QEL Entrevista #4 - Tiago P. Zanetic - Queria Estar Lendo

QEL Entrevista #4 - Tiago P. Zanetic



1) Vamos começar com a apresentação básica aos leitores e leitoras do blog: quem é Tiago?

Olá, Denise, olá leitoras e leitores do blog, bem, Tiago é um louco! Primeiramente, por se meter a fazer milhares de projetos em paralelo, como ser roteirista de quadrinhos, youtuber, etc. Mas sou autor de Onze Reis, uma trilogia de fantasia medieval. 

2) Aproveitando a deixa, agora que conhecemos mais sobre você, diz aí de onde surgiu a ideia para Onze Reis! Foi um estalo do tipo “opa, universo, preciso escrever isso” ou algo mais planejado, “quero sentar agora e pensar em uma história nesse estilo”?

Olha, foi algo bem mais que foi se construindo em minha mente, sabe? Eu comecei a pensar na trama quando eu tinha dezessete anos, e por mais de dez anos, fui tendo ideias e mais ideias para ela, conforme lia mais, assistia a mais filmes, e, bem, vivia. (a vida nos inspira tanto...)

Sinceramente, eu nem esperava colocá-la no papel algum dia. Eu meio que criava só para mim. Mas um dia me deu um estalo e sentei para escrever... 


3) Uma história não é nada sem seus personagens, e o universo de Onze Reis tem um leque deles. O detalhe que mais me prendeu na trama foi acompanhar as jornadas de cada um – em especial o Sttanlik e o Paptur (MEU BROMANCE). Como foi o trabalho de compor esses personagens? Você sabia, desde o princípio, quais seriam suas personalidades, escolhas, defeitos, ou as coisas foram surgindo conforme eles ganhavam vida?

Um pouco de cada. Eu tracei bem o que queria que cada um dos personagens fossem, mas ao longo da escrita, eles ganharam vida. O relacionamento mesmo (SEU BROMANCE) de Sttanlik e Paptur foi uma das coisas mais orgânicas com que já trabalhei. Era uma amizade que se formava aos poucos, se aprofundando, como são as melhores amizades mesmo.

4) As cenas de ação do livro foram as melhores coisas da história (depois do Paptur), então fala um pouquinho sobre a composição delas. Foram fáceis de escrever? Vieram rápido pra você? Ou deram mais trabalho?

Bem, confesso que as cenas de luta eu planejo muito antes de começar a escrever. Eu penso na dança que os personagens farão, em como reagirão e nas saídas mais sagazes que encontrarão, tudo antes de digitar uma palavra sequer. A descrição se torna mais tranquila quando eu tenho a cena decorada em mente, mas não nego que uma outra me deram um trabalhão... (a última batalha do primeiro volume que o diga).
  
5) Aproveita e conta um pouquinho pra gente sobre a composição da trama como um todo. Como você se organiza? Usa planilhas, faz rascunhos ou vai no clássico “Deus me leva ou leva a história pra algum lugar”?

Eu trabalho com anotações caóticas, Denise! Me ajuda, Denise! Haha

Costumo acumular anotações em cadernos, planilhas e até mesmo áudios que gravo no celular, e meio que tudo vira um caos. Mas vou organizando enquanto vou escrevendo.
Porém, eu deixo a história me levar, logo muitas dos acontecimentos posso dizer que surgiram enquanto escrevia. 

6) Dá licença que agora é a hora daquela pergunta nossa de cada dia: quando sai o próximo? O que podemos esperar dele? E quão salvos estão meus filhos (principalmente o Paptur) na sequência?

O segundo livro... ah, o segundo livro...

Essa será a primeira vez em que eu falarei abertamente sobre uns percalços que tive durante o desenvolvimento do segundo livro, passei a ter crises de ansiedade, devido a problemas pessoais e afins, e isso fez com que eu atrasasse o desenvolvimento da continuação. E como sou bastante minucioso em meu trabalho, prefiro entregar algo do jeito que quero, e que o leitor merece, mesmo que isso demore.

Mas, posso dizer quer tudo está melhor agora, e estou prestes a entregar o segundo livro para a editora, ou seja, SOON!

A salvo eu devo dizer que NINGUÉM está no continente de Relltestra (sério), mas espero que os leitores não me odeiem no final... juro que não faço por mal!

7) Qual personagem foi mais fácil de escrever até agora? E o mais difícil?

Mais fácil de escrever, definitivamente foi Paptur, pelo fator diversão. Ele é o meu xodó, mas tenho um lugar especial no coração para Baldero (quem usa um balde como arma???).
Já na parte dos mais difíceis temos um empate: Vanza e Ckroy!

Vanza, pois ela é a peça chave de toda trama, e quero fazer jus a isso, o que em muitos momentos requer muito cuidado por “onde piso”. E Ckroy pois eu quis fazer um personagem mais contraditório em seus sentimentos, e é muito mais difícil escrever um personagem mais “cinza”, porém isso o torna mais humano.  

8) O que podemos esperar do Tiago para o futuro? (além do livro 2).

Eu sempre me divertindo horrores com o Canal do Zanetic (meu canal, é claro), então podem esperar muitos vídeos loucos.

E estou com uma HQ (que será revelada em breve), com lançamento para a CCXP! Uma pena que a editora ainda não me deixa revelar ainda nada sobre ela, mas prometo voltar aqui com a novidade!


Perguntas rapidinhas:



- O que você está lendo agora:

Noite das Facas de Ian C. Esslemont, que mal comece e já estou amando.

Em paralelo estou quase terminando A Fazenda de Tom Rob Smith, um belo thriller.

 - Autor(a) favorito(a) do momento:

Joe Arbercrombie (li recentemente a trilogia Mar Despedaçado e adorei) e Ann Leckie de Justiça Ancilar. 

- Série favorita do momento:

Estou amando (Des)Encanto, da Netflix e Mindhunter (sim, demorei DÉCADAS pra começar a assistir) 

- Escolha um personagem seu pra matar e outro pra salvar:
(é bom não ter Paptur na segunda parte da resposta)

Sttanlik eu mataria fácil, pois muitas das decisões dele me deixam desesperado! Hahaha
Salvar? Ninguém está a salvo nas minhas mãos! MUAHAHA
(mas vou tentar proteger Paptur por você, Denise! JURO!)

- É seu aniversário, pra qual dos seus personagens vai o primeiro pedaço do bolo: 

Leetee, para que ele pare de falar um pouco! Hahaha Mentira, tadinho, eu gosto demais dele, então ele merece! (mas mandaria ele dividir com Baldero, afinal, QUEM USA UM BALDE COMO ARMA???)

Compre os livros:


Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Eu nunca tinha ouvido falar do autor nem dos livros dele, mas acho que já vi um vídeo dele rolando por aí. Acho que percebi que ele escreve como fala kkkk é bem engraçado e eu achei o máximo! Não leio muita HQ mas eu adorei conhecer essa obra.
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, meninas.
    Lembro que li uma resenha de Onze Reis aqui no blog e fiquei muito interessada no livro. Achei a entrevista bem bacana. Eu também gravo áudios, só que de resenhas porque tem lugar que não dá para escrever e não quero perder a ideia hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nizz!
    Adorei o autor. Fiquei bem interessada em conhecer mais a obra dele, apesar de que ainda vai sair o segundo livro.
    Eu li essa trilogia do Joe que ele comentou e meio que me decepcionei com o último livro, mas no geral ela é muito boa! Acho que tu iria gostar.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?
    Adorei a entrevista e o alto-astral do autor.
    O livro parece bem legal também. Gosto de histórias de cunho medieval.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!