Resenha: O Timbre

  • 09:00
  • 27 de set. de 2020
  • Resenha: O Timbre

    Na ansiedade de finalmente colocar minhas mãos no último volume da trilogia Schyte, do autor Neal Shusterman, publicado aqui pela Editora Seguinte, corri no Netgalley garantir minha cópia digital até o lançamento físico. E hoje a resenha é para falar sobre O Timbre.

    Sinopse: A humanidade alcançou um mundo ideal, em que não há fome, doenças, guerras, miséria… nem mesmo a morte. Mas, mesmo com todo o esforço da inteligência artificial da Nimbo-Cúmulo, parece que alguns problemas humanos, como a corrupção e a sede de poder, são igualmente imortais. Desde que o ceifador Goddard começou a ganhar seguidores da nova ordem, entusiastas do prazer de matar, a Nimbo-Cúmulo decidiu se silenciar, deixando o mundo cada vez mais de volta às mãos dos humanos. Depois de três anos desde que Citra e Rowan desapareceram e Perdura afundou, parece que não existe mais nada no caminho de Goddard rumo à dominação absoluta da Ceifa — e do mundo. Mas reverberações da Grande Ressonância ainda estremecem o planeta, e uma pergunta permanece: será que sobrou alguém capaz de detê-lo? A resposta talvez esteja na nova e misteriosa tríade de tonistas: o Tom, o Timbre e a Trovoada.

    Depois do encerramento trágico e impactante do segundo livro, nos encontramos no acerto de contas final de toda história. O Timbre é um final arrastado, mas com razão. É o tipo de livro que fisga justamente por ter entregado uma construção de mundo tão intensa, com personagens cheios de emoção, com escolhas que transformaram o mundo.

    Essa trilogia marcou com suas ideias inovadoras, se distanciando de muito do que já havíamos visto em histórias young adult do gênero. O Timbre pode ser mais lento do que A Nuvem, mas nem por isso fica atrás em questionamentos e debates e reviravoltas chocantes.

    É um final que encerra questões e deixa outras em aberto, como boas histórias como essa merecem. É um fechamento emocionante, que dá voz aos personagens queridos como Rowan, Citra e Greyson - Neal Shusterman faz com que nos importemos muito com cada um deles e deixa seus destinos em cheque na maior parte do tempo. Nunca dá para prever o que vai acontecer. Nunca dá para saber até onde a história vai caminhar.

    Resenha: O Timbre

    É complexo, revigorante. Um sopro de ar fresco nas trilogias atuais.

    O modo com que ele resolveu encerrar essa história, suas críticas, como deu um caminho inesperado para o vilão e como resolveu que "assim era a melhor maneira de dizer adeus" pode não agradar todo mundo, mas com certeza causa impacto. É um fim agridoce, mas o tipo que a história precisava.

    De modo geral, O Timbre cumpre o que seus antecessores haviam estabelecido e ainda abre margem para mais discussões e reviravoltas que ficam na sua cabeça mesmo depois de ler. É um livro intenso que consagra essa trilogia, como havia mencionado antes, como uma das melhores do gênero YA da atualidade.

    Título original: The Toll
    Autor: Neal Shusterman
    Editora: Seguinte
    Tradução: Guilherme Miranda
    Gênero: YA | Fantasia
    Nota: 5

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.