Resenha: Estilhaça-me

Demorei algum tempo para poder ler esse livro. É uma das distopias preferidas da Denise e ela vinha insistindo para que eu lesse há algum tempo. As distopias meio que me desapontaram com Jogos Vorazes, Divergente e A Seleção, mas resolvi dar uma chance.


Sinopse: Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.
Resenha: Estilhaça-me

Como já diz a sinopse, a história conta sobre a vida de Juliette, uma garota de 17 anos presa em um manicômio por um crime que só nos é revelado ao desenrolar da história. Juliette tem um dom poder, por assim dizer, e não pode tocar ninguém. O dom dela é letal.

O mundo dela está arrasado, os humanos destruíram a terra e uma organização chamada O Restabelecimento, com pontos em todo o mundo, há alguns anos, prometeu que poderia restabelecer a vida como os humanos a conheciam. Porém, como é a pedida das distopias, O Restabelecimento não é um governo bonzinho e reprimi a população do único jeito que a opressão parece funcionar: através do medo. Juliette está presa há três anos e a pelo menos um está sem qualquer contato humano no manicômio. Até a chegada de um misterioso companheiro de cela. 


Na ausência de relacionamentos humanos, eu criei laços com os personagens de papel. Vivi amor e perda por meio das histórias enredadas na história; experimentei a adolescência por associação. Meu mundo é uma teia entrelaçada de palavras, amarrando membro a membro, osso a tendão, pensamento e imagens todos juntos. Sou um ser composto de letras, uma personagem criada por frases, um produto da imaginação fabricado por meio a ficção.
Daí pra frente a história tem muito spoiler e eu não posso realmente lhes contar, então vou focar um pouquinho nos três personagens principais – dois dos quais me fascinaram como nunca!

O livro é narrado em primeira pessoa, pela visão da Juliette, e é uma experiência única. Quando comecei a ler, me senti meio assaltada por todas as emoções ali presentes. A Juliette parece ser uma personagem muito intensa. Uma narradora em que não se pode confiar completamente no início – já que você fica sem saber o que pode ser real e o que pode ser delírio dela, como nem mesmo ela sabe.

Resenha: Estilhaça-me

É uma pessoa completamente maltratada, que sofre absurdos por conta de seu poder, que nunca foi completamente entendida pelas pessoas a sua volta. Seus pais a culpavam, seus colegas de classe e professores a conheciam como uma aberração e ela não conhecia o toque humano.

Suas mãos tremem muito, seus olhos estão cheios de sentimentos, seu coração vibra de dor e afeto e eu quero morar aqui, em seus braços, em seus olhos, pelo resto da minha vida.
Isso até encontrar Adam, uma figura do passado que volta para sua vida a mando de Warner, um dos líderes d’O Restabelecimento. Enquanto o Adam me pareceu um pouco sem personalidade, um pouco apagado em toda essa história, o Warner explodiu em tantas cores quanto a Juliette.

É fácil perceber que ele e ela são muito parecidos, ao mesmo tempo em que são completamente diferentes. E vou parabenizar a Tahereh por ter conseguido desenvolver dois personagens com uma criação tão semelhante, mas que tomaram dois caminhos tão diferentes.

Eu simplesmente adorei a personalidade insana do Warner e a obsessão dele. Os personagens adoram dizem que o Warner gosta do poder, mas eu acho que na verdade ele só se sente seguro estando no poder. Eu achei o Warner extremamente frágil e amedrontado, escondido em uma máscara de rigidez e desesperado por encontrar alguém que sentisse ao menos uma sombra do que ele sentia. Ele se esconde atrás do poder, vinga sua própria dor infligindo dor aos outros. Não acho que o poder pra ele é uma questão de gosto, mas sim uma questão de necessidade.

O ar fresco e macio como a seda trança uma brisa suave por meus cabelos. Este pátio quadrangular poderia ser meu salão de bailes. Quero dançar com os elementos. Warner agarra minha mão, dou meia volta. Ele está sorrindo.
E acho, também, que a Juliette é a primeira vez que ele sente algum tipo de esperança. Esperança de um final feliz para o vilão.

E eu adoro ela. Adoro como ela é frágil, mas ao mesmo tempo é tão forte. Como ela é tão humana, quando quase não teve exemplo algum de humanidade, caridade, amor. Eu amo como os pensamentos fluem na narrativa dela e como eles jorram da página, eu amo amo amo como ela consegue dar um ar de poesia a tudo que fala.


Resenha: Estilhaça-me

Pode parecer estúpido estranho, mas outra coisa que eu gostei bastante foi a dinâmica das relações entre os personagens. Juliette e Adam era como uma nuvem carregada pronta para explodir gotas de felicidade, e foi revigorante. Já Juliette e Warner foi a explosão em si, tão disfuncional e perturbadora, ao mesmo tempo tão
tão
tão certa.

Eu queria poder costurar os 3 na minha alma. Queria poder pegar nas mãos deles e dançar na neve. Eu queria poder dizer que amei eles.

Já estou estendendo a mão para pegar Liberta-me, nada menos que cinco estrelas para esse! Ah, e se você quiser conhecer o lado da história do Warner, a Denise já resenhou Destrua-me (o 1.5 da trilogia) aqui para o blog.

A trilogia continua em Liberta-me, segundo volume da série e o volume final, Incendeia-me.

E deixe-me só dizer que Kenji. Kenji é amor, Kenji é vida, Kenji é a personificação do alívio cômico perfeito. Amo tanto que dói os ossos.


