Resenha: Kindred - Laços de Sangue

  • 09:00
  • 17.4.19
  • Resenha: Kindred - Laços de Sangue

    Kindred - Laços de Sangue é um clássico da ficção científica escrito por Octavia Butler. Publicado pela primeira vez na década de 70, o livro aborda temas como desigualdades social, racismo, família e ódio. Foi um dos livros que escolhi para a Maratona Mulheres da Literatura e superou todas as minhas expectativas.

    Sinopse: Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça. Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda. Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida... até acontecer de novo. E de novo. Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado.

    Dana era apenas uma mulher normal, começando a vida ao lado do marido. Uma escritora em começo de carreira que por muito tempo teve de aceitar trabalhos informais para sustentar sua paixão. Mas tudo muda quando ela faz sua primeira viagem no tempo, enquanto desempacotava a mudança, para salvar o garotinho Rufus - seu antepassado - de se afogar.

    É então que Dana, uma mulher negra, vê-se subjugada a essa condição de salvadora. Viajando sempre que Rufus precisa de ajuda. O único porém é que ele é um garoto branco, que vive em uma Maryland do século XIX, onde a escravidão ainda era legal. O que pode acabar sendo letal para Dana.

    Resenha: Kindred - Laços de Sangue

    Preciso dizer que eu não fazia ideia do que fosse encontrar em Kindred - Laços de Sangue. A premissa tinha chamado muito a minha atenção, mas diferentemente de diversos livros, onde a gente tem uma ideia (ou esperança) de como as coisas vão acabar, aqui foi sempre um mistério.

    Kevin, você não precisa bater nas pessoas para tratá-las com brutalidade.

    As viagens de Dana eram um mistério. O relacionamento dela com Rufus era complicado. E suas habilidades eram uma dúvida frequente. Ela tinha algum tipo de magia ou isso vinha do garoto? Até quando ela poderia continuar ajudando ele, sendo que a cada viagem, voltar para casa era ainda mais difícil?

    Ela se saiu muito humana nas páginas. No inicio, achei que Dana estava soando muito racional quando se deparava com os riscos de ser uma mulher negra em uma sociedade ainda mais racista e machista que a atual. Mas conforme a situação foi se desenvolvendo, fui percebendo - junto dela - que a racionalidade vinha de um lugar de ignorância. Todas as atrocidades e crueldades que ela viu eram coisas inimagináveis para ela até então. Tinha lido, aprendido na escola, mas pareciam abstratas demais até aquele momento.

    Resenha: Kindred - Laços de Sangue

    Kindred - Laços de Sangue é um soco na cara. É aquela verdade nua e crua que faz com que a gente se revire debaixo da própria pele. Octavia Butler é muito didática e de uma forma que a gente não percebe que está recebendo uma baita aula sobre o desenvolvimento do sistema social racistas, por exemplo. Além disso, ela mostra o quão facilmente as pessoas são escravizadas. E o quão fácil é para as pessoas privilegiadas fazerem vista grossa para a opressão e a crueldade e a ausência de direitos de um grupo minoritário.

    As sociedades repressivas sempre pareciam entender o perigo das ideias "erradas".

    Octavia Butler desenvolve uma história intrincada, onde seus personagens tem sentimentos e relações complicadas que não podem ser facilmente explicadas ou compreendidas. Quanto mais viagens Dana faz, mais seu relacionamento com Rufus se aprofunda, e mais difícil as coisas ficam. Ela quer ter raiva e odiá-lo, mas acaba sempre perdoando. Ela quer poder ajudá-lo a ser uma pessoa melhor, a se desenvolver e ser alguém além de um "homem do seu tempo". E isso só a deixa mais e mais vulnerável à ele.

    Outro ponto que me surpreendeu bastante foi o desenvolvimento de Rufus. Quando criança, tão inclinado a escutar Dana, uma mente em formação que me fez acreditar que, talvez, ele fosse crescer para se tornar um abolicionista, por exemplo. Mas então ela mostra como o meio tem uma influência tão forte no desenvolvimento da personalidade das pessoas. Manipulador e agressivo quando não consegue o que quer através de chantagens, Rufus foi uma representação fiel do "cidadão de bem" - que parece não ter mudado ao longo dos séculos.

    Resenha: Kindred - Laços de Sangue

    Além disso, Kindred - Laços de Sangue mostra a tal da "miscigenação" racial tal como ela foi: estupro com a finalidade de gerar mais escravos. Que a ideia de escravos felizes e bobos como crianças que não entendem nada do mundo é absurda. E, ainda, que mesmo aqueles que nunca tinham sido livres sabiam exatamente o que significava liberdade.

    A escravidão era um processo que matava pouco a pouco.

    Foi uma livro emocionante, com personagens cativantes, que me conquistaram muito rapidamente. Quando finalizei a leitura, acho que me senti um pouco como Dana nas últimas linhas. E um pouco como ao finalizar A Cor Púrpura: como se estivesse deixando amigos para trás, com uma saudade imensa daquelas pessoas que nunca existiram - embora seja muito fácil imaginar que eles existiram aos milhares.

    Kindred - Laços de Sangue é uma leitura que eu recomendo de olhos fechados. Mesmo para quem não é muito fã de ficção científica. Viagem no tempo costuma me deixar bastante perdida e obcecada pelos paradoxos, mas a forma como Octavia Butler escreve e descreve os eventos torna tudo muito fluído e natural. Uma leitura incrível, que me deixou emotiva e com raiva e que valeu cada página.

    Mas, na realidade, a escravidão de qualquer tipo criava relacionamentos estranhos.

    Título original: Kindred
    Autora: Octavia Butler
    Tradutora: Carolina Caires Coelho
    Editora: Morro Branco
    Gênero: Ficção-científica
    Nota: 5+

    1. Oi, Bibs!
      Menina, quero muito ler esse livro porque amo viagens no tempo, não vou mentir...
      Se hoje é difícil ser mulher negra, imagina na época que Dana viajou. Eu mesma ia sair tacando o f*da-se e querer fazer revolução com as próprias mãos.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Lu!
        Leia ele,menina. É maravilhoso!
        E isso que você falou, de que se fosse você ia sair tacando o foda-se e tals, é o que eu sempre pensei também. E, embora a Dana não tenha uma personalidade conflituosa, ela é uma pessoa correta. E ver como ela reage a esse mundo é interessante porque é muito real. A gente diz que faria isso e aquilo, mas se chegasse lá, qual seria, de fato, nossa posição, sabe? É uma reflexão muito válida de se fazer.
        Quero ouvir sua opinião quando ler!

        bjs

        Excluir
    2. Oi, Bibs
      Eu nunca ouvi falar do livro então fiquei bem surpresa com a premissa. Que bom que ela entrega tudo aquilo que promete e ainda traz surpresas. Não tenho muito interesse no livro mas é ótimo para quem gosta do tema.
      Beijo

      http://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Mi!
        Quem curte ficção-científica Kindred é mesmo maravilhoso. Não é a toa que Octavia Butler é uma autora consagrada do gênero. É uma delícia ler livros do tipo.

        bjs

        Excluir
    3. Oi Bi, tudo bem? Bom enredo, bem desenvolvido e ainda um soco na cara! Parece mesmo uma leitura imperdível, do tipo que eu leria sem pressa rs

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.