Resenha: Eu Vejo Kate


Resenha: Eu Vejo Kate

Mesmo que tenha me levado apenas 4 dias para ler o livro, Eu Vejo Kate é uma longa jornada de várias formas. Estou muito feliz de que a Editora Empírio tenha apostado nele  e bem zangada com as editoras que recusaram. Porque a Cláudia não é uma promessa de grande autora, ela já é uma.

Então acho que já deu para notar que a resenha de Eu Vejo Kate hoje vai ser muito positiva, né?



Sinopse: A HISTÓRIA RECOMEÇA: Há um ano, Blessfield, uma pacata cidade do interior da Flórida, enterrou 12 mulheres vítimas do violento e cruel serial killer Nathan Bardel. Ele foi julgado, condenado e morto. Mas antes que as feridas da cidade pudessem cicatrizar, um novo assassino em série surgiu. Mais violento. Mais cruel. Usando o mesmo método que seu antecessor. E ele tem uma obsessão: ela 

ALVO NA MIRA: Kate é uma escritora imersa na produção da biografia do assassino em série Nathan Bardel. Enquanto ela mergulha de cabeça na sombria vida do serial killer, ele próprio passa a acompanhá-la vivenciando as experiências conturbadas de sua biógrafa. À medida que se aprofunda nos mistérios de Bardel, Kate desperta outro assassino. Ela não sabe, mas sua vida corre perigo.

SERIAL KILLER X SERIAL KILLER: Desde que Kate decidiu escrever a história de sua vida e de seus assassinatos, Nathan Bardel percebeu que mesmo depois de morto, poderia acompanhá-la. Ele vê Kate. Ele lê Kate. Ele a decifra enquanto ela o investiga. Quando Nathan descobre que um novo assassino está imitando seu método e assassinatos, fica furioso. Aquilo tudo lhe pertencia, foi sua criança e ninguém estava a altura de copiá-lo. Agora ele tem uma nova meta: encontrar o imitador. 

CAÇADOR DE MONSTROS: Um agente especial do FBI que tem a capacidade de observar a cena de um crime e definir o perfil do criminoso, Ryan é um dos melhores profilers do país. Mas toda sua experiência será colocada à prova na busca pelo serial killer que não deixa pistas. Expert em Bardel, e envolvido com Kate, o detetive com um passado sombrio se vê mais uma vez numa investigação que pode terminar de forma trágica.

Kate é uma autora que, não sabe porque, começou a escrever uma biografia sobre Nathan Bardel, um serial killer que atuou por anos em sua cidade natal e que foi morto há alguns meses por injeção letal na prisão.

Esse interesse traz o espírito dele de volta -- ou seja lá como você quiser se referenciar a ele, já que nem mesmo Nate sabe o que é -- e é principalmente através do ponto de vista dele, de Kate e de Ryan Owen, o profiler responsável pela captura de Bardel, que acompanhamos a história.

Kate quer ser a primeira pessoa a escrever uma biografia sobre Nathan e por isso mergulha de cabeça na vida dele. A obsessão de Kate é forte e alimenta Nathan, que de sua prisão espiritual observa tudo e desenvolve, ele também, um obsessão por ela.

Eu estou apaixonado por Kate e sua maneira de escrever sobre a minha vida. Leio o livro que ela escreve, e que tornou-se nada menos que uma obsessão para ela.
Kate entra em um transe com a escrita, escreve dia e noite e mesmo quando a editora pede para que ela pare e engavete o livro, ela se recusa a desistir. Sua sala de estar se transforma em um painel para as fotos e descrições dos terríveis crimes de Bardel e fazem com que ela esteja, mais do que nunca, em sincronia com o assassino.


Resenha: Eu Vejo Kate

Em meio as suas pesquisas, Kate acaba conhecendo Ryan, o agente federal responsável pelo perfil que levou a prisão de Nathan. Ryan vê em Kate a mesma obsessão que tinha com o trabalho e as partes escuras um do outro os atraem, colocando-os nesse intenso jogo de atração física no qual nenhum deles tem o interesse de resistir.

