Resenha: Filhos da Degradação - Queria Estar Lendo

Resenha: Filhos da Degradação


Filhos da Degradação é o primeiro volume da série Ordem Vermelha, do autor Felipe Castilho. Lançado pela Editora Intrínseca lá na CCXP, é uma história de fantasia poderosa, cheia de mensagens relevantes e personagens extremamente representativos. Em suma, é uma obra prima.
Sinopse: Você destruiria seu mundo em nome da verdade? A última região habitada do mundo, Untherak, é povoada por humanos, anões e gigantes, sinfos, kaorshs e gnolls. Nela, a deusa Una reina soberana, lembrando a todos a missão maior de suas vidas: servir a Ela sem questionamentos. No entanto, um pequeno grupo de rebeldes, liderado por uma figura misteriosa, está disposto a tudo para tirá-la do trono. Com essa fagulha de esperança, mais indivíduos se unem à causa e mostram a Una que seus dias talvez estejam contados. Um grupo instável e heterogêneo que precisará resolver suas diferenças a fim não só de desvendar os segredos de Untherak, mas também enfrentar seu mais terrível guardião, o General Proghon, e preparar-se para a possibilidade de um futuro totalmente desconhecido. Se uma deusa cai, o que vem depois? Ordem Vermelha: Filhos da Degradação é o preâmbulo da jornada de quatro improváveis heróis lutando pela liberdade de um povo, um épico sobre resistir à opressão, sobre lutar contra o status quo e construir bravamente o próprio destino. Porta de entrada para um novo mundo com inspirações de fantasia medieval, personagens marcantes e uma narrativa que salta das páginas a cada vila, ruela e beco de Untherak. O primeiro livro de fantasia que a editora Intrínseca lança em parceria com a CCXP - Comic Con Experience, escrito por Felipe Castilho em cocriação com Rodrigo Bastos Didier e Victor Hugo Sousa.
Unthreak se curvou à vontade de uma deusa furiosa. Una espalhou terror sobre seu povo, e anos se passaram sob a sombra da sua tirania. Na história, acompanhamos pequenas faíscas rebeldes, personagens que caem de paraquedas no meio de uma possível revolução, traidores e figuras desmascaradas. O mundo como todos ali conhecem pode estar com os dias contados, mas qual o preço de enfrentar uma entidade imortal?

- Alguns infernos duram mil anos; outros, um dia. Mas nenhum é melhor que outro.
Diversos núcleos margeiam a história principal. Primeiro temos Aelian, o falcoeiro de Untherak, a última fronteira entre a civilização e a degradação, o grande deserto traiçoeiro além dos muros da cidade. Aelian é o típico protagonista "eu estava de boas na lagoa e de repente tô no meio de uma guerra" - o meu tipo favorito.



Ele é um garoto assustado que se contenta com um pouco de rebeldia em seus dias; escalar prédios e passear por terraços, se embebedar em seus horários de folga. Tá de bom tamanho pra ele. Aelian perdeu seus pais anos atrás, durante o Festival da Morte (uma competição na arena da cidade no estilo Coliseu e gladiadores; saudades Spartacus) e aprendeu a se virar sozinho. Quando o acaso coloca uma informação e a chance de fazer dela uma mensagem útil a duas guerreiras prestes a enfrentar a mesma arena, tudo que Aelian tinha trilhado até então se dissolve em incerteza.
Raazi gostava de ter duas vistas tão diferentes na mesma casa. Aquilo fazia com que ela lembrasse da dualidade das coisas, de como, dentro daquele Unificado embrutecido, era possível encontrar algo que desse significado para sua existência no mundo.
Raazi é uma kaorsh - uma das novas raças apresentadas na história, detentora de agilidade e alguns poderes muito interessantes -, e está determinada a participar do próximo Festival da Morte. Ela e sua companheira, Yanisha, são faíscas para o incêndio de rebeldia que pode renascer caso seu plano funcione. Elas vivem juntas há muito tempo, pertencem uma a outra - e eu preciso de um momento para falar como eu chorei de felicidade ao ler um relacionamento w/w tão bem escrito e real e tão maravilhosamente bem trabalhado na história - e fizeram essa promessa de guerrear para tentar destronar a poderosa Una.



