Resenha: Liberta-me

Liberta-me começa duas semanas após o término de Estilhaça-me. Enquanto no final do livro 1 Juliette estava eufórica com o lugar, duas semanas no Ponto Ômega não fizeram muito por ela e ela acaba recuando à sua pessoa de sempre, uma menina assustada, com medo de conviver com as outras pessoas e reprimindo todo seu poder.


Sinopse: Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.
Atenção, a resenha pode conter spoilers moderados a respeito do livro 1.

Resenha: Liberta-me

Seu relacionamento com Adam encara uma montanha russa e ela não consegue deixar de perturbar-se com o fato de que Warner pode tocá-la e que diz amá-la. Seus medos e seus problemas afastam ela cada vez mais dos demais moradores do Ponto Ômega e sua recusa constante - mesmo que inconsciente - em aceitar e domar seus poderes coloca seu relacionamento com Kenji, Castle e os demais em xeque.

Porque alguém aponta o dedo e diz: "Aqueles são os bandidos. Aqueles homens ali". Mate, eles dizem. Mate porque você confia em nós. Mate porque você está lutando no time certo. Mate porque eles são maus e nós somos bons. Mate porque estamos dizendo. Porque algumas pessoas são tão idiota que pensam mesmo que há grossas linhas em neon separando o bem e o mal. Que é fácil fazer esse tipo de distinção e dormir a noite de consciência tranquila. Porque está tudo bem. p. 170
Eu costumo não dar muita bola para o "livro do meio" das trilogias, porque eles geralmente representam uma transição que, mesmo que necessária, pode ser monótona. O único que eu realmente tinha gostado era Príncipe Mecânico, mas Liberta-me chegou para colocar o que eu acreditava abaixo. O livro foi realmente incrível e é sim o livro de transição, mas nada parado ou sem graça - e nem um pouco padrão. O crescimento da Juliette é visto claramente ao longo das páginas, o caminho que ela percorre entre temer os próprios poderes e aceitá-los para fortificar-se com eles é maravilhoso.

Resenha: Liberta-me

O caminho que ela faz de ser uma menina com medo de tudo e todos, presa na própria mente, para uma mulher confiante e poderosa - literalmente. Isso pode ser visto até na narrativa. Conforme Juliette cresce, as frases riscadas e a loucura diminuem e, embora não desapareçam, estão sob o seu controle. Ela passa a dominar sua própria mente e não mais o contrário. E a Tahereh fez um trabalho excelente mostrando isso pra gente!

Não posso deixar de pensar que 19 anos é jovem demais para desistir de alguém, que 19 anos de idade é apenas o começo, que é muito cedo para dizer a uma pessoa que ela nunca realizará nada além do mal neste mundo.

Eu gostei, principalmente, da maneira que ela explorou os sentimentos da Juliette em relação a tudo que ela viveu e as revelações que ela encontrou sobre ela mesma, mesmo que ela ainda estivesse reprimindo sentimentos por uma certa pessoa ai. Embora, o capítulo 62. O CAPÍTULO 62.  O que foi aquilo??? 

Resenha: Liberta-me

Como ela teve coragem de começar o capitulo daquele jeito e depois terminar do outro... Eu podia ter gritado. Talvez eu tenha gritado. Vocês nunca vão saber se eu gritei.

Resenha: Liberta-me

Mas voltando a resenha, em Liberta-me a gente também tem a chance de conhecer melhor o lado rebelde, o porquê do Adam conseguir tocar na Juliette e os próprios poderes dela. Também temos mais daquela amizade linda de morrer dela e do Kenji - que é tão, tão, tão precious baby da minha vida.


Resenha: Liberta-me

O que eu mais gosto é que a Juliette é uma protagonista que começa como a maioria - em partes - mas se recusa a ficar 3 livros na mesma lenga-lenga, ela evolui. Também adoro o fato de não ser o Adam salvando ela, mas o contrário. O Ponto Ômega não faz parte da vida do Adam, até então ele só entra lá por causa da Juliette. O Kenji conhece o Adam e é assim que entra na vida da Juliette, mas ele só permanece na vida do Adam porque a Juliette está lá, é claro que eles não são amigos só porque a Juliette é a namorada do Adam.

