Resenha: Malorie

  • 09:00
  • 21 de ago. de 2020
  • Resenha: Malorie

    A sequência do aclamado Caixa de Pássaros, do autor Josh Malerman, chegou aqui através da Editora Intrínseca. Doze anos depois dos acontecimentos do primeiro livro, nos encontramos novamente no apocalipse onde abrir os olhos pode significar o fim de tudo; e eu só posso dizer uma coisa sobre o que foi essa leitura: UAU.


    Sinopse: Doze anos se passaram desde que Malorie e os filhos atravessaram o rio com vendas no rosto, mas tapar os olhos ainda é uma regra que não podem deixar de seguir. Eles sabem que apenas um vislumbre das criaturas pode levar pessoas comuns a uma violência indescritível. Ainda não há explicação. Nenhuma solução. Tudo o que Malorie pode fazer é sobreviver... e transmitir aos filhos sua determinação. Não se descuidem, diz a eles. Fiquem vendados. E NÃO ABRAM OS OLHOS. Quando eles tomam conhecimento de uma notícia que parecia impossível, Malorie se permite ter esperança pela primeira vez desde o início do surto. Há sobreviventes. Pessoas que ela considerava mortas, mas que talvez estejam vivas. Junto dessa informação, porém, ela acaba descobrindo coisas aterrorizantes: em lugares não tão distantes, alguns afirmam ter capturado as criaturas e feito experimentos. Invenções monstruosas e ideias extremamente perigosas. Além disso, circulam rumores de que as próprias criaturas se transformaram em algo ainda mais assustador. Malorie agora precisa fazer uma escolha angustiante: viver de acordo com as regras de sobrevivência que funcionaram tão bem até então, ou se aventurar na escuridão e buscar a esperança mais uma vez.

    Esta resenha pode conter alguns spoilers do primeiro livro.

    Malorie e seus filhos, Tom e Olympia, finalmente encontraram um recanto seguro. Depois de um incidente na escola para cegos, que os forçou a tomar a estrada de novo, uma fazenda parece seu recomeço. Os dez anos que se passam ali, para Malorie, são de inconstância e terror absoluto. Para Olympia, de cuidado. Para Tom, de descobrimentos.

    Quando uma oportunidade de revisitar o passado bate à sua porta, literalmente, Malorie precisa fazer uma escolha. A de abandonar tudo para buscar quem acreditava estar morto ou de continuar ali, naquele lugar seguro e abandonado, para sempre. Quando ela decide partir, entende que essa será a viagem mais aterrorizante de toda a sua vida.


    - Mas o que é a loucura senão algo fora do comum?

    Esse livro foi uma montanha-russa de absoluto desespero, terror e insegurança. Fazia muito tempo que uma história de terror não me assustava e me enchia de medo como Malorie fez; vai além do terror psicológico, mexendo com o emocional e com tudo que você acredita a respeito daquele mundo apocalíptico.

    Com dezesseis anos desde que as criaturas mortíferas surgiram, Malorie desenvolveu muito senso do perigo. Ela é uma mulher extremamente forte e dura por isso. Para sobreviver, ela sabe que precisa deixar a gentileza e o coração no passado; ela já não sabe mais o que significa viver sem medo.

    Sem a venda.


    Resenha: Malorie

    Porque a vida nesse mundo destruído depende de olhos fechados e até mesmo de proteção extra; se as criaturas são capazes de enlouquecer com uma espiadela, quem garante que tocá-las não vai fazer o mesmo? Que ouvi-las não vai arruinar sua sanidade?

    São essas paranoias curiosamente sensatas que movem Malorie mesmo quando ela decide abandonar seu lugar seguro para seguir viagem com os filhos rumo ao desconhecido. Desconhecido esse que pode oferecer encerramento a questões do seu passado.


    Alguém roça seu ombro. Malorie se vira rapidamente e empurra, mas não toca em nada. Não há ninguém ali.

    Eu digo e repito que Malorie é uma das melhores personagens femininas que já li. Brutal e carismática dentro dessa brutalidade; feroz e destemida em meio a todo o medo que sente.

    Em contraponto aos seus capítulos carregados em medo e incerteza, temos Tom e Olympia. Agora adolescentes - deus me ajude - eles representam o oposto de tudo que Malorie é. Olympia traz calmaria e controle com sua presença, sempre a mediadora. Tom é questionador e experimentador, o reflexo invertido de tudo que Malorie mais preza.

    E enquanto é compreensível que Tom tenha se desenvolvido em meio a tanta curiosidade e vontade de descobrir e entender, é de fazer arrancar os cabelos em frustração o quanto ele é desobediente e explosivo frente a Malorie. Sim, eu entendo que ele é um jovem num mundo condenado, e que adolescentes tendem a querer saber de tudo e responder Sim para todos os Não que recebem.


    Malorie não sabe se aranhas enlouquecem. Mas encontrou teias no acampamento tecidas em padrões inquietantes, sugerindo que algo fora visto, que algo estava próximo.