Kate vê em Ryan o tipo de cara com quem ela gostaria de ficar, alguém que representasse uma relação saudável tão diferente da emocionalmente - e por vezes fisicamente - abusiva que tinha com o ex-namorado. 

Eu vejo Kate. Ela não me vê.
Mas começar um relacionamento, partindo de um passado sombrio e conturbado, já não é fácil. E agora que Kate está metida até os cotovelos na história de Nathan e sua vida passa a correr perigo, as coisas ficam ainda mais difíceis. Em meio a ameaças e meias verdades, surge um novo assassino copiando a assinatura e o MO de Bardel. E parece que ele está interessado em Kate.

Poderia esse ser um copiador querendo chafurdar na fama de Bardel, instigado por suas pesquisas, ou algo ainda mais misterioso? Em questão de dias, a vida de Kate, que já corria perigo, acaba de ficar mais complicada.


Resenha: Eu Vejo Kate

Primeiro eu queria dizer que Eu Vejo Kate é um livro cheio de críticas sociais, sem medo de mostrar os defeitos de seus personagens e muito menos de se conectar com a realidade do leitor -- mesmo que ninguém aqui more na Florida e seja uma escritora de 29 anos viciada em cigarros, relacionamentos abusivos e com o encosto de um serial killer.

Em um primeiro momento, cercada pelos comentários sobre uma história extremamente trágica e dolorida, eu esperei mais ficção do que realidade do livro. Mas quando parei de esperar ficção também cortei esse distanciamento que geralmente consigo colocar entre eu e os livros que leio, entre eu e a realidade obscura que escondem as páginas. E isso fez dele tão real que os sentimentos me lembraram A Cidade do Sol e o trágico momento em que eu percebo que aquela é a realidade de tantas mulheres no mundo. O trágico momento em que isso me apavora.

Nós dois estamos em apuros, Kate e eu, e sei disso com uma certeza que é aterrorizante.
Quando você pega o livro com a única expectativa de ler a realidade, acho que podemos compara-lo com um terror. Porque o que a Kate vive é um pesadelo, o tipo de pesadelo que tantas mulheres vivem.

Os personagens da Cláudia são reais, as situações e os relacionamentos deles são muito reais. E quando você para e pensa que o que a Kate viveu, o que ela viu, que isso é exatamente o que está acontecendo nesse exato segundo com incontáveis pessoas ao redor do mundo, isso é assustador e doloroso e passa uma sensação de impotência tão grande que é fácil entender e até concordar com o Ryan.

Em determinado momento o Ryan pensa em como não pode viver nesse mundo fodido, e quando eu olho de novo para Eu Vejo Kate eu penso a mesma coisa.

Resenha: Eu Vejo Kate

Eu penso em como o livro imita uma realidade tão grave para tantas pessoas, em como ele é tão cru e honesto nessa violência, em como existe tão pouco respeito e amor fraternal entre as pessoas, e é impossível não concordar com ele. Eu preciso pensar em todas as pessoas fazendo o bem, porque fica difícil.

Especialmente porque eu olho para Kate e eu me vejo nela. Eu sou a Kate e ela é milhares de mulheres ao redor do mundo, todas as vítimas de serial killers, todas as vítimas de estupradores, todas as vítimas do machismo e da misoginia e da ignorância. Eu sou a Kate porque existe uma em cinco chances de que qualquer experiência pela qual ela passou seja exatamente a mesma que eu vou passar.

A violência que a gente vê em Eu Vejo Kate choca porque ela é real, ela existe e ela acontece. E eu não sei se me recuperei dela ainda.