Além do mais, a vida da Juliette gira em torno dela mesma, não do homem pelo qual ela está apaixonada. E eu juro que isso é uma das coisas que eu mais amei nessa trilogia - junto com o fato dela não aceitar um amor que quer ela submissa e ir em busca de um que a trate como igual.

Resenha: Liberta-me

Para mim, a Juliette e Estilhaça-me são uma revolução nos YAs de tantas formas que eu quero chorar na frente da Tahereh e depois amarrar ela a um computador e obrigar ela a escrever mais sobre todos eles. Um dos grandes motivos que sempre me levou a escrever foi o fato de que eu nunca havia encontrado algo que fosse exatamente como eu queria ler. Ai eu dei de cara com Estilhaça-me e está tudo lá. Nenhum personagem tem medo de falar o que precisa (e o que eu queria ouvir), as personalidades, as atitudes, os desfechos. É tudo tão como eu queria. Eu queria ter escrito esse livro.

Minha consciência declarou guerra contra si mesma.

Eu acho que nem tenho mais palavras pra explicar porque a trilogia é excelente e porque todo mundo deveria ler. Acho um desperdício ela ser tão pouco conhecida, ainda - se compararmos com outras distopias.

Você acha que a Katniss é uma grande guerreira, que percorreu um grande caminho até se tornar quem é? A jornada da Juliette humilha a dela. Você acha que o Quatro é o cara mais cruel e foda e merecedor de amor que você poderia encontrar? Ele não poderia enfrentar metade do caminho que o Warner percorreu. Você acha o Aspen inconveniente e idiota? mesmo que eu vá dar uns tapas em você se falar isso pra mim O Adam é inconveniente, idiota, chato e babaca elevado a 15ª potência.

Por fim, vou concluir: se você quer uma distopia que o foco é realmente a personagem principal e sua batalha pra libertar-se de si mesma, do seu medo. É essa. A guerra e o romance são consequências das ações da Juliette, e não o contrário - como eu já encontrei tanto por ai.

Tahereh é tão original, tão incrível. Eu daria a lua pra ela se eu pudesse

A trilogia continua em Incendeia-me e você pode conferir os contos de Unite Me na resenha de Destrua-me.



Título original: Unravel Me - Shatter Me, vol. 2.
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Nota: 5 +

Saiba mais: Skoob | Buscapé | Site da Autora

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

16 comentários:

  1. Olá! Sabe que eu não gostei do primeiro livro, Liberta-me e então parei de ler a trilogia e então nesta sua resenha você falou uma coisa que me fez pensar: você não dá muita bola para o livro do meio e pensei que é verdade. Várias trilogias deixam o livro do meio bem chatinhos mesmo, hein! Sendo que outros deixam o livro melhor, mas essa sua observação foi ótima. Não vou pegar estes livros novamente porque não fizeram o meu gosto, mas esta parte me ajudou muito.

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena Greice! Eu gosto muiiiito da trilogia, acho livros excelentes.
      E siiiim, o livro do meio geralmente é meio blerg. Poucos (como Liberta-me e Príncipe Mecânico) que eu realmente gosto. O livro de transição pode ser um pouco cansativo D:

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  2. Bianca!
    Acompanhei todos os livros da trilogia e digo que está entre as minhas favoritas no gênero distopia, que é um dos meus favoritos.
    Gostei!
    Gostei!
    Gostei!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É minha distopia preferida também, Rudy! É muito amor <3 UAHSUAHSUAHSUAHS

      boa semana!

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  3. Olá, não sei dizer pq essa serie nao me chamou a atençao, mas ando tao cheia de coisas pra fazer q fiquei dois dias sem dormir direito com a cabeça cheia e so assim consegui ler alguma coisa rs
    Boa semana e ansiosa ela resultado da promoção ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena Sabrina, os livros são ótimos :(

      O resultado do Top comentarista (e o novo top) vai sair entre sexta e domingo, então fica de olho por aqui :)

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  4. Olá
    Ainda não li nenhum dos livros, mas sou louca para ler essa trilogia, estou me aventurando por esse mundo distópico, aos poucos, acho super legal esa ideia da autora de colocar os pensamentos ocultos da Juliette riscados, acho que um charme na leitura, falando da capa pelo computador ela parece ser bem bonitinha, mas vi em alguns vídeos e não parece nem um pouco bonita, parece que perdeu a qualidade da imagem.

