Resenha: Pôr do sol no Central Park - Queria Estar Lendo

Resenha: Pôr do sol no Central Park

Resenha: Pôr do sol no Central Park

Pôr do sol no Central Park é o segundo volume da série Para Nova York, Com Amor da autora best-seller Sarah Morgan. Lançamento de outubro da editora Harlequin, que nos cedeu um exemplar para resenha, o livro tem foco no romance da desacreditada Frankie e do perseverante Matt.
Sinopse: Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas fará de tudo para superar os bloqueios e conquistá-la.
Franscesa Cole, mais conhecida por Frankie, é uma mulher que não acredita no amor ou em finais felizes. Com um histórico familiar de traições e abandono, parece impossível para ela que um casal possa se amar e viver juntos e felizes para o resto de suas vidas. O amor, se existir, acaba. E o que resta é apenas dor e sofrimento.
- Eu te amo, mas nunca vou entender você.
Por isso Frankie evita com unhas e dentes qualquer envolvimento romântico, por menor que seja. A simples ideia de vir a gostar de alguém a deixa nervosa e a beira de um ataque de pânico. Acrescente a isso suas próprias experiências ruins com o sexo oposto, e você vai encontrar uma pessoa totalmente desacreditada no romance e na vida a dois.

Eis que entra em cena Matt, o irmão mais velho de Paige e dono do apartamento onde Frankie e as amigas moram. Matt é um homem bom, carinhoso e muito sexy, que a conhece há anos e é uma amizade que ela preza muito. Sendo assim, quando ele precisa de ajuda com uma questão de trabalho não importa o quão nervosa Frankie fique estando perto de Matt, ela não tem como dizer não.
- Você tem que deixar ela querer isso, Ev. Não é possível amar alguém que não queira ser amado.
Frankie não precisaria ficar tão apavorada com a ideia de passar mais tempo perto de Matt, afinal eles eram amigos há muito tempo, não fosse o fato de ele recentemente ter descoberto certos artifícios que ela usa para se esconder e ter a deixado envergonhada. Ou a maneira como ele parecia cada vez mais disposto a invadir seu espaço e ultrapassar seus limites, dando a entender que o interesse que ela sentia por ele não era unilateral ou exclusivo. 

Quanto mais ele se aproxima e testa todos os seus limites, maior é a vontade que Frankie tem de jogar tudo para o alto e correr. Basta ela descobrir se quer correr para longe ou para os braços de Matt.


Resenha: Pôr do sol no Central Park

Sarah Morgan nos presenteia com mais um livro lindo e incrível. O romance entre os dois protagonistas é muito bem construído, e se desenvolve de uma maneira natural e agradável. Frankie e Matt já vinham conquistando os olhares dos leitores desde Amor em Manhattan, e agora entregaram com maestria sua própria história de contos de fadas.
Ela conseguia até ver seu relatório de autopsia: morta por frustração sexual.
Frankie já tinha sido minha favorita no livro anterior, e foi com muita felicidade que pude ler este livro e acompanhar esse romance que não deixou em nada a desejar. A construção dos personagens é muito boa, principalmente de Frankie que trabalha com seus medos e angústias de uma maneira muito real e compreensível.

Não existem exageros em suas ânsias, ela é alguém quebrada que na tentativa de lidar com traumas da adolescência acabou se revestindo de máscaras e mecanismos de defesa que fizeram com que se perdesse em si mesma. E Matt é o cara perfeito para ir lhe ajudando a se livrar disso, vencer seus medos e se redescobrir.
Era como admirar um tigre no zoológico e de repente perceber que alguém tirou o vidro entre você e ele. Não havia nada impedindo que ele se aproximasse.
Frankie não usa vestidos por que não gosta deles, mas porque eles a lembram de um momento ruim. Suas roupas não são todas largas e cobrindo todo o corpo só por que ela prefere assim, mas porque ela tem medo do que pode acontecer caso as pessoas a enxerguem. Seus relacionamentos nunca dão certo porque ela nunca se envolveu com alguém de quem gostasse e se importasse, porque a simples ideia de gostar de alguém e se machucar a deixa em puro pânico.