Inanna tem uma irmã gêmea, que é como sua metade obscura. E a história de Inanna é na verdade sobre ir para o inferno e abraçar seu lado mais escuro, seu lado feio. [...] Ereshkigal. Esse é o nome. A irmã de Inanna.
A Cláudia escreve sobre a vida real, sem fantasia, e o melhor de tudo é que ela enxerga a vida como ela é: como uma experiência que não é totalmente triste ou feliz. E, eu acho, é por isso que classifico o fim dessa história como agridoce. Como disse a Eduarda, a vida é uma tragédia por si só e não precisamos nos esforçar muito para fazer algo terrível e real.

É como em um guerra, quando mesmo ao vencermos, ainda perdemos algo. Porque é sobre o que perdemos no caminho, sobre os sonhos que morreram, os medos que nasceram e a vida que se transformou. Sobre tudo que podíamos ser antes daquilo e sobre tudo que jamais seremos depois. A maior tragédia da vida é a própria vida e acho que entender isso isso é entender Eu Vejo Kate.


Resenha: Eu Vejo Kate

A minha experiência com esse livro se iguala a poucas que já tive antes. Se iguala aqueles que foram sinceros e que me tocaram de uma forma que me faz reavaliar as leituras que faço e meu conceito de preferência.

Acho que todo mundo deveria ter algumas leituras como essa ao longo da vida.

E se não tiver estômago para ele agora, tudo bem. Mas guarde o nome, um dia você vai querer se aventurar. Um dia você vai querer ver Kate e Nate.


Título original: Eu Vejo Kate - O Despertar de um Serial Killer
Autora: Cláudia Lemes
Editora: Empíreo
Gênero: Romance policial - Thriller - Suspense
Nota: 5


Saiba mais: Skoob  |  Facebook 
Compre em: Buscapé | Saraiva

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

11 comentários:

  1. Agora que li essa resenha... PRECISO DESSE LIVRO NAS MINHAS MÃOS.

    Bibs, sua malvada ;-;

    Essa resenha tá maravilhosa demais!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PRECISA SIM, GI! Eu acho que você vai gostar bastante *-*
      Se estivesse perto te emprestava ele </3

      bjs

      Excluir
  2. Heey ! Que livro é esse minha gente ? Parece ser muito bom ! Ainda não li nenhum sobre sérial killers, mas acho o assunto muito interessante.
    Já anotei aqui na lista de desejados ! Ótima resenha.
    Beijos, Sorvete Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, se você quer ler qualquer coisa sobre serial killers, vai de Kate!
      Tem outros ótimos também, mas acho que Kate, para quem não está acostumado, é uma incursão eletrizante e empolgante e também nada maçante. Vai fundo <3

      bjs

      Excluir
  3. Esse livro parece ser muito bom, estou louca para ler!

    Beijos,

    http://sweetlikecaramel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Nazaré! Aproveita o natal para pedir ao Papai Noel :P

      bjs

      Excluir
  4. Oi Bibs,

    Não conhecia esse livro e já quero! Adorei a resenha. Adoro um bom Suspense e não dispenso um serial killer. Anotei aqui na minha lista, uma pena descobrir depois de uma BlackFriday como faz pra comprar agora?

    D:

    Beijos!

    Cintia
    http://www.devaneiosdeumacindy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu deus moça, não sei também. BF me zerou feioooo.
      Mas tem o natal né?

      bjs

      Excluir
  5. Oi! Tudo bem contigo?

    Caramba, hein? Pelo visto tu curtiu mesmo a leitura, meu. Já ouvi falar desse livro por aí, mas essa é a primeira resenha que leio dele de fato e estou MUITO curiosa para conhecer a história inteira. Parece incrível e bastante forte.

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros - docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curti muiiiiito! Sabe aquela restaurada na fé que você precisa as vezes? Eu tava precisando de uma com os livros nacionais e a Cláudia MATOU A PAU com esse livro. Perfeito em tudo, sério mesmo.
      Espero que tenha a oportunidade de ler em breve!

      bjs

      Excluir
  6. Eu já li este livro, é um dos melhores que já li, incrívelmente perturbador, devorei em três dias, vale muito a pena! É um dos meus favoritos.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!