Resenha [FILME]: A Esperança - O Final


Uma história sobre guerra e sobre um mundo devastado pela tirania certamente não poderia ter um nome mais irônico que A Esperança. A adaptação do fim da trilogia Jogos Vorazes, escrito pela americana Suzanne Collins, tem sua estreia no cinema de maneira exemplar e impactante. Um filme devastador sobre o fim de uma guerra guiado por uma menina quebrada.

Katniss Everdeen nunca quis enfrentar nada daquilo. Ela só queria salvar as pessoas que ela ama. Só queria manter a irmã viva. Essa é a sua fala em determinado momento trágico da trama; seu olhar de desespero e a mensagem de que o fim da guerra traz as piores consequências para a garota em chamas são o que moldam a película. Jennifer Lawrence, mais uma vez, destrói emoções em sua interpretação da heroína chamada de "Tordo", do rosto da rebelião dos distritos contra a severa Capital. Ainda que eu não considere a Katniss tudo isso que clamam, o filme passa muito mais a emoção e a comoção que aquilo tudo causou à Katniss do que os livros jamais foram capazes de fazer. Seus olhares, seus discursos inflamados e o fato de ela perceber, cada vez mais, que o fim daquela luta não permitirá a ela encontrar a paz tão facilmente são assustadores. A realidade da guerra deles é devastadora. Katniss está quebrada por ela, pelos jogos, pelas perdas. Ela só quer matar Snow e acabar de uma vez com tudo aquilo, é isso que a está guiando agora.





De um lado, a tirana Capital - tirana em termos, porque ela é formada por um bando assustado de alienados e por um líder inescrupuloso e cruel. O Presidente Snow é mau, pura e simplesmente. Ele sabe jogar suas peças no tabuleiro contra os distritos, sabe as armas que deve usar e o que divulgar na mídia para continuar conquistando a atenção dos seus súditos, mas o cerco se fecha ao redor dele. Agora, só resta a Capital entre o Presidente e aqueles revoltosos com todos os anos de crueldade que ele impôs. Um dos melhores momentos do filme foi uma conversa entre Snow e Katniss, onde percebemos que "o verdadeiro inimigo" está intrincado em diversos pontos da guerra. O Presidente é só o mais óbvio deles.

Do outro, os distritos, comandados pela centrada e fria Presidente Alma Coin. Neste segundo filme, Coin começa a mostrar as garras como a verdadeira líder perigosa que ela é. Onde Snow é conhecido pelas coisas horríveis que fez, Coin é um mistério. A desconfiança fica no ar conforme seus discursos se tornam mais egoístas e seus ideias mais pessoais. A Panem dela é livre da tirania de Snow, mas entrará em um novo regime tão sufocante quanto.


Peeta está absolutamente destroçado depois das torturas induzidas pela Capital, e uma das melhores atuações do filme ficou a cargo do Josh, aquele menino fofinho representando a ingenuidade e o carinho do padeiro por quem Katniss se apaixonou, agora transformado em uma arma para destruí-la. Peeta foi lobotomizado e a vê como ameaça, e o crescimento dele através da recuperação das memórias e do "real ou não real?", um jogo que ele faz para descobrir se o que está em sua mente é verdadeiro ou falso, foi emocionante. Não consigo gostar de Katniss/Peeta, mas o ship é forte e lindamente explorado no filme.



Outro ship maravilhoso que teve só um momento em tela, mas que foi suficiente para o meu coração e para apaziguar toda a dor do filme, foi Annie e Finnick. Os dois tributos desafortunados do Distrito 4 encontraram felicidade naquele oceano de dor, e foi suficiente para o resto de agonia que se seguiu uma vez que eles consolidaram o seu amor. Sem querer entrar em detalhes para aqueles que não leram, mas O FINNICK NÃO MERECIA AQUILO, COLLINS, SUA BRUXA CRUEL!


Haymitch e Effie. Eu preciso falar sobre os dois. Não vou entrar em detalhes e nem estragar as surpresas, mas eu amo tanto esses dois. Eu amei o rumo que o filme deu para eles. Essa adaptação foi tão melhor do que o livro em tantos sentidos! Em determinada cena eu só urrei e assustei o cinema todo, porque foi minha reação com os dois.

Uma coisa que me deixou desgostosa neste filme foi a maneira como interpretaram a fidelidade do Gale à luta. Numa primeira vez em que li o livro, não gostei muito das atitudes dele, mas a Bianca e a Eduarda abriram minha mente para como eu estava entendendo ele do jeito errado e ERA VERDADE. E o filme fez justamente isso! Colocaram o Gale como um "vilão", alguém para ser detestado porque ele agiu como qualquer soldado agiria. A própria Katniss é culpada por pelo menos cinco mortes no filme, mas nota-se que o peso recai muito mais sobre o Gale, especialmente por causa da morte final. Ok, ele projetou as bombas, mas não foi ele quem lançou elas. Fim de história. Não teve motivo pra criar esse tom de dívida e de vilanismo no coitado, não quando ele era uma mera peça no jogo. Queria que o final dele tivesse sido mais bem explorado, mas foi tão aberto e sem graça quanto o do livro. Uma decepção.



A Esperança - O Final foi feito de momentos chocantes e emocionantes e transmite uma mensagem sombria a respeito da guerra. Não pode-se esperar um final completamente feliz numa história assim, mas o filme tenta sutilmente. É aquela pontinha de felicidade em meio a tanta dor que resulta em uma cena final de quebrar o coração, mas de também fazer sorrir. Você vai chorar muito, e vai sair da sessão com uma dorzinha no peito, mas vai valer a pena, te prometo.

Jogos Vorazes foi uma franquia impactante e seu clímax fechou a série de filmes com maestria. Afinal, há muitos jogos piores que esse.

Share this:

, , , , , , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. PRECISO VER ESSE FILME URGENTEMENTE!!!!

    Sobre o Gale: eu nunca o interpretei como vilão! Tadinho do rapaz xD

    Amei a resenha; já tô sofrendo só de lê-la.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Nossa, cada vez que vejo um post sobre a resenha de Esperança fico me mordendo de tanta vontade de ver.. Parece estar simplesmente incrível !
    Apesar de não ter gostado muito do final (sempre fui teamGale) estou muito ansiosa para ver kkk Ótima resenha !
    Beijos, Sorvete Literário

    ResponderExcluir
  3. Eu achei que fosse me emocionar mais com o filme, como foi com o livro...
    Acontece que achei que faltou ação e mais sentimento, acabei me decepcionando um pouco. Mas no geral eu gostei muito, dói o coração ver o que acontece com o Peeta...
    Mas o Em chamas continua sendo meu favorito!

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não tive a chance de ver o filme, mas tenho certeza que vou achar impactante e maravilhoso... A esperança é meu livro da trilogia favorito então eu espero que eu filme corresponda minhas expectativas. Beijos :*

    http://estantedalana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!