Resenha: Querido ex,

  • 09:00
  • 18 de set. de 2019

  • Resenha: Querido ex,

    Cheguei em “Querido Ex,” numa daquelas listas de promoções da Amazon que o perfil @SemSpoiler posta no Twitter e resolvi apostar. Adoro livros nacionais e principalmente quando a história acontece no Brasil; histórias e casos que poderiam ser reais dentro da nossa realidade brazuca. E quase foi uma experiência frustrante.

    Sinopse: Este livro reúne as cartas Dele, um jovem gay, cuja vida está sendo definida por um catastrófico acontecimento: seu ex namorado virou, da noite para o dia, a maior celebridade do país. Por mais que tente, de todas as formas, fugir da memória e imagem do seu (não tão querido) ex, ele continua sendo perseguido por ela onde quer que vá. Nos outdoors? Ele está lá. Na televisão? Ele está lá. No Instagram? Ele está lá também. Como se livrar de um passado que insiste em ser seu presente? "Querido ex," é um registro do luto, caos e poder que vem com o fim de um relacionamento abusivo. As dificuldades da vida acadêmica, a solidão, os encontros entre o racismo e a homofobia e a dor e libertação do descobrir a si mesmo são colocados no papel, enquanto Ele refaz os caminhos pelos quais se perdeu, enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores.

    No início de cada capítulo tem um trecho de alguma canção que combina com o conteúdo que virá adiante e por isso antes de começar o e-book, tem um link de uma playlist que o autor recomenda que seja ouvida durante a leitura. Achei a ideia legal, nunca tinha visto isso antes, porém não consigo prestar atenção na leitura se estiver ouvindo música então rejeitei a sugestão.

    O livro é feito em formato de cartas, ou seja, cada capítulo é uma carta que o protagonista escreve para o “Querido Ex”; o curioso é que nenhum dos dois são nomeados no livro, então vou tratá-los aqui por Protagonista e Querido Ex.

    As primeiras cartas acontecem alguns meses após o término do relacionamento entre os dois. Dá pra perceber traços de muita revolta do protagonista, algo normal, principalmente porque os fatos que ele relata são típicos de uma relação abusiva. Anulação de uma das partes da relação é o que deixa isso mais explícito. Além disso, o fato de o protagonista ser negro também traz o tema do racismo à tona.

    O protagonista se sente anulado pelo querido ex, que se sente “o gostosão” e como se não bastasse, o cara ainda é convidado para participar de um reality show. Eu gosto desse enredo e teria gostado mais, mas a forma de escrita também não me agradou; senti que em muitos momentos as palavras poderiam ter sido melhor escolhidas. Apesar de a escrita ter deixado a desejar, o livro tinha só 203 páginas e não ia me custar nada continuar a leitura, eu tive esperanças de que ia melhorar.

    “Passei dois anos tentando me encaixar em você, na sua vida, nos seus planos, nos seus desejos, e do que adiantou? Você saiu em paz mas me deixou em pedaços.’”

    As cartas tiveram uma evolução, no começo parecia um adolescente rebelde querendo “lacrar” num post do face, mas depois o personagem foi compreendendo melhor sua relação e a si mesmo. Entretanto, quando chega no meio do livro, ele tem umas recaídas nessa postura de adolescente mimado e isso me irritou um pouco. Quando eu pensava “agora vai!”, o protagonista regredia e voltava a parecer um mala sem alça muito imaturo.

    Acontece que o livro finalmente embala depois que o protagonista começa a contar sobre como ele também contribuiu pro fim do relacionamento, já que nas primeiras cartas a sensação que fica é de que ele era o “namorado perfeito” e o querido ex era um tremendo de um babaca. E isso também me irritou, a gente sabe que uma relação nunca termina por conta de um lado só, se olhar bem de perto, todo mundo erra um pouco.

    Resenha: Querido ex,

    As cartas contam não só sobre como o protagonista se sentia em relação ao querido ex, mas falam também sobre o dia-a-dia do personagem, sobre como ele se sente em relação às outras pessoas que estão ao seu redor. Ele inclusive começa a relatar como tem sido conhecer outra pessoa. Essa parte eu me identifiquei muito, porque depois de uma relação falida, você começa mesmo a traçar comparativos para ver se não está caindo no mesmo erro, rs.

    O fim do livro é uma reviravolta total, vários fatos antes não ditos são colocados à mesa e no último capítulo o meu ar sumiu.

    Em resumo, Querido Ex, é daqueles livros que começam meio mornos e vão embalando com o passar dos capítulos e por conta da linguagem fácil, nem pensei em desistir. Juan conseguiu encerrar a história com um final surpreendente, o que pra mim foi o que salvou o livro de não ser uma decepção completa.
      
    Título original: Querido Ex,
    Autor: Juan Jullian
    Editora: Transversal
    Gênero: Romance LGBTQ+
    Nota:

    1. Oi meninas!
      Caramba, eu tinha visto muitas resenhas sobre a obra mas confesso que nenhuma com 3 estrelas. Essa foi a primeira. Não me animei muito não. Achei a sinopse bem generica e o protagonista, não sei, não simpatizei KKKK.

      Abraços
      Emerson
      https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Emerson! Nossa, eu sou meio exigente, e quando acho que a linguagem não está tão rica o quanto poderia, isso me deixa meio broxada, rs. Mas é um bom livro, da metade pro fim, ele melhora bastante.

        Excluir
    2. Oi, Luiza.
      Eu já tinha visto alguma coisa sobre esse livro no twitter.
      O pessoal estava em polvorosa elogiando e dizendo que era leitura obrigatória.
      Eu fiquei bem curiosa, até porque era muita gente falando bem, mas agora após ler a tua resenha, já fiquei com o pé atrás e acho que não vou curtir a leitura, não.
      Só o fato de o protagonista por vezes se parecer um adolescente mimado, já faz com que eu desanime. Mas vamos ver, quem sabe mais para frente eu acabe lendo.

      Beijão.

      Books and Movies
      www.booksandmovies.com.br

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Hahaha. Acho que o hype veio com a bienal e porque de fato não existem muuuitas obras LGBT, no fim, a galera fica meio sem opções de obras pra se identificar.

        Excluir
    3. Eu gosto bastante desse formato, que trazem cartas, bilhetes, acho que nos deixa mais próximo dos personagens. E esse é todo escrito em cartas. Gostei da sugestão da playlist, mas não leria escutando.
      Apesar de gostar do formato a história não me chamou muito a atenção.
      Beeijoo!!!

      Grazy Carneiro
      Meus Antídotos

      ResponderExcluir
    4. Olá,
      Eu baixei esse e-book nos grátis graças ao Crivella. E ainda quero ler porque é curtinho, mas desanimei um pouco porque não fui com a cara do protagonista hehe.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    5. Ahh bom saber que a leitura embala depois pra não desistir no meio do caminho. Confesso que tb não leio ouvindo música, prefiro o silêncio rsrsrs

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    6. Olá
      Gosto muito de livros que trazem cartas, bilhetes no meio da história mas não sei se leria por conta do personagem ser muito mimado as vezes
      Beijos
      https://focadasnoslivros.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    7. Olá...
      Que livro mais legal! Amei esse título kkkk...
      Adoro livros mais leves assim e o fato do livro ir evoluindo é muito atrativo também. Gostei de saber que o final é surpreendente...
      Já quero ler!
      Bjo

      http://coisasdediane.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.