Todo o mistério e a misticidade que cercam a deusa de muitas faces foram detalhes fascinantes do livro. Una é imortal, indestrutível, um rosto que vigia tudo e todos. Ela também é uma máscara e muitas lendas, é o medo de cada morador de Untherak.

A questão das raças mágicas e da construção do mundo são fascinantes. Tem referências a lendas bastante familiares aqui pra gente, coisas mínimas muito bem pensadas e encaixadas para dar veracidade ao mundo que a obra apresenta. É aquele tipo de universo fantástico que logo no começo já pega seu coração, e dali pra frente você só quer conhecer mais e mais sobre cada pedaço dele.

Conforme a história avança e você conhece mais dos personagens, mais rostos em meio ao cenário opressivo, mais cresce sua curiosidade para entender tudo que envolve o nascimento da deusa e sua tirania. É um arco poderoso, muito além de uma simples revolução. Fala sobre o medo e as histórias e o poder que os dois unidos podem ter sobre todo um povo.
- O medo nos diz coisas que não ouviríamos em dias de coragem.
Outro personagem que ganha destaque e entrega as melhores cenas é o anão, Harun. Ele é um dos oficiais do governo, chamado Autoridade. Carrega a voz da deusa e seus anseios, mas também tem voz própria. Ele não é um simples soldado. Não vou falar muito para não estragar os melhores momentos dele, mas espere muitas surpresas no arco desse personagem em questão. É meu favorito.



Nomes como Ziggy, Anna e Venoma enriquecem a trama principal. O mistério de Aparição, um justiceiro mascarado que vem causando problemas para os Autoridades, a incerteza quanto ao que é preciso para destronar o regime cruel, tudo é muito bem desenhado na narrativa.
- Nós somos as fagulhas que darão início à fogueira. Talvez o vento nos sopre para longe, talvez possamos iniciar um incêndio. Como fagulhas, o que fazemos melhor é brilhar. Queimar.
As interações entre esses personagens em específico foram ótimas. Tem humor na medida certa e aquele embate de personalidades distintas. Aelian e sua cautela e sarcasmo contra a racionalidade de Raazi; a brusquidão de Harun contra a serenidade de Ziggy; são mentes distintas que formam o tipo de grupo pelo qual é fácil torcer. É bem aquele clichê de 'juntos somos mais fortes' que dá tão certo em tramas do tipo.

A leitura é rápida, com diálogos ricos e cenas de ação de encher os olhos. É quase como assistir um filme ou série bem produzido. Tem tudo de mais agradável nos momentos mais precisos. É um bate e volta durante as lutas, perseguições cheias de adrenalina. Não dá pra começar a ler e parar, você precisa chegar no final. Os plot twists conseguiram me deixar bem chocada. Não é uma coisa "isso é tão Black Mirror", mas estala na sua cara em cenas específicas e tudo o que dá pra fazer é ressoar um O QUÊ?



O trabalho da Editora Intrínseca foi primoroso (perceba e perdoe a breguice do elogio). É uma obra prima completa, desde as artes fodásticas até a diagramação impecável e a história poderosa que é contada. O livro foi construído entre várias pessoas e todas as responsáveis por ele - desde o Felipe até os ilustradores e o pessoal da edição -, estão de parabéns.


Mesmo quando se vive preso, nem todos os sonhos são de liberdade.
Filhos da Degradação entrega tudo o que os leitores de Fantasia procuram. O mundo é fascinante, as dinâmicas são ótimas e os personagens muito bem desenvolvidos. É completo do início ao fim - e você vai terminar pedindo por mais.


Título original: Filhos da Degradação
Autora: Felipe Castilho
Editora: Editora Intrínseca
Gênero: Fantasia
Nota: 5 +


GOSTOU DO LIVRO? QUER AJUDAR O BLOG? ENTÃO COMPRE ATRAVÉS DOS NOSSOS LINKS!


