Resenha: Enshadowed


Ok, OK, eu criei coragem pra continuar essa saga PORQUE ESSE LIVRO MARAVILHOSO DE MINHA DEUSA KELLY CREAGH É TÃO PERFEITO E DESTRUIDOR E EU PRECISO FALAR SOBRE ELE! Talvez essa resenha tenha 5 páginas frente e verso ou talvez só um gif-surto. Descobriremos nas próximas linhas.


Sinopse: Enshadowed: O Pesadelo das Sombras - Varen Nethers está preso num perigoso mundo dos sonhos: um reino traiçoeiro e desolado onde as histórias aterrorizantes de Edgar Allan Poe ganham vida. Isobel Lanley, atormentada por visões estranhas e perseguida por pesadelos criados por Varen, é a única que pode salvá-lo. Isobel sabe que sua única esperança reside num cemitério em Baltimore, Maryland. Lá, no início da madrugada do aniversário de Edgar Allan Poe, um estranho misterioso conhecido como “Admirador de Poe”, fará sua homenagem anual no túmulo do lendário poeta. Apenas o Admirador detém a chave para a passagem entre os mundos. Porém, grandes perigos aguardam Isobel. Um antigo mal, envolto em véus de tecido branco, está à espreita, desa ando-a em busca do afeto de Varen. Quando Isobel nalmente o encontra, ele não é mais o garoto quieto e pensativo que um dia a cativou, mas uma força sombria, poderosa e malevolente. Poderia o grande amor de Isobel também ser seu maior adversário?
Goddamnit, Denise, você não cansa de surtar por Nevermore? Não, jamais.
Muito bem, como se trata da continuação, a resenha obviamente vai conter spoilers do primeiro livro da trilogia - mas spoilers suaves, prometo não revelar nada demais. A minha edição do livro é a americana, porque eu fiquei cansada de esperar a Pandorga trazer o segundo volume pra cá - e mesmo depois que eu comprei, ainda demoraram uns muitos meses pra traduzir - então eu vou traduzir as quotes que colocar aqui.


Depois que Varen foi levado para o mundo dos sonhos (o dreamworld, no caso) e aprisionado lá, Isobel segue sua vida procurando um jeito de ajudar o garoto a se livrar desse pesadelo (literalmente, ba tum tss). Ela descobre que sua única chance é viajando até Baltimore, onde pode encontrar o misterioso homem que está sempre visitando o túmulo de Edgar Allan Poe no aniversário dele (homem esse que obviamente sabe alguma coisa sobre esse mundo dos sonhos sombrio que existe numa realidade paralela a deles). Unida a Gwen, sua agora melhor amiga, que, depois de presenciar os acontecimentos na festa de Halloween, passou a conviver com toda a história sobrenatural que cerca Isobel, a líder de torcida vai precisar lutar contra sombras vivas e inimigos perigosos a fim de alcançar Varen antes que seja tarde demais.


- Deixando os sonhos de lado, ele continuou, - como você pode ter tanta certeza de que o seu mundo é o real?

Ok, meu resumo é sempre aquela bela porcaria, mas a essência do livro é essa. Treta das grandes, porque a Isobel está sendo perseguida dia e noite por essas sombras monstruosas que querem ela fora do jogo. Enquanto isso, VAREN MY PRECIOUS BABY está preso no dreamworld, sem saber que sua amazona no cavalo branco está tentando alcançá-lo para salvá-lo daquele pesadelo.

Tem coisa mais genial que a líder de torcida toda esteriotipada ser a ÚNICA chance do mocinho do livro sair vivo? Tem coisa mais linda que o homem depender do salvamento da mulher? Não, não tem, eu amo esse livro.


Ele abriu a palma da mão e vi que o relógio permanecia ali. Ainda lá. Ainda real.  
Varen olhou para a figura que estava no topo da fonte. Com um uivo de raiva, ele a fez estourar. Ele caiu de joelhos, em meio a destroços e poeira flutuando. Abraçando a si mesmo, ele soltou um soluço asfixiado, sabendo que, também, pertencia à ruína.

A parte sobrenatural é fantasticamente bem desenvolvida, como sempre. Todo o universo envolvido pelos poemas do Poe, pela loucura dele ao fim da vida e pelo mistério envolvendo sua morte, é tudo tão fodástico que eu me recuso a acreditar não ser verdade! Temos ainda mais do mundo dos sonhos - temos muito mais, na verdade, porque enquanto a Isobel tá enrolada lá na Terra, temos alguns flashs do Varen preso nessa realidade horrorosa, sofrendo pacas e todo solitário e deprê. NÃO FICA ASSIM, A IZZY TÁ INDO TE SALVAR!


