Resenha: Um Tempo Aceitável

  • 09:00
  • 11.4.19
  • Resenha: Um Tempo Aceitável

    Um Tempo Aceitável é o quinto e último volume da série iniciada em Uma Dobra no Tempo. Da autora Madeleine L'Engle, foi lançado aqui recentemente pela HarperCollins Brasil - que cedeu este exemplar para resenha - e surge mais como um spin-off da história toda do que como um capítulo final.


    Sinopse: Polly O’Keefe acabou de se mudar para a casa dos avós, os famosos cientistas Alex e Kate Murry, quando ela acidentalmente se encontra em uma época 3 mil anos no passado. Talvez não seja um mero acidente, ou, ao menos, é o que dizem dois druidas: quando um portal entre círculos do tempo se abre, isso acontece por um motivo. Quando o portal se fecha atrás de Polly e de seu amigo gravemente doente, Zachary, o motivo se torna claro. Em meio ao desespero, conseguirá Polly manter a si mesma e a Zachary vivos até que o portal reabra e eles possam voltar para casa?

    Na história, conhecemos Polly O'Keefe. Ela se muda para a casa dos avós e acaba por encontrar um portal temporal perdido por lá, sem querer. Polly é jogada 3 mil anos atrás e se depara com alguns druidas bastante preparados para esse tipo de situação; de volta ao presente, tudo que ela conhecia é posto a prova - e a razão dessa viagem no tempo é o que a guia em suas investigações.


    É de se pensar que seres humanos sejam cheios de partículas estranhas.

    Diferente dos outros títulos da série, Um Tempo Aceitável, infelizmente, gastou tempo demais com coisas que poderiam ter sido bastante simplificadas. Pelo menos 200 páginas desse livro discorrem sobre um grande NADA e eu não poderia ter ficado mais entediada com a quantidade de diálogos repetitivos e investigações que levavam a lugar nenhum e monólogos internos sonolentos.

    Uma Dobra no Tempo me ganhou justamente por usar e abusar do desconhecido; com seus protagonistas jovens e a pouca experiência com tempo e espaço, era uma aventura sobre descobertas e uma missão sobre entender o espaço e o passado para fazer com que tudo fizesse sentido. Talvez por ter dado o protagonismo para uma personagem jovem-adulta, mais entendida da vida, a autora tenha se perdido completamente no sentido da série.

    Polly já começa jogando a verdade nos ares, mas passa 50% do seu tempo remoendo a viagem no tempo - com medo do que ela significa - e os outros 50% ansiosa para voltar lá. E ela volta. E des-volta. E volta e des-volta. E é. muito. chato.


    - Às vezes eu não sei o que é sonho e o que é realidade. A fronteira entre os dois é muito tênue.

    A repetitividade do plot acaba por tornar todo o seu andamento e mistério uma coisa enfadonha; chegou um ponto em que eu já não me importava com os druidas e seus segredos porque eles não haviam passado a sensação de "desconhecido" que precisavam - tudo isso porque Polly e seu companheiro de viagens no tempo, o Bispo, falam sobre isso o tempo todo. Tornou massante ao extremo e eu só queria que acabasse.

    E nunca acabava.

    Era mesa redonda pra falar sobre os riscos da Polly voltar no tempo, mesa redonda pra analisar o quanto isso poderia ser real ou não, discussões sobre os druidas, sobre o espaço, perguntas sobre o que a Polly conhecia sobre os druidas e o espaço. AH!


    Resenha: Um Tempo Aceitável

    Os avós, como cientistas, não acresceram em nada para discussões sobre fé no impossível e investigação científica. O melhor amigo de Polly, Zachary, não poderia ter sido mais babaca egoísta do que foi - ao menos o arco com ele teve um final agradável. A Polly foi bem mediana pra eu conseguir criar algum laço empático - e, sendo a protagonista, ela precisava me ganhar pra que eu me importasse com a história. O Bispo foi o que mais me surpreendeu positivamente; um religioso que abraça o que difere da sua realidade e entende que o mundo não gira em torno das suas crenças, mas que é um todo de muitas fés.


    - Acho que o planeta está cheio de lacunas, não é? De todo mundo que viveu e morreu. Será que dá pra preenchê-las de algum modo?

    Ah, e o final! O fato de eu ter dado uma noita maiorzinha pra esse livro foi justamente pelo final. Suas últimas 50 páginas fizeram valer a leitura arrastada para mim; não, eu não acho que seja uma história boa - é repetitiva e tediosa, mas tem um desfecho bom e, portanto, me salvou do tédio e me ganhou de volta. Teve ação e tensão na medida certa como deveria ter sido no resto da trama toda.


    Resenha: Um Tempo Aceitável

    Um Tempo Aceitável não soa como um "fim" de série, mais como um spin-off - justamente por só ter personagens secundários e menções aos protagonistas de antes e por apresentar uma visão diferente de tudo que a série apresentou antes; distante do fantástico e mais pé no chão, quase afundou o que poderia ter sido uma despedida bem mais agradável.


    Título original: An Acceptable Time
    Autora: Madeleine L'Engle
    Editora: HarperCollins
    Tradutor: Érico Assis
    Gênero: Ficção Científica
    Nota: 2,5
    Skoob

    GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

    1. Olá, Denise.
      Estou lendo esse livro no momento e infelizmente tenho que concordar com você. Já estou na metade e até agora só ficou na conversa. Mas pelo que estava pesquisando esse não é da mesma série mesmo, ele é de outra série protagonizado pelos O'Keefe e o ultimo livro ainda por cima hehe. É uma pena porque os outros livros foram incríveis.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    2. Oi, Denise
      Eu não sou fã desse tipo de livro, mas eu vi que os outros eram muito legais, é uma pena que a série fecha com esse bem aquém das possibilidades.
      Beijo

      http://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir
    3. Oi, Nizz!
      Menina, chocada com essa nota! Eu vi que você não curtiu, mas não sabia que foi tão ruim assim.
      Enfim.. essa série não me interessa muito mesmo, então...
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    4. Oiii Denise

      Já decidi que não quer ler esse quinto livro, justamente por ser tão diferente e tedioso. Prefiro ficar com a lembrança gostosa do que foi o terceiro e o quarto livro, meus favoritos. Acho que esse final com cara de spin off foi desnecessário e pelo que vi totalmente inferior.

      Beijos, Ivy

      www.derepentenoultimolivro.com

      ResponderExcluir
    5. Oi Denise!

      Eu ainda estou no começo e achando tudo muito interessante pela passagem no tempo, só acho estranho (até agora, não sei como será pra frente) que o avô não fale sobre a viagem dele no primeiro livro. De qualquer forma, espero tb gostar do final.

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    6. Que artigo bacana, realmente é um dos melhores blog que sou seguidora. Você sempre está trazendo novos textos com muitas informações e dica sensacionais.

      Parabéns!

      Beijos💋 ..

      Meu Blog: Loterias de Hoje

      ResponderExcluir
    7. Oi Nizz!
      Chocado com essa nota. MDS, eu tinha visto algumas resenhas do volume anterior que me desanimaram com a serie porque falam que vai caindo muito a qualidade. Depois dessa então, JESUS, já to cansado. De livro parado só basta minha vida.

      Abraços
      David
      http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.