Resenha: A Torre do Terror

Resenha: A Torre do Terror

A Torre do Terror, lançamento do Grupo Editorial Record, entrega uma leitura aterrorizante em meio a mistérios bem resolvidos e personagens cativantes - tudo o que um bom livro de terror precisa ter para te deixar com medo de virar as páginas.
Sinopse: Um segredo macabro habita o Hotel da Torre Nos anos 1950, o Hotel da Torre, com seus 28 quartos, era a maior atração da pequena Londres, em Vermont. Hoje está abandonado, vivo apenas na memória de três mulheres — as irmãs Piper e Margot e sua amiga, Amy Slater, filha da família que o administrava. Elas costumavam brincar lá quando pequenas, até o dia em que as brincadeiras desenterraram algo macabro e sinistro do passado dos Slater — algo que determinou o fim da amizade de Piper e Margot com Amy. Com o passar dos anos, as irmãs fizeram tudo o que puderam para deixar o episódio para trás e seguir com a vida; Piper mora na Califórnia, enquanto Margot dedica-se à família e a estudar a história local. Até que um dia Piper recebe uma ligação de Margot em pânico: Amy e sua família estão mortos, supostamente pelas mãos da própria Amy. Só que, antes de morrer, Amy deixou escrita uma mensagem que as irmãs sabem ser direcionada a elas: "29 quartos". De repente, Margot e Piper são forçadas a revisitar aquele verão fatídico em que encontraram uma mala e cartas que pertenceram a Sylvie Slater, tia de Amy, desaparecida na adolescência.
O livro foi cedido em cortesia para resenha, e conta três histórias interligadas por uma torre. A primeira delas acontece no ano de 1955, acompanhando duas irmãs: Rose e Sylvie - seu pai é dono de um hotel bem conhecido ali em Londres, e construiu essa torre de pedra como um presente para a mãe. Tudo parece bem, até que Rose percebe coisas estranhas acontecendo por ali. E todas elas parecem ligadas a uma sombra que ela vê durante a noite. A segunda parte é em 1989, acompanhando três garotas: Amy, filha de Rose, e Margot e Piper, amigas da Amy. Elas também estão sempre no hotel, mas alguma coisa terrível aconteceu lá atrás, alguma coisa da qual pouco se entende. Uma tragédia esquecida no passado e escavada pelas três meninas curiosas. E, por fim, o arco de 2013, que acompanha Piper retornando ao hotel depois que Amy matou toda a sua família num tiroteio. Ou teria sido algo além do imaginado? Uma tragédia que ninguém, além de Piper, conseguiria desvendar?

A autora Jennifer McMahon intercala os passados e o presente de maneira magistral. Ela sabe exatamente quando parar um capítulo para carregar a tensão na trama, onde encaixar as revelações, quando fazê-las e quem vai estar lá para descobri-las. Suas personagens femininas foram bem construídas, cada uma com seu tipo de força e fragilidade - bastante humanas e reais, acima de tudo. Temos alguns personagens masculinos de importância para a história, o maior deles sendo Jason, esposo de Margot nos dias atuais, mas a trama gira em torno do ano de 2013, da sua relação com as tragédias do passado e como elas afetam o presente.
Vovó me contou uma história que eu nunca vou esquecer, porque ela jurou que é verdade. É a coisa mais assustadora que já ouvi.Sr. Hitchcock, antes que eu continue, preciso fazer uma pergunta:O senhor acredita em monstros?
Esse livro foi uma surpresa absoluta para mim. Eu não conhecia nada da autora, nem mesmo da obra em questão. Caí nela às cegas e não poderia estar mais feliz por isso! Que história arrepiante, senhoras e senhores. Desde O Iluminado e Caixa de Pássaros eu não me sentia tão imersa em um terror psicológico bem escrito; é o tipo de livro que te dá medo de avançar na história ao mesmo tempo em que carrega tanto no mistério e na tensão que te obriga a devorar as páginas para descobrir o que está acontecendo. Equilibra o suspense e o terror na medida certa, entregando uma história espetacular.


