Resenha: Um Acordo Pecaminoso - Queria Estar Lendo

Resenha: Um Acordo Pecaminoso

Publicado em 17 de mai. de 2021

Resenha: Um Acordo Pecaminoso

O terceiro livro da série Ravenels, Um Acordo Pecaminoso, dá protagonismo à enérgica e criativa Pandora e, por um mal entendido que pode se romper num escândalo, a um duque cheio de personalidade e humor afiado. Ou seja: sim, essa resenha é um grande surto fangirl.

Conheça os volumes anteriores de Os Ravenels:

Não tem spoilers dos livros anteriores, só menções aos personagens que já passaram pela série.

O livro se inicia em um baile e uma confusão que se forma nele. Ao tentar resgatar um objeto perdido de uma amiga, Pandora acaba presa em um banco nos jardins - e quem a resgata dali é ninguém menos que o duque St. Vincent, Gabriel, um rapaz cheio de humor e de comentários impertinentes que se prova uma pedra no sapato de Pandora.

O motivo? Ele quer impedir que um escândalo se espalhe e arruíne não apenas a reputação de Pandora, mas de sua irmã gêmea Cassandra, que está debutando na sociedade. Pandora não se importa com escândalos ou reputação e principalmente com casamentos; ela quer a liberdade. Quer criar seus jogos de tabuleiro sem a pressão do casamento ou as algemas de um marido - mas entra em um embate por isso, afinal, é um escândalo que vai respingar em sua querida irmã.

Em meio a discussões e flertes, Pandora aceita o cortejo de Gabriel, mas jura aos céus que jamais irá se casar, não importa o quão sedutor seja esse duque.

- Você deveria ser um cavalheiro. 
- Tenho lapsos.

Só pelo fato de Um Acordo Pecaminoso trazer o clichê de "eu jurei nunca me casar e NÃO VOU" para a sua protagonista feminina, já teve todo o meu amor. Aí acrescente isso a um desenvolvimento cheio de picuinhas e provocações por parte dos dois, com aquele hate to love delícia, e eu morri do coração em muitos momentos.

Pandora é teimosa, determinada e, por isso, a pessoa ideal pra bater de frente com Gabriel - que é igualmente teimoso e determinado. Os dois se entendem em muitos pontos, mas discordam abertamente de outros; foi muito legal acompanhar o desenvolvimento da relação entre eles, desde os primeiros encontros desajeitados, com Gabriel percebendo que Pandora não é nada comum aos olhos da sociedade (com seu jeito estabanado, suas ideias mirabolantes e as poucas farpas na língua) até um princípio de amizade e flerte.

Resenha: Um Acordo Pecaminoso

A personalidade da Pandora é muito forte e muito bem trabalhada na história. Ela nunca abandona seus sonhos e suas vontades. Ela vê a misoginia na sociedade, na maneira como tratam as mulheres, e bate o pé porque não vai se deixar levar por isso. Ela vai trilhar o próprio caminho, vai renegar as tradições em prol dos seus sonhos.

Gabriel se apaixona por essa força e teimosia dela. E ela, pela presença compreensiva e amigável dele.

Ele não estava preparado para aquela moça, para aquela sensação, para aquela incerteza exasperante de que talvez não acabasse ao lado da única pessoa de quem precisava estar.

O duque pode parecer um libertino sem muita noção da vida, mas é um rapaz adorável quando Pandora começa a entendê-lo melhor. É atencioso, apaixonado pela família e pelo amor. É ele quem dá os primeiros passos para ceder - é quem entende tudo que ela sacrifica por sua posição como mulher na sociedade.

Eu amei a dinâmica e as cenas entre os dois. Onde tem humor, também tem muita safadeza - o cortejo entre eles vai de sorrisos a beijos e outras cositas mais em questão de alguns capítulos, tamanha química que salta das páginas. De todos os casais da série Ravenels, eles foram meus favoritos.

As questões que a autora trazem junto com a Pandora elucidam bastante o quão sofrível era a vida das mulheres, relegadas ao papel de objetos em um casamento (e aqui a gente só tá falando das mulheres da alta sociedade, né, que tinham muitos privilégios!). Traz discussões importantes sobre isso, não apenas com Pandora, mas com Kathleen e Helen em suas aparições, com a Dra. Garrett (que representa as pioneiras em papéis exercidos apenas por homens, como a cirurgiã brilhante que é). Enfim, é um romance de época com muito conteúdo social.

 Você entrou na vida dela como um raio. Qualquer pessoa se sentiria um tanto chamuscada.

Para quem está com saudade dos casais anteriores, temos aparições graduais e em cenas bastante importantes. Eles se desenvolvem junto com a trama e trazem bons acréscimos a ela - e que trama, aliás! Não apenas pelo cortejo e pelo relacionamento, mas tem até treta política no meio!

Um Acordo Pecaminoso foi minha última leitura de 2020, regada aos feels que Bridgerton me causou, e não poderia ter sido uma leitura melhor. Ravenels segue uma série muito queridinha, com personagens carismáticos e casais saudáveis e apaixonantes.

Sinopse: Lady Pandora Ravenel é muito diferente das debutantes de sua idade. Enquanto a maioria delas não perde uma festa da temporada londrina e sonha encontrar um marido, Pandora prefere ficar em casa idealizando jogos de tabuleiro e planejando se tornar uma mulher independente. Mas certa noite, num baile deslumbrante, ela é flagrada numa situação muito comprometedora com um malicioso e lindo estranho. Gabriel, o lorde St. Vincent, passou anos conseguindo evitar o casamento, até ser conquistado por uma garota rebelde que não quer nada com ele. Só que ele acha Pandora irresistível e fará o que for preciso para possuí-la. Para alcançar seus objetivos, os dois fazem um acordo curioso, e entram em uma batalha de vontades divertida e sensual, como só Lisa Kleypas é capaz de criar.

Título original: Devil in Spring
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Tradução: Ana Rodrigues
Gênero: Romance de época
Nota: 5

Se você gostou de Um Acordo Pecaminoso, também pode gostar da famosa série Os Bridgertons, da autora Julia Quinn.


5 comentários:

  1. Me sinto no dever de conhecer a escrita da autora hahaha. Os trechos e a resenha estão maravilhosos!!

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  2. Já ouvir que a escrita dessa autora é incrível. Adorei a sua resenha sobre esse livro já quero lê-lo.
    Beijos!
    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito da escrita da Lisa, adoro como ela coloca as temáticas sociais no meio das tramas, mas esse ganhou meu coração com a construção da Pandora - pela leitura, acredito que ela tenha algum grau de déficit de atenção e hiperatividade. É interessante ver esse traços sendo representados em um romance de época, geralmente personagens com tdah são sempre caricatas e pouco explorados...

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Esse post me fez lembrar que preciso criar vergonha na minha cara e dar continuidade a essa série kkkk...
    Li os dois primeiros volumes e gostei muito, mas, como a Pandora já era minha personagem favorita com toda aquela personalidade, acho que esse tem tudo pra ser o meu favorito da série.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Da autora só li um livro natalino super fofinho. Não era de época, mas simpatizei com a escrita.
    Quero dar uma chance aos de época, esse me interessou bastante. Gosto desse love/hate gostosinho.
    E esse nunca vou casar, só não é clichê comigo, pq não vou msm -q haha

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!



@QueriaEstarLendo