Li até a página 100 e... #104 - Blood and Sand

  • 09:00
  • 8 de abr. de 2020

  • Autora: C.V. Wyk
    Editora: TorTeen
    Número de páginas: 320

    Primeira frase da página 100:

    "Attia bufou em irritação."

    Do que se trata o livro?

    Blood and Sand é uma releitura da história do gladiador Spartacus, que já ganhou adaptações no cinema e na televisão e até mesmo na literatura. Aqui, no entanto, a autora reimagina sua jornada se Spartacus fosse, na verdade, uma mulher. Attia, uma jovem de dezoito anos, viu seu lar ser conquistado pela tirania romana e agora, feita escrava deles, busca vingança.

    O que está achando até agora?

    Sensacional! Como todo mundo já deve estar careca de saber, Spartacus é nossa religião aqui no blog. Nós vivemos e respiramos a história (a série principalmente) então ter um genderbent de algo que amamos é uma experiência de leitura fabulosa. A narrativa da Wyk é muito gostosinha de acompanhar, seus personagens são vivos e cheios de personalidade (Attia e Xanthus são os protagonistas, mas tem muitos coadjuvantes interessantes recheando a história principal), a ambientação, as lutas, a arena, é tudo muito familiar e incrivelmente bem trabalhado.

    O que está achando do personagem principal?

    Attia e Xanthus dividem o protagonismo e é bem legal de acompanhar porque eles são opostos de um mesmo meio - ambos escravizados pelo ludus, Attia busca vingança enquanto Xanthus quer justiça. Ela é radical, furiosa e não mede esforços pra derramar o sangue que tirou tudo que lhe pertencia; ele viveu à sombra da escravidão desde criança, foi forçado a horrores como gladiador para sobreviver - até se tornar o Campeão da arena - então os embates entre eles são muito bem trabalhados. E, claro, tem uma faísca de romance ali que é um slow burn bem delícia de seguir.

    Melhores quotes até a página 100:

    "Ela imaginou se a História se lembraria do genocídio dos Maedi, da aniquilação do seu povo. Pouco provável, ela pensou. A História obedece os vencedores. Roma victrix."

    "Eu não sou nada. Ninguém. Nem um nome e nem um som. Não existo mais. Restou apenas o fantasma da Trácia."

    "Eles não eram gladiadores, eram entretenimento - seu único propósito era morrer em meio a sangue e areia."

    "Talvez nessa casa, nessa prisão, os dois quisessem uma mesma coisa impossível: ser apenas um homem e uma mulher de pé, libertos, em meio à chuva."

    Vai continuar lendo?

    Se vou! Essa história é tudo e mais um pouco que eu poderia pedir numa releitura de Sparty.

    Última frase da página 100:

    "Valeria perguntou, olhando para seu reflexo mas claramente se dirigindo à concubina."

    1. Oi Denise, eu não conhecia o livro, gostei que é baseado no Gladiador, já adorei a premissa!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    2. Olá, Denise.
      Eu não assisti a série porque achei meio violenta. Mas ontem terminei Gosdgrave e agora acho tudo levinho hehe. Achei muito legal essa leitura com a personagem sendo uma mulher e se trazerem para cá vou querer ler.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    3. Oi, Nizz!
      Socorro que a Attia parece muito com a Mia, sedenta por sangue.
      Lembro de ter começado a assistir a série, mas nunca terminei...
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    4. Curto muito seus posts, são muito bem criativos e interessantes.. Sempre estou aqui lendo e compartilhando com minhas amigas...

      Beijos 😘.

      Meu Blog: resultadopernambucodasorte.net

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.