriorando o sistema da Justiça, tanto a natural quanto a extranatural, e fazer com que a balança do Destino se equilibre outra vez.

    Na trama, acompanhamos Cassandra - Sam, como prefere ser chamada. Ela se mudou para Lagoinha, um bairro teoricamente pacato do Rio de Janeiro, para recomeçar a vida com a mãe. Alguma coisa muito ruim aconteceu com a garota há um tempo e tudo que Sam quer é seguir sua vida longe das memórias que envolvem essa tragédia.

    Não vai ser tão simples. Não quando o Rio de Janeiro é palco de uma sequência de protestos poderosos contra a AlCorp, uma corporação multimilionária que vem causando caos no mercado com seus preços absurdos. Num desses protestos, o destino coloca Sam no caminho de uma Mensageira da Sorte - e a garota acaba por se tornar uma estagiária do Departamento, só por algumas semanas, até tudo se estabilizar. Essas semanas vão aproximá-la do extranatural e dos protestos e da ideia de que estabilidade não tem nada a ver com o novo emprego.

    - Dizer a verdade é um trabalho perigoso. Mas alguém tem que fazê-lo.

    Mensageira da Sorte é o tipo de Fantasia Urbana perfeita para divertir e para elucidar grandes problemáticas que a gente vive na atualidade, como as melhores histórias nessa temática conseguem transmitir.


    Resenha: Mensageira da Sorte

    A voz da Sam é bem sarcástica e cheia de monólogos internos hilários. Ela é o tipo de protagonista que te conquista logo nos primeiros capítulos, o que gera aquela sensação empática que faz com que você queira que tudo dê certo. E a situação tá bem feia pra menina Sam, veja bem. Não só por causa do caos que está rolando no Rio de Janeiro, mas também pelo trauma que ela carrega. Um lembrete sombrio do que a violência e a opressão são capazes de fazer com uma pessoa; do quanto algo tirado de você em um segundo fica na sua memória para sempre.

    - Esse look todo era pra impressionar a minha mãe? Ou você foi passar um Dia de Princesa com o Netinho?

    Eu gostei do equilíbrio entre os dois lados da narrativa dela. Sam é madura e engraçada acima de tudo, mas bastante covarde por causa da tragédia. Seu arco de evolução envolve muito entender seus medos e suas fragilidades e encontrar, nela mesma, a saída para isso. Sam sabe que o trauma pesa em suas ações e começa a se determinar para mudar isso. Afinal de contas, como Mensageira da Sorte ela ganha várias responsabilidades.

    E que universo fantástico que a Fernanda criou! Queria, inclusive, deixar uma reclamação na sessão de atendimento do Departamento de Correção de Sorte porque o tanto de azar caindo na minha cabeça nos últimos meses tá muito desequilibrado, quero reembolso!


    Resenha: Mensageira da Sorte

    A questão com a sorte e o azar e como os presságios são entregues é muito genial. É o tipo de mundo mágico muito crível, com toda a sua burocracia e problemas e sistema chato; Sam cai dentro dele de cabeça e toda a perdição até ela realmente se acostumar com o que significa entregar as mensagens é muito divertido de acompanhar.

    - Eu entendo que é difícil controlar a frustração às vezes, Sam. Mas temos que reconhecer que o mundo não é justo. É por isso que o DCS existe. Para consertá-lo. Para cada mensagem que você entrega a um necessitado, ele fica um pouquinho melhor do que era antes. Esse é o nosso foco. Esse é o nosso papel.

    Em relação aos personagens secundários, a relação da Sam com a sua mãe é bem pautada e trabalhada, com toda a questão do que elas vivenciaram e como isso influencia a mudança e suas posturas uma com a outra. Cecília é a mensageira que entra no caminho da protagonista e acaba por colocá-la no mundo da sorte; uma figura bem humorada e consciente da maluquice que é o extranatural em que vivem, mas sempre disposta a ajudar a garota perdida.

    É o que a pessoa tem a dizer, e não o que ela aparenta ser, que nos entrega as peças do quebra-cabeças que a define de verdade. 

    Leandro e Ivana são os vizinhos de apartamento da Sam e, eu diria, as figuras mais carismáticas da história. Leandro é um Youtuber que usa seu canal para tudo, desde aleatoriedades sobre ovos de Páscoa até críticas sérias a respeito da tirania da AlCorp. E Ivana, sua editora e melhor amiga, é de uma presença radiante e um espírito corajoso que eu me apaixonei logo de cara.


    Resenha: Mensageira da Sorte

    Leandro, aliás, é o interesse amoroso da Sam - e que a deusa abençoe um romance bem desenvolvido! Tem aquela faísca de início, as provocações, o flerte, a confiança, a amizade, e o momento em que você quer rolar de cara no chão porque eles são MUITO FOFOS AJKFBASUOGOASUBASGUO

    - A vida é perigosa. Com um pouquinho de sorte, tudo fica bem.

    Dentro desse mundo todo de sorte e mensagens e Youtube, existe a AlCorp. No cenário político que estamos vivendo hoje, é quase um espelho do que significa dar poder nas mãos de tiranos. A opressão deles reside no mercado, sim, mas eles controlam tudo - não só os preços são prejudicados, mas o governo, a liberdade, o povo, principalmente. A luta diária que nasce com os protestos ou mesmo os pequenos questionamentos é o que dirige a Sam e outros personagens para continuar resistindo. A opressão não é capaz de calar a voz do povo, e é uma das mensagens poderosas que o livro tem a passar.

    Em relação à edição, a Plataforma21 caprichou tanto em capa quanto em diagramação. O livro é um conjunto completo de lindezas e eu não canso de olhar pra esse lettering magnífico feito pela artista Cyla Costa.


    Resenha: Mensageira da Sorte

    Mensageira da Sorte é uma história sobre jovens e revoluções. Sobre uma realidade onde o universo dá escolhas para que você aproveite a sorte ou caia no azar.


    Título original: Mensageira da Sorte
    Autora: Fernanda Nia
    Editora: Plataforma21
    Gênero: Fantasia Urbana | Young Adult
    Nota: 5 +
    Skoob

    GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

    1. Oi Denise
      Eu comprei Mensageira da Sorte na Bienal também mas não consegui ler, acabei dando o livro em sorteio. Eu não senti aquela vontade enorme de ler a obra, senão acho que teria adorado. É uma pena porque sua nota até que me instigou.
      Beijo!

      http://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir
    2. Oi, Denise

      Não sabia que era da mesma autora das tirinhas da Niazinha, que por sinal eu amo! Inicialmente o livro não chamaria minha atenção, mas esse lance de sorte e azar bem como esse paralelo com o cenário em que vivemos até despertou a minha curiosidade.
      E essa capa está a coisa mais linda, muito bom gosto!


      Beijos
      - Tami
      https://www.meuepilogo.com

      ResponderExcluir
    3. Oi De,
      Eu ia comprar na Bienal, mas acabou que não consegui por falta de verba mesmo, rs.
      Estou bem animada para conhecer a história, sou fã das ilustrações da Nia e só vejo elogios a obra. Ela é sucesso em tudo o que faz!
      beijos
      http://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.