Resenha: O Verão Que Mudou Minha Vida #LeituradeVerão

O verão que mudou minha vida, publicado no Brasil pela editora Galera Record, foi escrito por Jenny Han que é também autora de Para todos os garotos que já amei, resenhado aqui no blog pela Denise. A sinopse promete uma leitura leve e cheia de emoções, como um amor de verão deve ser.


Sinopse: A vida de Belly é medida em férias de verão. Para ela, todas as coisas boas só acontecem entre os meses de junho e agosto, quando está na casa de praia junto a Susannah, única e melhor amiga de sua mãe e uma espécie de tia, e seus dois filhos, Jeremiah e Conrad. Mais do que irmãos postiços e companheiros de férias, os filhos de Susannah tornaram-se o centro das suas emoções. A véspera do aniversário de 16 anos de Belly marca também o fim daquele que parece ser o último verão onde estarão todos reunidos em Cousins Beach. A partir do ano seguinte todos estarão ocupados demais e talvez algum deles já nem esteja mais entre nós...
jenny han
Créditos da imagem à Melina Souza
O livro se passa no decorrer do verão, o cenário é Cousins Beach e a protagonista é Belly, uma adolescente de quinze anos. O verão em que Belly se torna bonita (The Summer I Turned Pretty, em seu título original) é, também, talvez o último que ela, sua mãe e seu irmão passem na casa da praia junto com Susannah e seus dois filhos. O velho clichê de uma garota possivelmente divida entre dois irmãos foi o que me atraiu, confesso. Mas aqueles que odeiam triângulos amorosos não precisam se preocupar, porque não é o caso aqui. Belly é obcecada por Conrad, e ponto final.

Jeremiah é um mero coadjuvante, pintado como o amigo leal, e não importa o quanto a autora tenha tentado criar uma possível dúvida sobre o romance, simplesmente não funciona. Conrad, o irmão mais velho e alvo das afeições de Belly, é típico projeto de bad boy com um segredo e um bom coração. Não precisa explicar muito, é a velha fórmula do irmão fofo e legal versus o irmão calado e sexy. A mãe e o irmão da Belly foram meio que "qualquer coisa" pra mim, sendo Susannah uma das poucas personagens agradáveis da história, ficando a outra posição para Cam, um garoto que Belly conhece quando vai a uma festa e a quem ela, definitivamente, não merece.

jenny han
Créditos de imagem ao blog frandeflor.wordpress.com
E já que estamos falando da protagonista: meu deus, podia ser menos chata? Ou mimada? Ou infantil? Quem sabe só um pouquinho menos birrenta? Sinceramente, procurei outras resenhas e não consigo entender o que as outras pessoas dizem ter visto de tão interessante no livro. Para mim Belly é uma criança e se porta como tal, impossibilitando qualquer tentativa de uma boa e prazerosa leitura.

As cenas alternando entre o passado e o futuro, e os dramas amorosos exagerados, só deixaram ainda mais nítido a imaturidade da personagem. As atitudes dela são tão bobinhas que eu mal conseguia distinguir a Belly de treze da de quinze, quando ela já se sentia quase mulher. Talvez o problema seja eu, talvez eu esteja exigindo mais do que a história se propõe, mas não posso ser injusta com todos os outros livros que já li que tinham uma proposta tão simples o quanto e cumpriram o seu papel.


“Susannah me contou que, quando nasci, ela sabia que eu me casaria com um dos seus meninos. Era o destino. Minha mãe, que normalmente não acreditava nesse tipo de coisa, disse que seria perfeito, contanto que eu tivesse alguns namorados antes de casar.”

Ainda tenho esperanças com os livros da Jenny, pretendo dar mais uma chance a essa série e ler o próximo livro também. Principalmente porquê o livro tem um final absolutamente em aberto, mais um fator que me fez desgostar do mesmo. Sinto muito se a resenha sou confusa ou pobre, mas no que diz respeito a O verão que mudou minha vida, só posso dizer que o título não se aplicou à leitura.


Título original: The Summer I Turned Pretty
Autora: Jenny Han
Editora: Galera Record
Gênero: YA - romance
Nota: 2,5

Saiba Mais: Skoob
Compre em: Buscapé| Americanas | Saraiva | Submarino

Share this:

, , , , , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Oii Eduarda, tudo bom?
    Eu odeio triângulos amorosos, então eu já não escolheria esse livro para ler mesmo que por mais que você afirme que ela já escolheu e tal, eu nunca vi o ponto de um triângulo, até porque a gente sempre sabe com quem a protagonista vai ficar no fim, né. Aaaah, não gosto, haha.
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  2. Duda, com essa nota aí que você deu, eu tô tirando esse livro da minha 'lista de desejos'.
    A protagonista parece um porre!

    Muito obrigada por resenhar!

    Beijos

    --
    http://surtandocompalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!