    MAS É A PORRA DO APOCALIPSE E ESSE GAROTO QUER ENTENDER AS CRIATURAS QUE ACABARAM COM A HUMANIDADE, SABE?

    Devo ter empatia? Claro que não.

    Ainda mais quando o autor explora tão bem os terrores da Malorie e os motivos para ela ser tão protetora. Minha empatia sempre vai estar com a mãe que sacrifica tudo e mais um pouco para criar e proteger seus filhos em meio ao absoluto caos.

    Do prólogo mostrando o porque eles precisaram abandonar a escola para cegos até o final, atravessando território desconhecido em uma locomotiva cega, explorando lugares abandonados que talvez não estejam tão vazios assim, Malorie é uma experiência para aterrorizar.


    Se a visão delas nos enlouquece... O que o som que fazem pode causar?

    É daquele tipo de livro que quanto menos você souber, melhor vai ser sua experiência. Por isso a minha resenha fica por aqui, te convidando a voltar ao mundo vazio e escuro através da venda que foi construído em Caixa de Pássaros - agora, muito maior e mais claustrofóbico dentro dessa imensidão medonha.


    Título original: Malorie
    Autora: Josh Malerman
    Editora: Intrínseca
    Tradução: Alexandre Raposo
    Gênero: Terror 
    Nota: 5+

    1. Uau mesmo!! Minha nossa, impossível não ficar assustado, aterrorizado.
      Não li nenhum dos dois livros, e é mais por medo mesmo haha Isso sai totalmente da minha zona de conforto. Mas, mesmo não tendo lido, a curiosidade é imensa. Essa foi uma resenha incrível!
      Jardim de Palavras

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Melissa!
        Eu entendo a coisa de ter medo e não tentar ler, eu mesma com It UHAUHASUHASUHASUHAS mas vou me arriscar em Outubro pelo dia das bruxas :P
        Quem sabe um dia tu consegue ler esse!

        Beijos!

        Excluir
    2. Não tive muita vontade de Caixa de Pássaros, então nem passo perto de Malorie. Ainda mais que tem esse molequinho aí que eu também não teria nem um pingo de empatia
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Lu!
        Menina não tem CONDIÇÕES de aguentar adolescente turrão e teimoso em apocalipse, eu sinceramente teria empurrado pra cima das criaturas G_G

        Beijos!

        Excluir
    3. Oi, Denise

      Eu comprei o livro ontem nessa promo chinfrim da Amazon. Eu gostei bastante do primeiro livro e estou sedenta por esse. Já vou logo me preparando para passar raiva com Tom. E espero que a Netflix não adapte se for pra fazer merda igual fez com o primeiro. hahahahah

      Beijos
      - Tami
      https://www.meuepilogo.com

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Tami!
        Aiiiii se tu curtiu o primeiro provavelmente vai amar esse. Achei um 'closer' muito bem feito pelo autor pra Malorie.
        E nossa, sim. Eu gostei da adaptação ignorando o livro, mas não acho que vão chegar a altura, de novo.

        Beijos!

        Excluir
    4. Olá, Denise.
      O legal da gente ler várias resenhas é ver como cada um tem uma impressão diferente de cada livro. Eu vi algumas pessoas falando que amou o Tom e odiou a Malorie hehe. Eu não pretendo ler porque o primeiro livro foi um dos piores que li na minha vida. Fiquei esperando algo que não aconteceu e me frustei demais.

      Prefácio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Sil!
        Eu não ENTENDO como alguém pode não gostar da Malorie, um baita mulherão desses! E amar o Tom....................... choices demais. Can't relate UHASUHASUHASUHASUH
        Que pena que tu não curtiu :/

        Beijos!

        Excluir
    5. Oi Denise,
      Eu confesso que só assisti ao filme, não tive vontade de conferir a leitura de 'Caixa de Pássaros'. Mas quando "Malorie" lançou, eu até pensei em arriscar porque queria saber a como seria a tal continuação, mas como não é meu estilo, é quase certeza de que a leitura vai ficar pela metade, rs.
      beijos
      http://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Alê!
        Então, o filme é uma adaptação bem... Ruim UHASUHASUHASUHASUH eu gostei dele solo, mas pensando como roteirização do livro perdeu toda a essência da história. O que é uma pena porque vão adaptar Malorie né, e lá vem outra bomba.
        Se não é teu estilo tu provavelmente não ia gostar mesmo :/

        Beijos!

        Excluir
    6. Oi Denise! Eu gostei muito do primeiro livro e sempre quis ler uma continuação, mas admito que estou receosa de não me empolgar tanto quanto Caixa de Pássaros. A adaptação eu não assisti, prefiro guardar a história original. Ainda pensando sobre ler Malorie. Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    7. Amei a resenha. Eu estou doida para ler esse livro, e já estou pensando que o Tom não pode contar comigo para nada haha
      Quero muito ver o desenrolar da continução.
      beijos
      http://www.dearlytay.com.br/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.