Resenha: A Torre do Terror

Piper é a personagem mais central da história, eu diria. Ela volta para Londres depois de descobrir sobre a morte de Amy - e o fato de a Amy ter assassinado quase toda a família - porque, aparentemente, essa tragédia tem algo a ver com o passado. Margot, sua irmã mais jovem, diz que Amy carregava uma foto de um acontecimento da sua infância, e essa foto é o gatilho para toda uma investigação envolvendo os três tempos em que o livro se passa. Gostei bastante da personalidade da Piper - em 1989 ela é uma adolescente curiosa, amedrontada e cautelosa, e hoje em dia é uma mulher responsável com vontade de fazer a coisa certa, mesmo que ela pareça arriscada demais. Suas interações com Margot e Amy lá em 1989 construíram muito da sua presença hoje em dia.
- Tudo aqui está vivo, Rose. Você consegue sentir?
Amy, através dos olhos de Piper, sempre foi uma aventureira rebelde cheia de energia. As duas têm uma conexão importante para a trama, e é isso que as guia nas investigações a respeito de um desaparecimento que ocorreu uma geração antes delas - na época de Rose e Sylvie.


Resenha: A Torre do Terror

Eis que estamos em 1955 e o cenário é outro: não existe tensão, pelo menos não até coisas estranhas começarem a acontecer ali no hotel. E todas parecem relacionadas à Sylvie, a doce e preciosa e perfeita filha mais velha do casal. Rose, sua sombra, investiga o que parece estar rondando a irmã, e aí nasce o terror que mais me fez querer sair correndo pedindo socorro. Duas cenas em questão - ambas envolvendo a torre - arrepiaram até minha alma. A obsessão da caçula com essa investigação e com os mistérios na torre construiu a aura de curiosidade nas páginas do livro, arrastando o leitor junto com a Rose conforme ela se aprofundava nos mistérios da torre, do hotel e do que quer que estivesse se aproximando.
- Para algumas pessoas, Rose, é mais fácil fingir que as coisas que mais nos assustam simplesmente não existem.
O livro entrega uma história perturbadora e mescla bastante do terror psicológico com o imaginário. É uma trama complexa, mas quando as coisas começam a encaixar, aí as respostas surgem como tapas na cara. A Torre do Terror é bem completo, com um fim um pouco apressado que poderia ter ganhado mais umas dez páginas para soar perfeito ao tom anterior, que entregou tudo com calma e na medida certa, e com certeza vale a pena para quem gosta de uns sustos.


Título original: The Night Sister
Autora: Jennifer McMahon
Editora: Grupo Editorial Record
Gênero: Thriller / Terror
Nota: 4,5

Saiba Mais: Skoob | Amazon | Saraiva

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

9 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Não conhecia a história, mas pelo que você falou deve ser um terror psicológico daqueles que você não larga. Faz tempo que não leio um terror psicológico que vou adicionar esse na lista.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  2. Falou em terror já me arrepio kkk sou super medrosa!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Denise!

    Só li um livro de terror psicológico em toda minha vida. Não é meu gênero preferido, mas foi uma boa experiência! Eu gosto bastante de livros que alternam entre o passado e o presente e, juntamente com os comentários positivos que você deu, acho que deve ser um livro bem interessante!

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  4. Não é meu estilo de leitura, mas parece ser uma história que te prende pelo "pânico", suspense..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, Denise.
    Eu não conhecia esse livro ainda. Mas já quero ler. Sempre estou a procura de bons livros de terror. Mas é dificil de encontrar hehe. E gosto bastante de narrativas que intercalam assim. Mesmo que eu fiquei brigando comigo mesmo para não ler o final logo hehe. Vou anotar aqui e se der eu vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi Denise, tudo bem?
    Não conhecia o livro e gostei muito da sua resenha, adoro um bom mistério e fiquei bem interessada nessa história, gosto muito de terror e a premissa chamou minha atenção. Espero ter o livro em mãos em breve! :)

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  7. OIi Denise

    Ando numa vibe de terror e suspenses que tu nem imagina, óbvio que pirei com essa resenha brutal sobre o livro, com certeza que vai pra listinha, quero me surpreender e conhecer os segredos desse hotel. Essa vibe de O Iluminado me deixa super curiosa, lembro quando vi o filme com o Nicholson, eu era pequena na época e passei tipo anos com medo do ator de tanto que o filme me impactou...haha
    Fica a dica anotadissima.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Dê! O livro parece bem grandinho, ainda bem que vc curtiu a leitura. Tem muito livro bom pouco popular ou com pouco marketing que merece nossa atenção! Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia Denise!
    Eu adorei ler Caixa de pássaros, então já fiquei animada! Terror bem escrito é td de Bom!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!