- Alguma coisa daqui é real? - ela perguntou. - Você é real?Ele ergueu uma mão até sua bochecha, seus dedos acariciando o queixo da garota. 
- Mesmo se isso for um sonho - ele sussurrou - eu não sou. 
Os olhos de Isobel se arregalaram, reconhecendo aquelas palavras como as suas próprias; as mesmas que outrora pronunciara a ele. Ela estendeu a mão, entrelaçando os braços em volta do pescoço dele, puxando-o mais perto até que o seu perfume se derramasse sobre ela, aquela combinação de incenso, citro e folhas secas imperando o cheiro de flores de funeral. 
- Não me deixe. - ela sussurrou. 
- Eu estou aqui. Bem aqui. Esperando.

Apesar das poucas cenas com o Varen - meu coração doeu por isso, não vou negar - temos a Isobel arrasando quarteirões com sua presença e sua força de espírito e sua determinação em salvar o amor da sua vida. Junto de Gwen, acompanhamos o dia a dia da simpática garota que teve sua vida virada de cabeça para baixo no momento em que cruzou o caminho de Varen - no momento em que aceitou os riscos de estar com ele, na verdade. Ela não tá nem ai pras sombras e pro dreamworld, ela só quer salvar o seu amorzão - e infernos, os pesadelos dela estão ficando mais fortes, ela sabe que o Varen tá em grande perigo e não tem tempo de enrolação. Pra isso ela precisa ir para Baltimore, e para isso ela precisa convencer os pais.

E gente, os pais da Isobel! Eu adoro TANTO eles! E o irmãozinho rabugento dela.

É difícil, em YA's da vida, a gente conviver tanto com a parte familiar da protagonista. Geralmente é aquela história de 'o romance começou, o resto da vida dela acabou'. Mas com Nevermore não; diabos, o pai dela aparece em quase 80% do livro. Ele é uma figura importantíssima ali, e é um ótimo conselheiro e apoiador. Não, ele não gosta muito do Varen e nem sabe no que a filha se meteu, mas é um bom pai, é um bom personagem, eu adoro aquele cara.


A Gwen é total o alívio cômico daquela história, e eu amo ela por isso. A hippie temperamental que está sempre ali pra apoiar a Isobel - e pra meter ela em encrencas enquanto tenta alcançar o Varen, claro - tem um desenvolvimento tão bom quanto dos outros personagens. É um dos destaques da trama; a amizade dela e da Izzy é uma coisa muito amor. De vizinha de armário a cúmplice em sumiço para procurar o misterioso homem do cemitério, Gwen é aquela amiga que tá ao seu lado pro que der e vier MESMO.

UM PERSONAGEM QUE ME SURPREENDEU MUITO: Pinfeathers. Eu nunca, repito, NUNCA esperaria me apaixonar por aquele monstro, mas foi o que aconteceu. Porque ele não tem culpa de ser quem é; e, por ser parte do Varen, por parecer com ele e as vezes pensar como ele, acaba se aproximando da Isobel para ajudá-la e se mostra um belo de um amorzinho querido. VEM AQUI, PIN, LET ME LOVE YOU!


Ele passou o dedo em seus lábios. - Eu acho que você não é tão fácil de esquecer como esperávamos.
E minha Isobel, enfim posso surtar por você! Como eu amei não ter sentido raiva dela nem em um segundo dessa leitura! Como eu amei a força e a maneira com que ela aceita enfrentar os obstáculos se for pra salvar aquele que ela ama - e pra salvar o próprio traseiro também, claro, porque ela tá tão condenada quanto o Varen, caso as sombras a peguem. Posso não ter tido mais do que uma ou duas cenas do meu ship, MAS O AMOR DELA POR ELE E DELE POR ELA É TÃO FORTE TÃO PRESENTE TÃO MARCANTE que eu não tenho do que reclamar.


Mentira, tenho sim. KELLY, É BOM TER MUITA PEGAÇÃO EM OBLIVION OU VOCÊ VAI SOFRER UM OBLIVION COM A SAPATADA QUE VAI TOMAR NA CABEÇA!


Enfim, isso é Enshadowed. Isso é Nevermore. Isso é a causa da Denise estar estendida no chão afogada nas próprias lágrimas agora mesmo.


- Posso te dizer uma coisa? - ele inclinou a cabeça, movendo-se ainda mais perto, tão perto que ela podia sentir sua respiração contra seu rosto. - Você quer saber o que minha avó costumava dizer sobre beijos na testa? 
Ele apertou os lábios em sua testa, segurando o suave beijo por um longo momento, enquanto Isobel ficou em seu lugar, incapaz de empurrá-lo para longe. 
- Ela me disse que é o tipo de beijo que poupamos para os mortos.

Porque eu não consigo pensar nessa história sem querer abraçar um travesseiro e chorar as pitangas por horas a fio. É tudo muito perfeito, muito arrasador. Eu estou pronta para Oblivion, mas definitivamente não estou pronta para dizer adeus.


Título original: Enshadowed
Autora: Kelly Creagh
Editora: Pandorga
Gênero: YA sobrenatural
Nota: 5 +


Leia a resenha do primeiro livro: Nevermore
Saiba mais: Skoob | Buscapé

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!