Resenha: Legendary

  • 09:00
  • 8 de jul de 2019
  • Resenha: Legendary

    Legendary é o segundo título da trilogia iniciada em Caraval, que foi publicada aqui pela Editora Novo Conceito. Na trama, a autora Stephanie Garber nos leva de volta ao universo de magia desconhecida, acompanhando as duas irmãs Dragna tentando sobreviver aos mistérios envoltos no espetáculo de Caraval. A mescla perfeita entre ação, tensão e um fim arrebatador.

    Sinopse: O Caraval deste ano foi concluído. Tella está viva - e segura, para o alívio de sua irmã mais velha. Mas Tella tem segredos que ela mantém de Scarlett. Segredos como o que Tella prometeu em troca dos convites das irmãs para o Caraval em primeiro lugar. Segredos sobre a pessoa a quem estas promessas foram feitas. E segredos sobre Julian, o jogador de Caraval que ganhou o coração de Scarlett. Com medo de revelar a verdade para a pessoa que mais a ama, Tella foge para Valenda, a capital do Império, para encontrar o misterioso correspondente a quem Tella deve. Mas nas noites que antecedem o Dia de Elantine, um cruzamento entre um baile de máscaras, um jubileu e Caraval, ninguém é confiável. .

    Essa resenha pode conter alguns spoilers do primeiro volume.

    Depois do jogo que transformou sua vida, Scarlett parece ter encontrado um pouco de paz. Para Donatella, no entanto, o jogo está apenas começando; para encontrar sua mãe, Tella fez um acordo com um aliado misterioso, e o preço dessa barganha é nada mais nada menos do que a identidade de Lenda, o comandante de Caraval. Uma das pessoas mais poderosas de todo o seu mundo.

    Tella sabe que está com problemas, mas também sabe que essa é a única chance de resgatar a mãe que deixou as duas irmãs para trás. Segredos rondam o passado da garota, cartas de baralho revelaram um futuro perigoso - em meio a isso, seu presente está ligado a Caraval e ao novo jogo estabelecido por Lenda; vencê-lo significa descobrir a identidade do misterioso líder. Perdê-lo pode significar a morte de Donatella.

    Legendary se afastou de Scarlett para dar uma visão mais ampla sobre a enérgica e bem humorada irmã mais nova da antiga protagonista. Tella é uma garota sonhadora, simpática e cheia de espírito. Determinada até o último fio de cabelo, é um contrapeso à cautela e receio que a irmã apresentava no primeiro volume.


    Ela disse a si mesma para não se virar. Para não ceder à curiosidade. Mas o problema para Tella era o quanto desejava as coisas que lhe eram negadas.

    O jogo ainda é o mesmo, com seus enigmas e dicas e atores representando papéis misteriosos, mas há mais em risco agora. A vida de Tella está na balança, a segurança de sua irmã e sua mãe também. O próprio equilíbrio do mundo está por um fio, porque Legendary nos apresenta mais do universo mágico criado pela autora - das divindades por trás de toda magia que existe por ali.


    Resenha: Legendary

    Fates (sorte, destino, não sei como vai ficar na tradução, então bora com o original) são figuras de poder que reinaram sobre aquele mundo tempos atrás. Eles foram derrotados e aprisionados, mas seu destino permanece incerto; existem profecias que falam sobre sua libertação e então sobre o cataclismo do universo, outras profecias que falam sobre o poder que alguém pode absorver caso os destrua.

    Tudo o que Tella sabe é que seu destino está ligado a essas figuras. Desde pequena, ela carrega amargura e temor a respeito do que o futuro tem reservado para qualquer caminho que escolher; essa vulnerabilidade foi bem trabalhada pela autora, bem encaixada na trama pra construir a humanidade da personagem.

    Esse era o perigo do amor. O amor transformava o mundo em um jardim, tão exuberante que tornava fácil esquecer que as pétalas de uma rosa eram tão efêmeras quanto sentimentos; eventualmente, cairiam e morreriam, deixando nada além de espinhos para trás.

    Apesar disso, preciso confessar que algumas atitudes da Tella me deixaram pistola pra caramba. Pra uma garota que pensa tanto, meu deus como fazia burrices! Eram enigmas ou dicas óbvios ou até mesmo diálogos absurdamente reveladores que ela levava horas decifrando quando um pouco de lógica seria suficiente para entender; tudo bem, Tella mesma admite que ela não é esperta ou rápida no gatilho como a Scarlett, mas algumas coisas ali mesmo eu na minha lerdeza consegui captar mais rápido que a coitada. Foi frustrante.

    Não é um problema desesperador, no entanto. Eu amei a Tella. Queria ver essa menina sorrindo e encontrando felicidade porque tudo que ela sempre conheceu foi a solidão e o medo do destino que a rondava; mesmo sua relação com a Scar é pontuada por receio, uma vez que a Tella tem tanta certeza de que o amor não faz parte da sua vida.


    "Toda história tem quatro partes - o começo, o meio, o quase fim e o fim verdadeiro. Seu futuro não está completo até que você chegue à quarta parte e revele seu verdadeiro final."

