Entrevista: Claudia Lemes, de Eu Vejo Kate

Entrevista: Claudia Lemes, de Eu Vejo Kate

Aqui pelo blog a gente já cansou de gritar: amamos Eu Vejo Kate e a Claudia também já apareceu nos dois Hangout Fight Like a Girl que promovemos. Dessa forma, não poderíamos deixar de incluir Claudia Lemes no nosso hall de entrevistadas!

Claudia é uma mulher incrível e digna de admiração. Mãe, esposa, professora, tradutora, escritora e agora, também, blogueira -- visite o canal dela em Lemos com Lemes! -- e não cansa de nos causar aquela invejinha branca terminando livro atrás de livro e deixando a gente louca pelos próximos lançamentos.

E é por toda admiração que temos e pelo trabalho dela que preparamos esse papo rapidinho com ela! Na nossa entrevista falamos sobre Eu Vejo Kate e trabalhos futuros.



Entrevista: Claudia Lemes, de Eu Vejo Kate

Queria Estar Lendo: Você estudou serial killers por dez anos antes de começar a escrever Eu Vejo Kate. Teve algum momento, algum caso que você leu e que te chocou ao nível de você pensar "morro e não vejo tudo"?

Claudia Lemes: Muitas, muitas vezes. O Dahmer me surpreendeu bastante porque li muito sobre ele, e realmente a coisa de ficar abrindo os corpos depois de mortos, fazer sexo com os cadáveres etc, sempre choca. Mas foram tantas, tantas coisas... Crueldade com crianças me deprime muito. Uma das primeiras histórias que eu lembro também é a da Karla Homolka. O que essa mulher fez com a irmã é impensável.

Queria Estar Lendo: Vi no seu facebook recentemente que você se inspirou em um caso real para escrever uma cena de Eu Vejo Kate. Pode falar que caso foi esse ou é spoiler?

Claudia Lemes: Não foi mesmo inspiração para o livro inteiro, mas foi uma descrição de um crime que nunca saiu da minha cabeça, que eu incorporei num dos momentos mais tensos de Kate. E é aquilo, se eu falar... Entrega tudo.

Queria Estar Lendo: O livro é bastante fiel a crueldade dos serial killers e aos sentimentos humanos. Teve algum momento em que você teve que se segurar para não exagerar ou impedir um impulso de cortar algo porque talvez fosse pesado demais? 

Claudia Lemes: O interessante de serial killers é que absolutamente nada é exagero. Acho que o motivo de tanto fascínio por eles vem exatamente disso: eles podem fazer e de fato fazem qualquer coisa. Quando você acha que pronto, que nada mais vai chocar, vem sempre uma história nova que te abala. Eles não têm limites. Por mais pesado e violento que seja Eu Vejo Kate, nada ali é exagerado. Então não, não tive esse medo. Tem coisas mais pesadas no âmbito do sexo consensual e fantasias eróticas que eu cortei. E se as cenas já causaram tanta polêmica do jeito que ficaram, nem quero imaginar o que teria acontecido se eu me permitisse ousar mais.
  
Queria Estar Lendo: Kate tem um histórico de se envolver com pessoas para punir a si mesma e, embora Ryan seja o mocinho da história, a relação dos dois ainda é bem tempestiva. Você acha que ele é mais uma forma dela se punir ou eles são apenas um casal lindamente disfuncional?

Claudia Lemes: Eu acho que quando Kate começou a descobrir Nathan, ela aprendeu a se dissecar. É o jogo: Nathan vê Kate e Kate vê Kate. Então ela começa a compreender o que tem feito a si mesma. Eu acho que Ryan é como uma boia para ela, a qual ela se apega para não afundar. Quem acha que o casal é perfeito e ficarão felizes para sempre não entendeu muito a relação. Eles são perfeitos um para o outro naquelas circunstâncias e naquelas circunstâncias apenas. Não rola um “felizes para sempre” se você tem um pouco de imaginação. Se apaixonar é fácil, manter um relacionamento, principalmente um com tantas cicatrizes e feridas expostas, é outra coisa.

Queria Estar Lendo: Nathan Bardel: louco ou cruel?

Claudia Lemes: Cruel.

Queria Estar Lendo: Por fim, quem acompanha você pelas redes sociais já sabe que tem terminado diversos livros nos últimos meses (invejinha branca aqui!). Vem mais algum policial por ai? Você pode adiantar o gênero dos livros ou alguma coisa sobre para deixar o pessoal com água na boca?

Claudia Lemes: Sim, tem muita coisa boa chegando. Terminei no começo desse ano dois livros, que na verdade eu reescrevi, reinventei, e reestruturei completamente a partir de duas obras que escrevi no passado. Um é um western, o outro é policial. Atualmente estou escrevendo outro com foco em serial killers. Mas a ordem de lançamento, as datas, toda essa parte é da Editora Empíreo. Acredito que em breve teremos novidades sobre a próxima publicação, e muito provavelmente seguiremos a linha policial por um tempo ainda. Assim que tiver mais detalhes do próximo livro a ser lançado pela Empíreo, o blog receberá na hora, porque o blog de vocês é lindo e vocês são lindas.


O Queria Estar Lendo agradece o tempo e carinho da autora!

E para os curiosos, vocês podem encontrar todas as lojas que estão vendendo Eu Vejo Kate online clicando nesse link.

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Ótima entrevista! Parabéns!
    Adoro Eu Vejo Kate. Ótimo thriller nacional. Ansioso para saber o que mais vem por aí.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Acho que a Claudia é um exemplo a ser seguido por qualquer artista. As respostas dela me deixaram com ainda mais vontade de conhecer os universos que cria, e certamente Kate está no topo da minha lista de desejados *u* <3

    Parabéns pela entrevista, o blog de vocês é ótimo <3 ojigoiweiofj

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!