Resenha: Todos Os Nossos Ontens

Resenha: Todos os Nossos Ontens

Todos os nossos ontens é escrito por Cristin Terrill e tem uma mistura de distopia, ficção científica e romance. Publicado aqui no Brasil pela editora Novo Conceito, o livro foi uma leitura bem diferente do que o esperado.
Sinopse: O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo...
Em é prisioneira em uma instalação do governo há algumas semanas, ela e Finn estão sendo torturados pelo doutor e o diretor que estão a procura de documentos que os dois roubaram. Mas Em não pode falar a verdade, porque ela sabe que a sua vida e a do amigo dependem dela se manter firme.

Mesmo quando eu gostaria de desistir e aceitar minha morte de uma vez, saber que também tenho a vida de Finn nas mãos me faz ficar em silêncio. Não importa o que eles façam. E eles fazem o pior que podem.
Os dois estão perdidos, vivendo um dia de cada vez e sem grandes esperanças de escapar. Até o momento em que ela descobre um papel no ralo da sua cela, e em sua própria caligrafia uma mensagem muito clara: "você precisa matá-lo".

Agora Em e Finn precisam escapar de sua prisão e voltar no tempo para impedir que o futuro se realize e eles vivam esse terror novamente. O futuro do mundo está em suas mãos, e pra isso eles precisam alterar o passado.
- O futuro é mesmo tão ruim? 
- Pior.
Enquanto isso, quatro anos antes da realidade em que Em está presa, Marina é apenas uma garota de 16 anos que vive o dilema de lidar com o seu primeiro amor. James é o vizinho lindo, inteligente e melhor amigo de Marina desde que ela era uma pequena garotinha, e ela o ama como nunca amou ninguém. 

A adolescente está pronta para declarar seu amor, mas um acontecimento chocante muda tudo ao seu redor. Como ela pode pensar em coisas tão banais quando James precisa tanto dela? E Finn, será que o amigo de James precisa ser sempre tão insuportável? Ou ele poderia se provar um amigo leal e que se importa com os outros?

- Às vezes, você tem de machucar alguém que ama pelo bem maior.
Resenha: Todos os Nossos Ontens

Todos os nossos ontens brinca com a ideia de viajem no tempo, e se vende como um livro de distopia e ficção fantástica. Tendo isso em vista e como eu havia acabado a leitura de Em Nossa Próxima Vida pouco antes de iniciar essa, minha expectativa girava muito em torno da ideia de um governo distópico utilizando viagens no tempo para modificar os acontecimentos mundias, um grupo de rebeldes lutando contra o governo... Enfim, eu estava pronta para uma trama política e uma grande aventura. Mas não foi o que a autora entregou.

O livro foca muito mais nas questões internas, trabalhando o romance entre Em e Finn e a relação entre Marina e James, intercalando o ponto de vista de Em e Marina. Em continua lutando para modificar o passado, e a cada pequena intervenção feita o futuro se distancia cada vez mais do que ela conhece e dificulta sua situação no passado. Em e Finn já tentaram mudar o passado outras 14 vezes, e desta vez, conseguindo ou não, pode acabar sendo a última.
Deus me perdoe, eu penso ao erguer a mão para o lindo rosto dele. Eu o amo tanto, mas não é suficiente.
A leitura é agradável e rápida, e ainda que tenha me decepcionado graças a forma como foi vendido é um livro que tem umas história muito interessante. O plot é muito bom, e acredito que teria sido ainda melhor se expandisse mais o universo do livro. As últimas 100 páginas entram em um ritmo no qual não dá pra parar de ler, tanto é que foram elas que fizeram com que eu aumentasse a minha nota. O final é esperado e ao mesmo tempo surpreendente, gostei, gostei e gostei. Super indico a leitura!

Título original: All Our Yesterdays
Autora: Cristin Terrill
Editora: Novo Conceito
Gênero: Ficção científica
Nota: 4

Saiba Mais: Skoob | Amazon | Saraiva

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi Felipe, o livro é muito legal mesmo.
      Vale a leitura!

      Att.,
      Eduarda Henker
      Queria Estar Lendo

      Excluir
  2. Oi, Duda. Como vai? Também li Em nossa próxima vida e mesmo não gostando de muita ficção, amei esse livro. Eu acho que leria esse justamente por ter um romance e essa viagem no tempo. O fato da parte política não ser bem apresentada não é algo que me preocupa sabe? Nunca fui fã rsrs mas eu adorei a sua resenha.
    Beijo!
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miriã, nem acredito que tu também curtiu Em Nossa Próxima Vida. Eu AMEI esse livro loucamente! *-*
      Acho que tu gostaria bastante de Todos os nossos ontens, principalmente se tu não se importa muito com a falta da parte política e distópica do livro. :)

      Att.,
      Eduarda Henker
      Queria Estar Lendo

      Excluir
  3. Oi, Eduarda!
    Eu também pensei que ia tratar mais das questões políticas e tals, mas curti a autora abordar as relações pessoais entre os personagens.
    Quando li sua avaliação até a página 100, fiquei receosa que você não curtisse a história, mas fico feliz que no fim das contas foi um bom livro pra você.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos de A Colecionadora de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu, tudo bem?
      No fim, quando eu me acostumei com a ideia da autora eu gostei muito da história. A culpa é, pra mim, da forma como ele foi vendido sendo um livro distópico e envolvendo viagem no tempo, o que induz os leitores do gênero a esperarem determinados aspectos que acabaram não sendo apresentados.

      Att.,
      Eduarda Henker
      Queria Estar Lendo

      Excluir
  4. Oie Eduarda =)

    Quando comecei a ler esse livro não dava nada por ele, mas depois me vi surpresa com a trama. Foi um dos melhores livros que li no ano passado. Ele é triste, sombrio e ao mesmo tempo bonito.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ariane! :)
      Comigo foi o contrário, muitas expectativas, decepção e por fim uma grata surpresa que fez valer toda a história. Eu teria gostado ainda mais, acredito, caso ele não tivesse sido vendido como uma distopia.

      Att.,
      Eduarda Henker
      Queria Estar Lendo

      Excluir
  5. Oi Eduarda, tudo bem? Eu não sou fã de distopias, mas amo viagens no tempo e sendo uma leitura rápida e boa eu até encaro! Aliás, não esperava que o livro pudesse ser tão bom! Acho que vou acabar curtindo a leitura.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Olá, Eduarda

    Esse livro me chamou a atenção na época do lançamento, mas conforme o tempo foi passando e conforme fui lendo as resenhas fui perdendo o interesse, sabe? Até curto esse lance de viagens no tempo, mas a vontade de ler não está mais presente.
    Que pena que você se decepcionou um pouquinho, mas pelo menos a leitura não foi de todo ruim.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!