    A autora construiu suspense e romance em doses bem encaixadinhas, desenvolvendo uma história com um ritmo instigante e emocionante. O romance, a ideia do amor - fraternal ou romântico - foi um dos pontos-chave para o desenvolvimento da protagonista. Tella e seu aliado/interesse amoroso, Dante, formaram um dos meus OTPs favoritos da atualidade.


    Dante era mais como fogo. Ninguém se referia ao fogo como "bom". O fogo era quente, queimava coisas que crianças eram avisadas para não chegar perto. E, novamente, Tella nem ao menos pensou em se afastar dele.

    Dante é um protótipo de Han Solo. Só isso já é suficiente pra ter meu amor eterno; sarcástico, afiado, bastante presunçoso e cheio de si, ele também tinha momentos de fragilidade e de humanidade que mostravam o quanto ele estava imerso no jogo e o quanto parecia querer escapar dele - para logo em seguida parecer uma peça essencial dentro das manipulações. Foi interessante ver o relacionamento dos dois se desenvolver por isso; as dúvidas da Tella quanto aos sentimentos dele, as faíscas de atração e flerte cuidadosas, aquele slow burn delicioso de acompanhar. Tem tudo!

    Além deles, personagens como Julian e Scarlett retornam para acrescentar momentos importantes a trama. Um rosto gigantesco para a história é o tenebroso e misterioso Jacks; um possível aliado para Tella tanto quanto é uma ameaça também.

    O fim me deixou SEDENTA pela conclusão porque é um emaranhado de respostas e de reviravoltas e você mal tem tempo de respirar antes de um grandioso O QUÊ? escapar do seu coração.

    Legendary foi lançado recentemente no Brasil, então você consegue encontrar a versão traduzida pra ler e surtar.

    Caso tenha curtido Caraval, essa sequência faz jus ao ritmo misterioso e encantador do primeiro livro, com uma corrida contra o tempo e contra todo tipo de magia para tentar salvar o mundo e todo mundo que Tella ama de um destino terrível.

    Título original: Legendary
    Autora: Stephanie Garber
    Editora: Flatiron Books
    Gênero: Young Adult | Fantasia
    Nota: 4,5

    Skoob


    1. Oi, Nizz!
      Assim como o céu é azul, eu sabia que tu ia amar o Dante! Ele arrebatou meu coração de uma forma que nem sei explicar..
      Tella, minha filha maravilhosa, orgulho da família. Adorei a evolução da personagem nesse livro.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    2. Amei sua resenha Nizz, impossível não se interessar por essa história. Deve ser maravilhosa!

      https://www.kailagarcia.com/

      ResponderExcluir
    3. Oi Nizz!
      Eu to muito que ansioso pra ler esse segundo volume *-* Não consegui no primeiro semestre mas desse não passa. Só vem Tella! A personagem mais doida e incrivel que eu ja conheci. Espero que digam quem diabo é o Lenda pq eu morro de curiosidade.

      Abraços
      David
      https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    4. Oi Denise! Eu ainda não pude ler esse, mas eu me apaixonei tanto por Caraval que sinto muita saudade desse mundo todo diferentão que a autora criou. Lembro que tinha odiado a Donatella, mas entendi muito suas atitudes no decorrer da obra. Tomara que eu me surpreenda também!

      Beijo
      https://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir
    5. Olá, Denise.
      Eu quero muito ler esse livro porque amei o primeiro. Mas quero comprar em capa dura para combinar com o primeiro que tenho aqui e está 50 reais fora o frete. Não tá dando hehe. Vou ver se baixa.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    6. Oii Denise

      Eu amei horrores Caraval e olha que a Scarlet nem era uma protagonista forte e decidida, ainda assim aquela ambientação incrivel me conquistou e achei a narrativa da Garber perfeita, to loucaaa pra ler a história da Tella, mesmo com as bobagens que ela comete ao longo da trama, tenho certeza que vou curtir essa segunda parte. Nossaaa, nem lembrava mais que esse livro já havia sido publicado por aqui, é que teve tão pouca publicidade que ja tinha esquecido. Vou anotar na minha TBR pra não deixar passar.

      Beijos, Ivy

      www.derepentenoultimolivro.com

      ResponderExcluir
    7. Amei esse seu texto, realmente é um dos melhores blog que estou acompanhando. Suas postagens são excelente! Parabéns!

      Já até salvei em meus blogs favoritos ❤️..

      Meu Blog: Super Minas Cap

      ResponderExcluir
    8. Oi Denise! Ás vezes a gente ama o personagem, mas se irrita com ele kkkkk acontece rsrsrs Confesso que não lembrava mais dessa série, demoraram demais pra publicar a continuação, mas que bom que vc curtiu!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    9. Oi Denise,
      Eu quero muito ler esse livro e só não o fiz ainda, porque está tãããão caro :(
      Espero gostar da Tella e desse Dante, acho que vou shippar fortemente também HAHAHAHA
      beeeijos
      https://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.