Controle Remoto: Years and Years

  • 13:40
  • 23 de ago de 2019

  • Esse ano a HBO não está para brincadeiras… Depois do hype da última temporada de Game Of Thrones Chernobyl, a emissora mandou bem em mais uma produção. Senhoras e senhores, lhes apresento: Years and Years. Que série, minhas caras! Sabe toda aquela expectativa que vocês tinham para Black Mirror, mas a série simplesmente não correspondeu? Então, se joga em Years and Years que é sucesso.

    A minissérie, que conta com só 6 episódios, traz um panorama futurístico da sociedade, caso continuemos neste caminho político e social em que nos metemos desde a eleição de Donald Trump. Além disso, a série também aborda questões tecnológicas e aponta diversas problemáticas ligadas ao tema.

    Ambientada na Inglaterra, a obra do produtor Russell T Davis, inicia-se em 2019 durante o período de campanha para as eleições para primeiro-ministro do Reino Unido. Viviene Rock (Emma Thompson) é uma das candidatas que se apresenta como uma alternativa ao governo vigente, às estruturas vigentes, e faz declarações polêmicas em suas aparições. Suas declarações contam com fake news sobre os outros candidatos e xenofobia, afinal,  ela é conhecida por “dizer o que pensa”. Qualquer semelhança com a política mundial atual, não é mera coincidência.


    A minissérie de co-produção da HBO com a BBC, que possui só 6 episódios, diferente do que estamos acostumados, não se passa nos EUA e sim na Inglaterra. A narrativa retrata como pano de fundo o cotidiano de uma família inglesa com mais diversidade que muita empresa “inclusiva” por aí. 

    O núcleo familiar é formado por Daniel Lyons (Russell Tovey), um jovem homossexual, que se apaixona por Viktor Goraya (Max Baldry), que é um refugiado ucraniano; Daniel é irmão de Rosie Lyons (Ruth Madeley) uma jovem cadeirante, que cria sozinha o filho euro-asiático; ambos são irmãos de Stephen Lyons (Rory Kinnear), um homem hétero cis que é casado com uma mulher negra, Celeste Bime-Lyons (T’nia Miller) e juntos têm uma filha “transhumana”; para finalizar, Edith Lyons (Jessica Hynes) uma ativista pelos direitos humanos.

    O contexto da série mostra um futuro dominado por políticos de extrema-direita, que começa a colapsar de diversas formas. É assustador o quanto as políticas adotadas são bizarras e ao mesmo tempo muito factíveis, levando em consideração a situação atual de política mundial.

    Durante a série são retratadas questões ambientais, humanas, LGBTQ+ e no maior estilo Black Mirror, rola até uma problematização dos avanços tecnológicos. No futuro imaginado por Russell, a situação da imigração toma proporções assustadoras, incluindo até centros de concentração para esses refugiados.


    O andamento da série também dá muita sensação de realidade, porque as políticas excludentes não avançam de uma só vez, mas vão piorando a cada episódio. Nos primeiros capítulos, é possível ver a família e o contexto político de formas separadas, bem naquele estilo do “se não me atinge, não vou me mexer contra isso”, exceto claro, pela ativista política Edith Lyons. Entretanto, no desenvolvimento é possível perceber uma mudança de posição com relação aos personagens e como a política passa a interferir diretamente na vida de cada um deles.

    Years and Years é uma série distópica que tece críticas sociais e faz problematizações muito pertinentes com um elenco incrível (eu realmente queria descer a porrada na cara da Viviene Rock).

    A série é provocativa e nos convida a traçar os paralelos do futuro com o que estamos de fato vivendo agora e refletir, sobre o caminho que a humanidade está buscando para si e sobre nosso papel.




    Years and Years

    1. Uau, simplesmente chocada! Basicamente uma visão da Raven no nosso futuro se as coisas continuarem como estão. Estou impactada com o enredo e simplesmente quero muito assistir!
      Beijo
      https://www.capitulotreze.com.br

      ResponderExcluir
    2. AMEI essa premissa e é uma série tão curtinha, com um elenco bom, já quero conferir. HBO arrasa mesmo!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    3. Ola!
      Parece ser muito boa a serie e de fato o elenco ta foda de misto. Pessoalmente a trama em si nao e o que eu costumo consumir mas a dica esta anotada sem duvidas.

      Abraços
      David
      http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    4. Pode.
      Sabe que eu adoro séries distopicas. Na verdade eu amo distopia em si. Gostei bastante da sua proposta, e acho muito pertinente para os dias atuais. Acho que não é atoa que a HBO é minha favorita em séries.
      Adorei sua resenha.
      Beijos.
      Fantástica Ficção

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.