Resenha: A probabilidade estatística do amor à primeira vista

  • 09:00
  • 17.7.19
  • Resenha: A probabilidade estatística do amor à primeira vista

    A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista foi minha escolha para a primeira semana da Mega Maratona de Leitura. O livro, da autora Jennifer E. Smith - a mesma de A Geografia de Nós Dois - ficou um tempinho parado na minha estante, mas chegou num bom momento para ser lido agora.

    Sinopse: Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

    Na história, Hadley perdeu um voo. E não só qualquer voo, mas um que ela não queria, de jeito nenhum, pegar. Seu pai está prestes a se casar pela segunda vez e tudo o que a garota mais quer é estar bem longe dele, da noiva e desse recomeço quando acontecer - mas o atraso rende uma nova passagem e ela acaba dividindo o assento do avião com um garoto que conhece por acaso no aeroporto.

    Em meio a uma narrativa simples e doce, Jennifer nos apresenta a probabilidade de um amor nascer do acaso.


    Resenha: A probabilidade estatística do amor à primeira vista

    Eu tinha visto muitas críticas sobre o fato de esse livro ser muito previsível, simples e rápido - e é justamente tudo isso que tornou a leitura tão agradável. Tal como A Geografia de Nós Dois, a autora não se demora em descrições ou grandes desenvolvimentos. É para ser uma história curta e divertida sobre uma garota, um casamento e um amor nascendo de uma circunstância inesperada.

    No final das contas, não são as mudanças que partem o coração, e sim esse quê de familiaridade.

    Diferente de alguns instaloves, esse aqui conseguiu me convencer exatamente por colocar Hadley e Oliver - o garoto do aeroporto - em situações críveis em que eles se aproximam com naturalidade. Dá pra acreditar que dois corações que se encontram sem querer possam acabar desenvolvendo algum tipo de sentimento. Eu sou uma romântica incurável quando se trata de clichês, e dá licença que a situação de "conhecer um rapaz britânico num aeroporto e passar todas as horas de viagem conversando com ele" parece uma situação clichê bem apaixonante pra mim.

    Oliver representa compreensão e simpatia. Ele é um apoio para Hadley quando tudo que ela tinha era um livro, que representava um momento mais triste do passado com seu pai, e os próprios pensamentos. Gostei de como a autora desenvolveu os diálogos entre os personagens, como tornou a situação inusitada um momento memorável.

    Viagens de avião são assim: você pode passar horas conversando com uma pessoa sem saber seu nome, pode contar seus maiores segredos e, depois, nunca mais vê-la.

    E aí tem o conflito familiar. Eu não gostei muito do fim, mas entendi o que a narrativa escolheu seguir. A amargura estava presente na protagonista desde o começo; amargura por uma traição, pelo abandono e pelo sentimento de esquecimento. Ao mesmo tempo em que a mãe, também vítima da situação da separação, perdoou o marido e seguiu em frente, ficou para Hadley a sensação de que ainda havia muito a perdoar. E a falta de diálogo e o afastamento com o pai foram parte do motivo para isso.


    Resenha: A probabilidade estatística do amor à primeira vista

    Não sei o que eu, numa situação como a da personagem, faria. Não dá pra imaginar qualquer pessoa vivendo algo do tipo porque cada mente e cada coração reagiria de uma maneira. Jennifer mostra bem isso conforme expõe os pontos de vista da protagonista, da mãe, do pai e das pessoas ao seu redor. Eu achei um conflito bem interessante e, apesar de apressado, bem estabelecido. Um final que não promete felicidade plena, mas uma tentativa de fazer tudo ficar bem de novo nessa nova realidade.

    - O amor é a coisa mais estranha e sem lógica do mundo.

    A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista é um livro rápido e simpático sobre aeroportos, medos e coragem. Sobre encontros e desencontros e sobre recomeços.


    Título original: The Statistical Probabilily of Love at First Sight
    Autora: Jennifer E. Smith
    Editora: Galera Record
    Gênero: Young Adult | Romance
    Nota: 4

    Skoob


    1. Olá, Denise.
      Eu li esse livro quando lançou e amei ele. Romântica incurável que sou, adorei a forma como o amor deles aconteceu. Mesmo sendo em um dia, como é o livro todo, parece que não foi instalove hehe.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    2. Oi Denise!
      Esse foi um YA que não deu tão certo cmg... rs
      É um livro pequeno, mas pulei aspartes chatinhas dele! XD
      Achei o Oliver uma gracinha, mas a história como um todo não fez meus olhinhos brilharem!
      Bjs
      A Colecionadora de Histórias - Blog

      ResponderExcluir
    3. Oi De, apesar de boas criticas eu ainda não li nada da autora, acho que vou começar por este!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    4. Oi, Denise
      Eu já tentei ler esse livro uma vez mas não curti e desisti, só que agora tô pensando em dar outra chance por causa da sua resenha, a capa é linda também.

      Beijo
      https://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.