Share this:

, , , , , ,

COMENTÁRIOS

18 comentários:

  1. Parece ser uma história incrível, adorei a capa e a sinopse, realmente me interessou. Gosto de histórias neste estilo, apesar de não abordar mto este gênero literário. Sua resenha ficou ótima!

    http://www.leitorasvorazes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi flor!
      É uma história maravilhosa e completíssima. Se tu gosta de aventuras do tipo, é uma leitura perfeita pra ti.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Denise!
    Se eu já queria ler antes, acho que agora sou obrigada como toda fã de boa fantasia.
    Engraçado como sempre tem um anão com muito destaque e dono de tudo hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      POR FAVOR LEIAAA, preciso de alguém pra surtar comigo.
      Os anões são sempre os melhores e os mais sensatos na maioria das histórias assim. Harun meu brother.

      Beijos!

      Excluir
  3. Oie
    Pelos teus comentários o livro parece ser ótimo, me deixou curiosa para ler. E eu adoro uma boa fantasia.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nessa!
      Já virou um dos favoritos desse ano, foi uma leitura incrível. Altamente recomendado!

      Beijos.

      Excluir
  4. Olá, Denise.
    Eu já tinha ficado interessada quando vi o livro aqui no blog mesmo. Agora depois de ler essa resenha então eu preciso ler ele. Eu amo livros de fantasia bem construídos e essa tem vários personagens muito interessantes. E essa edição parece estar show.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      O conjunto completo da obra é um espetáculo. Tenho certeza que tu vai curtir muito essa leitura, vou aguardar pra poder surtar contigo <3

      Beijos.

      Excluir
  5. Que edição incrível!!!
    Sempre via a capa nas resenhas mas essa foi a primeira vez que vi os detalhes, lindo demais!
    Adorei a resenha, esse ja foi pros desejados hihi
    Bjs!
    Meu Blog | Meu Canal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi flor!
      A edição é maravilhosa né? Geeeeeente que eu fiquei babando nesse livro quando peguei na mão (e até agora).
      Vale muito a pena, leia sim!

      Beijos.

      Excluir
  6. Que ilustrações são essas meu deus O.O
    Achei maravilhosas!!!
    Parece ser um livro interessante, e nem é tão caro (28,90 na Amazon é um preço bem acessível). Gostei!

    Toca da Lebre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda!
      NUM É MENINA? Uma edição dessas, cara. Não sei o que dizer, só sentir.
      Pra um lançamento e um trabalho gráfico desses, o preço tá ótimo mesmo! E o conteúdo é maravilhosooo.

      Beijos.

      Excluir
  7. Fantasia é um gênero incrível e saber que o autor conseguiu encaixar tantos elementos, deixar a qualidade da obra dessa forma é algo incrível.
    Fiquei interessada em ler.

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naty!
      Não dá pra cansar de livros do tipo, né? É meu gênero literário favorito e eu fico tão feliz por ver a quantidade de títulos fodásticos saindo dentro da temática.
      Esse é um dos exemplos <3

      Beijos!

      Excluir
  8. Oii Denise, tudo bem ? Amei a sua resenha e estou de olho nesse livro desde que fiquei sabendo dele, amo fantasias.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      Opa, quem sabe a resenha serve de incentivo pra tu ir de vez no livro! Vale cada minuto de leitura, garanto <3

      Beijos.

      Excluir
  9. Oi, Denise

    Eu não curto fantasia. Eu leio forçando mesmo, e às vezes eu me surpreendo. Eu sou uma pessoa que curte histórias possíveis, sabe? Sou bem vida real, por isso que tenho certa dificuldade com o gênero...
    Porém, quando a fantasia é mais adulta, mais substancial, a história é outra. E me parece o caso.
    Não pesquei nenhuma infantilização e isso me agradou. Achei os nomes criativos e a edição super caprichada. Então assim, não seria algo que eu leria no momento, mas não é um livro cuja leitura não me interessa como costuma ser a maioria das fantasias...

    Beijocas
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  10. Olá Denise,

    Esse livro está na minha lista de desejados, a história parece ser incrível, na sua resenha percebi bem isso, parabéns.

    Beijos.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!