Resenha: Lágrimas de amor e café

  • 09:00
  • 11 de fev. de 2020
  • Resenha: Lágrimas de amor e café

    Lágrimas de Amor e Café, o mais novo romance de época da Babi A. Sette, nos foi cedido para resenha pela editora Verus. Fui com zero expectativas para o livro e vem ver o que eu achei.

    Sinopse: Fragilizada pela morte da mãe e a miséria na Itália, Angelina aceita a proposta de um estrangeiro rico que oferece não só casamento, mas também conforto para seu pai e sua irmã caçula. Decidida a ajudar a família, ela embarca para um país distante tendo como companhia somente a escrita e os romances que ama, já que durante a viagem o marido se revela muito diferente do príncipe que sonhou um dia conhecer. Vincenzo também tem o Brasil como destino e, por uma traição, vê seus sonhos roubados logo que desembarca no novo país. E é na fazenda de um barão do café, onde Angelina é senhora e também vítima do marido cruel, que Vincenzo acaba achando trabalho. Em meio a encontros e conversas nasce entre ambos uma amizade verdadeira e uma paixão secreta que pode colocar em risco não apenas a vida deles, mas também a segurança de outras pessoas. Vincenzo e Angelina teriam coragem o bastante para esquecer as proibições, passar por cima dos perigos e viver esse grande amor? 

    A obra conta a história de Angelina, uma jovem italiana abalada após a morte da mãe e com muitas dívidas familiares. Ela vive com a irmã e o pai, até que um barão rico estrangeiro aparece e promete a ela um bom casamento e uma vida de conforto para ela e a família. Assim, ela parte para o Brasil, para morar em uma das fazendas de café do Barão. Ele é um homem muito distante, viaja muito cuidando das propriedades e não chega nem perto do que eu classificaria como bom marido.

    Ele maltrata muito Angelina, fiscaliza absolutamente tudo que ela faz, desde as cartas a família até com quem ela convive e isso nem é o pior. Ele agride ela diversas vezes física e psicologicamente.


    Chamar Pedro de cavalo era sem dúvida uma ofensa enorme. Contra os cavalos, é claro.

    O único conforto naquela casa para a jovem Angelina é por muito tempo a Dona Isabel, governanta da casa, que em pouco tempo conquista a confiança da moça e começa a ajudá-la em diversas peripécias para a menina não morrer de infelicidade. Dona Isabel se torna como uma mãe para Angelina, a filha que Dona Isabel nunca teve, já que perdeu seu bebê quando nova.


    Resenha: Lágrimas de amor e café


    Depois de algum tempo na fazenda, Angelina começa a se envolver com outro personagem que já tinha sido nos apresentado. O doce Vicenzo veio também da Itália com o sonho de uma vida melhor; pretendia abrir seu próprio restaurante. Mas teve seus sonhos frustrados com um roubo no início da sua aventura no Brasil, logo ao desembarcar do navio. Isso o obrigou a ir procurar um emprego na fazenda do marido de Angelina.

    Vicenzo já tinha visto a moça no navio e teve um amor a primeira vista, mas ao se aproximar de Angelina, se apaixonou de verdade pela moça e ela por ele. Nessa altura do livro, eu já estava envolvida, mas até por volta da página 70, eu não tinha a mínima vontade de continuar. As atrocidades do barão me davam nojo e eu só queria jogar o livro longe. Aos poucos o livro foi me conquistando.


    Resenha: Lágrimas de amor e café


    A cada início de capítulo, é citado o sobrenome de uma família italiana. Gostei do detalhe, mas achei que ficou um pouco perdido, apesar de combinar totalmente com a temática de imigrantes italianos. Um ponto que foi uma grata surpresa foi a história se passar na cidade onde eu moro.

    Até dado momento, só segui a leitura por isso, confesso. Por conhecer um pouco da história da cidade, entendo o por quê da escolha da historia se passar aqui. Mas tinha muito mais a ser explorado, gosto quando a história reflete um pouco a realidade e a autora explora isso. É fato que Itatiba foi povoada por italianos que vieram em busca de uma vida melhor aqui na América do Sul e a autora refletiu bem as condições que esses colonos viveram aqui nas fazendas de café. Ela poderia ter deixado algumas partes um pouco mais arrastadas de lado e explorar um pouquinho mais, sem tirar o foco do romance, obviamente. 


    Durante boa parte do livro, tudo que eu tive foi dó da Angelina de passar tudo aquilo na mão do barão. Ela merecia muito ser feliz, mas eu não conseguia ver um fechamento feliz nessa história, eu sentia tudo dando muito errado na vida dela.

    Acho que até por isso não sofri tanto, era um pouco previsível que tudo fosse dar errado em dado momento. Senti falta de um alívio cômico na história, ficou tudo muito carregado, eu realmente precisava de um alívio nesse livro. Não é arrastado de ler, tanto que em determinado ponto, eu não conseguia parar para fazer anotações no meu diário de leitura para essa resenha. Mas eu terminei o livro precisando de um abraço e um livro bem leve pra ler em seguida. 


    Título original: Lágrimas de amor e café
    Autora: Babi A Sette
    Editora: Verus
    Gênero: Romance de época
    Nota: 4
    Skoob

    1. Oi Raquel, adoro a capa desse livro e gostei da sua resenha pois eu imaginava isso mesmo sentir falta de um alívio cômico na história tanto que ainda não comprei esse livro, apesar de ter vontade de um dia ler.

      Bjs
      Instagram: @luiza_ep
      Blog:https://eternamente-princesa.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Luiza,
        O livro não é ruim, mas realmente precisa de um alívio cômico. É bem pesado, mas ainda assim recomendo ler se você tem vontade.
        Beijos

        Excluir
    2. Oi, Raquel
      Li somente dois livros da autora que eu gostei bastante, mas acabei perdendo interesse pelas suas obras. Tentei ler um romance contemporâneo dela e não rolou, então não sei se leria esse.
      Beijo
      https://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Miriã
        É o primeiro livro que leio dela, então não posso opinar sobre outros. Mas acho que eu leria sim outras obras dela, sem problemas
        Beijos

        Excluir
    3. Oi Raquel, eu tb achei que a autora fez uma boa ambientação e tb senti muita pena da protagonista. Só não curti tanto que o mocinho se apaixonou muito rápido, olhou a protagonista e já estava amando. Mas fora isso, eu gostei da história e do desenvolvimento do romance.

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Mi,
        Insta love as vezes me incomoda, mas não me despertou muito esse problema. Realmente me apego mais ao casal quando o romance é mais lento, mas em alguns casos, é bom não se apegar ao casal rs
        Beijos

        Excluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.