    Bruna do blog: Cantinho da Bruna - Participe do nosso top comentarista. São 2 livros , kit de marcadores e 2 ganhadores ❤ .

    Twitter do blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!
      A Tahereh foi muito criativa mesmo com a maneira de mostrar a personalidade da Juliette não só ao narrar isso, mas na forma como ela narra. *-* Uma linda, recomendo muito! E as capas, pessoalmente, são lindaaaaaaaaaaaas, pode pedir sem medo :)

      Obrigada pela visita!

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  5. Já tenho a coleção no meu Kindle e lerei o mais rápido possível. Ainda mais com essa resenha maravilhosa, haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEIA GISELE. Porque Warner. E isso é suficiente que eu sei UAHSUAHSUAHSUAHSAUHSAUSH

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  6. UMA SALVA DE PALMAS PARA A BIANCA!
    AGORA UM BIS POR FAVOR!
    Eu nunca gostei tanto de uma resenha de Liberta-me como gostei da tua, sério. Cada frase tua, era o que eu pensava enquanto lia o livro. E essa frase aqui principalmente: "(...) o fato dela não aceitar um amor que quer ela submissa e ir em busca de um que a trate como igual." MEU. DEUS. EU QUERO TATUAR ISSO POR TODO O MEU CORPO E MOSTRAR PARA O MUNDO!
    E SIM. CAPÍTULO 62. OMFG. CAPÍTULO 62 ME FEZ INFARTAR.
    Tu já leu Incendeia-me? Se sim POR FAVOR faz uma resenha, porque amei tanto essa tua que preciso saber teus pensamentos sobre Incendeia-me <3
    Seguindo aqui!

    Beijinhos, Vanessa
    http://portras-daslinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AI MEU DEUS ALSKDKASJDÇLADSLÇ Amei seu comentário, Vanessa <3 Brigadão.
      Na verdade, a gente ja tem resenha de Incendeia-me aqui no blog, porque a Denise leu logo que saiu e resenhou, eu fui resenhando os dois primeiros ai :P Mas tô pensando em gravar um booktalk a respeito da trilogia como um todo PORQUE EU TENHO MUITO SENTIMENTOS SOBRE INCENDEIA-ME, OK???
      Obrigaaaada pela visita, Vanessa!

      Bjs,
      Bianca

      Excluir
  7. Oiee!

    Socorrroooo menina, eu preciso ler logo essa trilogia!! Sua resenha me deixou louca, como a do primeiro, pra ler tipo agora HUAHSAUH... Acho que deste ano não passa, pelo menos o livro 01!
    Adorei que a personagem evolui, não é tonta, não age como uma menina fraca e tudo. Isso conta uns 19232320 pontos pro livro (pra mim) ! UHAUHSAHU
    E eu também odeio quando o livro gira em torno do romance e a personagem vive pelo mocinho uu'

    Espero que a qualidade siga assim até o terceiro livro e o final seja beeem perfeito <3333
    Amei a resenha!

    Beijos!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menine, 'cê leia esse livro. E leia logo. Porque a gente precisa surtar, ok? E eu duvido que você vai conseguir parar só no primeiro UAHSUAHSUHASUHASUHA É TÃO BOM QUE EU PODIA ROLAR EM CIMA DESSES LIVROS, AMO FORTE.
      Juliette vai te surpreendendo ao longo da trilogia, você só precisa dar uma chance pra ela te mostrar quem é *-*

      Obrigada pela visita, flor.

      bjos,
      Bianca

      Excluir
  8. Ah, como eu sou doida para ler esta trilogia.
    Já li tantas resenhas sobre... tantas!!
    Preciso muitoooooo mesmo deles.

    beijos, Vic.
    Blog Minha Velha Estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia siiiim, Vic! Não vai se arrepender! Melhor distopia teen que já li <3

      bjos,
      Bianca

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!