Resenha: As Elizas

  • 09:00
  • 30 de jul. de 2020
  • Resenha: As Elizas

    As Elizas é um thriller psicológico escrito por Sarah Shepard, mesma autora da aclamada série Pretty Little Liers. Publicado pela editora Harper Collins, o livro promete uma trama cheia de mistérios e surpresas.


    Sinopse: Quando a escritora estreante Eliza Fontaine é encontrada no fundo da piscina de um hotel, sua família acredita ter sido mais uma tentativa de suicídio fracassada. Mas Eliza jura que foi empurrada, e sua única testemunha é quem a salvou. Desesperada para encontrar o culpado, Eliza toma para si a investigação do caso. Mas, conforme a data de lançamento do seu primeiro livro se aproxima, ela se vê com mais perguntas do que respostas. Por que a editora, agente e a família estão misturando os acontecimentos de sua vida com os de seu livro? Ele não é totalmente ficcional?

    Eliza inicia a história no hospital após o que sua família considera ter sido mais uma de suas tentativas de suicídio. Mas ela tem certeza de que não tentou se matar. E, se isso for verdade, como então foi parar no fundo daquela piscina?

    Esse é o plot principal de toma a trama, entender o que - ou quem - levou Eliza a se afogar. Mais do que saber se alguém de fato tentou matá-la, é preciso descobrir por quê iriam querer fazer isso. 

    Sendo uma potencial (ou seria oficial) alcoólatra e com o histórico suicida que carrega, é muito difícil convencer sua família a ficar do seu lado. O sentimento de proteção por parte de seus pais e irmã é grande, principalmente porque Eliza se recuperou de um tumor no cérebro a menos de um ano.

    De acordo com os médicos, o tumor era aquilo que lhe impulsionava os instintos suicidas, estes sempre acionados pelo medo e a sensação de perseguição. Suas recentes falhas de memória e o sentimento de estar em perigo se assolam a intuição de que sua família possa estar escondendo coisas sobre sua vida. Tudo isso contribui para um estado geral de paranoia e confusão, que é onde Eliza se encontra ao decorrer do livro.

    Em paralelo a tudo isso, somos apresentados As Dots, livro escrito por Eliza e que está prestes a ser lançado. Na história conhecemos Dot e Dorothy, uma criança e sua amada tia, que precisam lidar com as crises de convulsão que a menina vem sofrendo e as quais os médicos não conseguem identificar a fonte. 


    Resenha: As Elizas

    Dorothy é uma personagem romantizada pelos olhos ingênuos da sobrinha, quase um ser fantasioso de tão fantástico que é. Dot por sua vez é alguém entregue à paixão pela figura da mulher mais velha, não há ninguém que ela ame mais no mundo.

    Para um livro que se divide entre a vida e Eliza e a de suas personagens, é importante notar que o livro dentro do livro é infinitamente mais interessante do que a trama que acontece em tempo real. Os mistérios que envolvem as Dots e que depois escorrem para a realidade de Eliza, são um prato cheio para o leitor se deliciar.

    Com um começo lento e confuso, a história vai tomando uma crescente e a cada novo detalhe sendo acrescentado à história das Dots é um novo passo no grande mistério que é a vida de Eliza. Até o momento que ficção e realidade se encontram de maneiras inesperadas, e tudo o que era real pode não ter mais sentido. A verdade pode ser mais fantasiosa que a própria ficção.

    As Elizas é um livro lento e que te prende sem que você perceba. Não conseguia parar de ler, mas não sentia como se realmente me importasse ou tivesse me apegado. Ainda não sei como me sinto quanto a ele, eis meu nível de confusão. Mas foi uma boa leitura, me manteve entretida.

    Por fim, gosto particularmente do final. E de como todas as dicas estavam lá o tempo todo. Pontos por isso, foi uma grata (nem tão) surpresa!

    Título original: The Elizas
    Autora: Sarah Sheppard
    Editora: Harper Collins
    Tradução: Eliza Nazarian
    Gênero: Thriller psicológico
    Nota: 4

    1. Oi, Eduarda!
      As Elizas é um livro que está na minha lista de futuras leituras, e mal vejo a hora de lê-lo! Amo a escrita da autora e acho que ela sabe muito bem conduzir um mistério e deixar o leitor maluco hahaha
      Amei sua resenha!

      Estante Bibliográfica

      ResponderExcluir
    2. Olá, Eduarda.
      Eu li esse livro na época que lançou e gostei bastante. Eu gosto desse estilo de livro de suspense onde o narrador não é confiável. E concordo que a história das Dots foi mais interessante.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    3. Eu só lembro de Hamilton vendo o título desse livro kkkkkkkkkkkkkk
      Enfim... não é um livro que me desperta muito atenção
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    4. Oi Eduarda, tudo bem? Quem leu no blog foi a Nat e ela gostou bastante. Acho que te entendo porque às vezes o livro é bom mesmo quando a gente não se envolve tanto rsrsrs

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    5. Oi Duda
      Quando esse livro lançou vi muita gente comentando sobre ele, mas infelizmente thriler não é a minha praia. Para eu ler o gênero tem que ser algo que me prenda, agora se o ritmo é lento, é mais difícil disso acontecer :/
      Beijo
      http://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir
    6. Oiii Eduarda

      Eu lembro que quando li esse livro também me senti assim, não sabia se tinha gostado ou não ja que eu não me importava com os personagens, mas ao mesmo tempo me prendia sem perceber, seguia lendo e lendo. Acho que o ritmo lento até que foi necessário nessa história, mas honestamente ja me sinto um pouco cansada da narrativa da Sara Shepard, parece que ela sempre meio que repete a fórmula em seus livros e eu queria que ela surpreendesse com uma estória diferente.

      Beijos, Ivy

      www.derepentenoultimolivro.com

      ResponderExcluir
    7. Oi! A autora gosta de escrever livros com certa dose de mistério e este está na minha lista faz um tempinho, adoro histórias onde não dá para confiar em nada e nem em ninguém.
      Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    8. Olá Eduarda,
      Que interessante sua resenha. Não conhecia o livro mas confesso que não me animou muito. Acho interessante ter uma segunda história dentro da trama principal, mas acredito que isso que me incomodaria um pouco. Mas, certeza só lendo.

      Beijo!
      www.amorpelaspaginas.com

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.