Título: Shatter Me, vol. 1
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Nota: 4,5

Saiba mais: Skoob | Buscapé | Site da Autora

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

17 comentários:

  1. Puxa, parece uma história avassaladora, vou procurar estes tambem!
    Preciso de mais horas nas 24h do dia kkkkkkk
    Otima resenha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, Sabrina! Tô sofrendo até agora porque acabou :( Queria poder apagar da mente que li, só pra poder ler de novo UAHSUHASUASAUHSUAHSAUHSAUHSA E menina, se descobrir como ganhar mais horas em um dia, AVISA AZAMIGA! o/

      Obrigada pela visita!

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  2. Oi Bia!
    Nossa, como eu necessito deste livro! Eu tenho até as capinha, de estilhaça-me e liberta-me. Quero conhecer a Julliete, o Adam e o Warner!!!!!!!!

    Amei a sua resenha!

    Beijos,
    Vic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina do céu, compra esses livros. Ama esses livros. Fala comigo sobre esses livros. Jesus me abana que a saudade deles é grande! T_T
      Obrigada pela visita, Vic!

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  3. Oi Bianca tudo bem??

    Essa trilogia é uma das próximas que lerei, fato. Estou ansiosa e todos falam super bem! Tenho os três livros e as capas da NC (o seu é com a capa? não coloquei no meu velho ainda, ficou bom o seu)

    A história parece muito bem elaborada, nada parada, com personagens intrigantes, do jeito que eu gosto! Hmmm gostei do Warner, aparentemente ele é mais interessante que o Adam. A autora parece ótima com os personagens, descrições e tudo, e espero gostar bastante também!

    Sua resenha só me deixou mais surtada pra ler logo!! Adorei a resenha, explicou muito bem sem spoilers!

    Beijos!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando você ler, você lembre que Warner é tão amor quanto o Jamie em Outlander. AME O WARNER PORQUE ELE PRECISA DE UMA CORRENTE DE AMOR ALSKDKLASJDÇAJSDÇAJD Eu ainda não aprendi a lidar com a falta ç_ç E sim, Warner mais interessante que o Adam. Na verdade, os dois são. Mas o Adam tem umas atitudes que eu fiquei a trilogia toda "Seriously? Vou te arrebentar na porrada, babaca" mas né, parte da vida UHASUAHSUHASUAHSUAHSUHUAHSAUSH
      Quando ler, quero ver sua resenha! E surtar com você ç_ç
      Obrigada pela visita!

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  4. Oie ^^
    Que capa lindaaaa <3 eu amei.
    Também me decepcionei com JV acho que porque já tinha visto o filme, sei lá.
    Enfim, adorei sua resenha, super completa! Vou adicionar o livro na minha pequena mega lista de livros que pretendo ler!
    Beijos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aliscia!
      Adicione sim, vale muito a pena, prometo!
      JV eu me decepcionei mesmo pelos livros, já que só vi os filmes quando terminei tudo. Achei meio raso para uma história com um fundo político e social tão forte. Poderia ter sido trabalhada bem melhor. :/
      Como Estilhaça-me foi! Eita perfeição, Jovana, não vou conseguir segurar o forninho muito mais UAHSUAHSUAHSUASUAHS.
      Obrigada pela visita!

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  5. Eu amo distopias *-* e estou com muita vontade de ler esse, principalmente por causa do que você disse sobre os personagens ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MENINA MENINA MENINA. Primeiramente, saudades de você! Segundamente, PELO AMOR DE DEUS ESSA TRILOGIA. Tô falando sério, viu. Foi a melhor distopia que eu li até agora :3 Na verdade, foi o melhor YA que eu li até agora, desbancou As Peças Infernais na minha lista! Quando leres, me deixa saber! Ai a gente pode conversar um pouco mais sobre *-*

      bjos,
      Bianca

      Excluir
    2. Pode deixar, vou tentar, e assim que fizer, falo o que achei ^^

      Excluir
  6. Oii Bianca!
    Estilhaça-me é uma das minhas trilogias favoritas mesmo eu só tendo lido o primeiro livro ainda.
    Estou com o segundo aqui para ler mas vou esperar comprar o último para ler tudo de novo o/
    Fiquei muito feliz que gostou u.u

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, como conseguiu parar? UAHSUAHSUAHSUAHSUAHS Eu comprei os 3 de uma vez, porque a Denise me enchia o saco para ler. Quando terminei o primeiro eu teria chorado se tivesse que esperar muito pelo segundo. E quando terminei Liberta-me então, me joguei de cabeça em Incendeia-me (de longe o melhor da série). Amei forte tudo isso, ainda tô de ressaca pós-Warner </3

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  7. Essa série ficou muito famosa, mas nunca tive muito interesse, apesar de achar as capas lindas, extremamente bem feitas. Então essa é a primeira resenha que leio e devo dizer que estou impressionada. Deveria ter me interessado por esse livro antes. Mas nunca é tarde, né? Evito séries, mas essa parece valer a pena. Tentarei ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca é tarde, Ingrid. Não mesmo. Eu recomendo muito, mesmo se você não gosta de série. Ela é muito bem feita, só precisa manter em mente que isso não é sobre a sociedade ou o governo ou a guerra, é sobre a Juliette. Ai você vai amar, completamente <3

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  8. Bianca!
    Adorei sua resenha bem divertida e ao mesmo tempo tão certeira.
    Adorei a série e claro que Estilhaça-me foi o melhor de todos.
    Espero que traga logo sua opinião sobre Liberta-me, espero que goste também.
    Tenha uma semana de sucesso!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em breve Liberta-me chega por aqui! Foi o meu segundo preferido da série, perdendo pra Incendeia-me (eu realmente amei esse e não posso negar que se deve ao fato de ter tido muito Warner <3 ).

      bjos,
      Bianca

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!