Resenha: Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah

  • 09:00
  • 27 de nov. de 2019
  • Resenha: Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah

    Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah é o mais recente título do autor Jeff Zentner. Publicado aqui pela Editora Seguinte, que cedeu este exemplar para resenha, é uma história sobre amizade e companheirismo em suas mais variadas formas, e o quanto isso importa na vida de uma pessoa.

    Sinopse: Toda sexta-feira, as melhores amigas Josie e Delia se transformam em Rayne Ravenscroft e Delilah Darkwood, apresentadoras de um programa de terror exibido em um canal da TV local. Com o final do ensino médio se aproximando, Josie precisa decidir se vai mudar de cidade para estudar em uma universidade grande e ir atrás de seu sonho de seguir carreira na televisão — mas isso significaria ficar longe de sua melhor amiga… Enquanto isso, Delia sonha que seu pai, um fã de filmes de terror que abandonou a família anos atrás, assista ao programa delas na TV e retome o contato. Em um fim de semana, as duas resolvem fazer uma viagem para a Flórida, onde vai acontecer a ShiverCon, a maior convenção do universo do terror e o lugar perfeito para conseguir um contrato com uma grande emissora. Mas pode ser que um jovem lutador de MMA, um produtor de televisão excêntrico e um basset hound idoso acabem transformando a vida dessas melhores amigas de uma maneira inesperada.

    A história acompanha essas duas melhores amigas: Josie e Delia. Elas têm um programa na TV local onde assistem filmes de terror trash antigos e interpretam duas vampiras centenárias analisando cenas, comentando sobre coisas da vida e lendo cartas que as pessoas enviam para o programa (menos dos tarados, esse elas deixam de lado).

    Quando uma oportunidade surge para que as duas se apresentem a um famoso produtor de programas de terror numa convenção na Flórida, elas resolvem se arriscar. Mas, para cada uma delas, os riscos individuais são maiores: Delia pode estar prestes a aproveitar essa viagem para encontrar o pai que a abandonou anos atrás, e Josie tem uma chance de fazer essa parceria com o produtor dar certo, ou será forçada a aceitar um estágio numa faculdade longe da cidade.

    Sabe quando o livro fala com você? Quando a mensagem que ele passa toca fundo no seu coração e te deixa chorando sem você perceber? Quando as personagens são tão parte de alguma coisa que você já viveu, quando se reconhece nos medos e esperanças delas? Foi minha experiência de leitura com esse livro.

    O Jeff já tinha me conquistado em Juntos Somos Eternos com sua narrativa cheia de carisma e de personagens encantadores. Aqui ele foi além, me emocionando com uma história forte sobre amizade, solidão e família.

    Acredito que cada pessoa tem direito a cinco ou seis dias perfeitos na vida. Dias sem nenhuma nota fora do tom nem incômodos, dias que vão amadurecendo como um pêssego na memória com o passar dos anos. Sempre que você o morde, ele é doce e suculento.

    De um lado temos Josie, que tem uma família estável e um futuro cheio de expectativas. Ela quer trabalhar na TV e esse programa que faz com Delia é uma das melhores oportunidades que teve para testar seus conhecimentos, ainda que não pareça exatamente o melhor futuro para ela. Toda a situação da convenção e da chance de continuar fazendo o Sessão da Meia-Noite surgem em um momento em que Josie está se questionando sobre seus próprios sonhos, tentando entender onde Delia entra neles; como continuar com eles sem perdê-la.

    Resenha: Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah

    Do outro lado, Delia vive essa montanha-russa de emoções em relação ao abandono do pai - se por um lado ela tem muita raiva, por outro quer entender qual foi o motivo. Se foi ela, a mãe, os problemas de casa. Por que ele resolveu abandoná-las quando mais precisavam e se escondeu delas desde então? Josie e o programa são as duas coisas estáveis em sua vida, mas mesmo eles parecem a ponto de desmoronar se Delia não fizer as escolhas certas.

    Às vezes, coisas pequenas e não espetaculares podem conter um universo.

    Eu gostei tanto de ambos os pontos de vista que é até difícil me expressar. Josie é muito mais centrada que Delia, mas também é muito mais privilegiada para poder ter essa postura firme e decidida. Enquanto Delia é toda carregada em medo e fragilidade pelo abandono - e isso reflete na maneira com que ela lida com os problemas que aparecem - Josie faz o possível para apaziguar, mas o privilégio de ter uma família e uma casa e uma vida onde seus sonhos impossíveis não são tão impossíveis assim a afasta um pouco da vivência da melhor amiga.