Uma das coisas que inicialmente me tirou de balanço mas que depois, após uma breve reflexão, acabei gosta muito foi a relação que Frankie passa a ter com o sexo depois de Matt. Eu não queria que ela fosse mais uma mocinha que descobre os prazeres do sexo logo na primeira transa graças a um cara que se acha deus do sexo. 
- Você está flertando comigo, srta. Cole? 
- Devo estar, mas ainda não tenho muita experiência. Estou trabalhando nisso.
Mas gostei de como a autora, ainda que usando desse subterfúgio, trabalhou a ideia de a personagem finalmente ter gostado de sexo e sentido prazer com ele porque era a primeira vez que ela transava com alguém de quem ela gostasse e com quem se importasse. Não tinha nada a ver com Matt ou o quão bom ele era na cama, apesar de ele ser ótimo!, e sim com a confiança e carinho que existia entre os dois.

O que nos faz entender um pouco da complexidade da personagem, e de como sua vida é toda trabalhada em torno do medo de se decepcionar e permitir ser machucada por alguém. Por isso é importante ressaltar a importância do papel de Matt em lhe ajudar a se abrir pro mundo, mas sem deixar de destacar que antes de tudo Frankie faz isso pelas amigas e principalmente por si mesma. Ela quer ser alguém melhor, ela quer ser corajosa, ela quer ser feliz.
- Um pôr do sol no Central Park - murmurou Frankie. - Não tem como ficar mais perfeito que isso.
Sarah Morgan conseguiu mais uma vez, estou apaixonada por esse livro e mal posso esperar pelo próximo. Está mais do que na hora de Eva finalmente encontrar seu Príncipe Encantado e fazer uso da nova camisinha, antes que ela vença como a antiga.

Pôr do Sol no Central Park é um romance leve, divertido e que você não vai querer parar de ler. Um livro que mais do que apenas sobre amor, fala sobre amizade e sobre vencer seus medos e lutar pela sua felicidade. 

Título original: Sunset in Central Park
Autora: Sarah Morgan
Tradução: Willian Zeytoulian
Editora: Harlequin
Gênero: romance
Nota: 5
Skoob


GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

Share this:

, , , , , ,

COMENTÁRIOS

9 comentários:

  1. Olá, Eduarda.
    Eu gostei muito do primeiro livro também e assim como aconteceu com você, Frankie foi minha favorita das três amigas. E já saia faíscas entre ela e o Matt no outro livro, imagino nesse então. Assim que chegar o meu exemplar aqui, porque até agora a editora ainda não enviou, eu vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi, Eduarda!

    Eu ainda tenho que ler o primeiro livro, mas sua resenha me deixou super empolgada pra passar o primeiro volume na frente dos outros livros e conferir logo a história pra poder chegar em Pôr do sol no central park hahaha. Adorei, parece um romance muito amorzinho.
    Quanto ao seu coment lá no blog sobre encontrar um livro fofo como O cara dos meus sonhos, você já leu o outro livro da Jenn, A anatomia de um coração? Não é tão envolvente quanto o do cara, mas é super legal também. Acho que você ia curtir.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Duda!
    Estou esperando sair logo os três aqui no Brasil para adquirir porque eu amei demais essas capas.
    Adorei sua resenha e já sei que Matt vai virar muito crush
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oi, Eduarda

    De tudo o que você abordou o que eu mais gostei foi a maneira como o sexo foi desenvolvido. Realmente o fato de se estar com alguém que curtimos, que nos faz sentir bem, seguras... faz toda diferença!
    O primeiro livro já tinha chamado minha atenção, esse agora também entrou pra listinha dos desejados!

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Estou bem curiosa para ler esse e o anterior.
    Parece ter uma abordagem interessante em torno da protagonista e o rapaz, me soa muito amorzinho. As capas são muito fofas.
    Espero curtir.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Eu comprei o primeiro livro por causa da sua resenha dele aqui, aí fui ler e perdi o ritmo, o que complicou minha leitura, mas estava muito animada para conhecer as histórias das outras personagens. Eu achava que a história da Frankie viria por último, mas estava tão óbvio seu par romântico que nem sei como me surpreendi. Eu me encantei com ela porque ela parece um pouco eu, apesar de Eva ter sido minha personagem favorita, tadinha.
    Não vejo a hora de ler a obra!
    Beijo

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Eduarda. Tudo bem?

    Acho a sinopse desse livro tão bacana. Já me indicaram várias vezes, sempre falando da trama envolvente, fluida e divertida. Vou ter que colocar na lista.

    Beijos,

    Pah - Livros e Fuxicos

    ResponderExcluir
  8. Oi Eduarda! Eu gostei bastante do primeiro livro e estou ansiosa para ler este novo. Eu tenho um carinho por histórias ambientadas em NY. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  9. Oi Eduarda! Puxa eu não li o primeiro livro, mas já quero ler os dois. A Ari lá no blog ama essa autora e já acho que vou amar a protagonista tb!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!