    Ao mesmo tempo em que elas se entendem muito, elas diferem em muita coisa também. A personalidade arredia de Delia é distante da contida de Josie. O modo como Delia lida com as inconstâncias do programa e do que farão caso não dê certo com o produtor lá na convenção é bem diferente do medo que Josie tem caso precise cumprir uma promessa feita aos pais.

    - Seria muito fácil pensar que dá para se proteger de se magoar simplesmente não amando ninguém. Meio como dá para evitar ser atropelado por um ônibus se você nunca sair de casa. Mas isso não é jeito de viver. É melhor amar as pessoas e se magoar. Ninguém nunca diz no leito de morte que gostaria de ter amado menos gente.

    A amizade das duas é ainda mais poderosa e intensa por isso. Elas são irmãs de famílias diferentes, almas gêmeas em muitos detalhes. Elas são atenciosas, carinhosas, extremamente bem humoradas uma com a outra. Elas fazem o possível para se entender, mas tem certos caminhos que precisam trilhar sozinhas - e a mensagem do livro é justamente essa. Quando se ama alguém e essa pessoa te ama de volta, nunca se está sozinho.

    Eu chorei tanto, gente. Mas tanto. O livro não é triste, mas tem seus momentos melancólicos. É divertido ao extremo, mas também abre espaço para falar dos problemas de crescer e ter que encarar o mundo, como isso se configura em medos distintos em pessoas distintas e como esses medos podem ser superados. É um livro poderoso, do tipo que todo mundo deveria ler; fala sobre a juventude e suas peculiaridades, sobre amores juvenis e sobre amizades inquebráveis. Fala com você e sobre você sem que perceba.

    Resenha: Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah

    Outros personagens incríveis também têm importante participação no decorrer do livro, tal como Arliss, o câmera rabugento e divertido que também é dono do estúdio onde as garotas gravam o Sessão da Meia-Noite. Lawson, um garoto que sonha em se tornar lutador profissional de MMA e está trilhando seu caminho quando esbarra nas garotas, principalmente em Josie, por acaso - e acaba se aproximando mais do que ambos esperavam (formando um ship MUITO FOFO E ADORÁVEL TODO TRABALHADO NO SARCASMO E NAS CENAS AWKWARD). A mãe de Delia, que lida com o abandono do pai dela de maneira diferente, mas igualmente abalada - mas que é uma presença tão importante para a filha.

    Delia e a mãe, aliás, protagonizaram uma das cenas que mais me fez chorar na história da literatura.

    A edição da Seguinte tá uma coisa lindinha, com tradução e diagramação no ponto certo e essa capa que trouxeram da edição gringa que é a coisa mais LINDA do mundo.

    É bom que as coisas acabem. Isso obriga você a amá-las furiosamente enquanto as tem.

    Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah é outro livro para adicionar na lista das histórias que me fizeram rir e chorar e me fizeram entender o quanto pertenço ao mundo e o quanto mereço vivê-lo. Um livro para o seu coração.

    Título original: Rayne & Delilah's Midnight Matinee
    Autora: Jeff Zentner
    Editora: Seguinte
    Tradução: Guilherme Miranda
    Gênero: YA | Comédia | Drama
    Nota: 5+
    Skoob


    1. nossa é incrível quando a gente se relaciona tão intimamente assim com o livro, sua história, personagens... gostei mt de conhece-lo e fiquei curiosa em ler...

      www.tofucolorido.com.br
      www.facebook.com/blogtofucolorido

      ResponderExcluir
    2. Olá...
      Desde que li DIAS DE DESPEDIDA me tornei fã desse autor, seus livros conseguem me tocar diretamente no coração! Ainda não li esse em questão, mas, já está nos desejados e pretendo comprá-lo o mais rápido possível, ainda mais depois de seus excelentes comentários sobre a obra!
      Dica anotadíssima!!!
      Bjão

      http://coisasdediane.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    3. Oi De, vou te contar que não tinha interesse no livro, mas depois dessa resenha eu agora tenho. Deu pra ver que o livro mexeu com você, também quero esses sentimentos rsrsrs

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.