Controle Remoto: You (Você)

  • 09:00
  • 29.1.19
  • Controle Remoto: You (Você)

    You acabou de chegar na Netflix e já vem causando impacto, segundo uma projeção do serviço de streaming, a série deve ser assistida por cerca de 40 milhões de usuários só nesse primeiro mês disponível no site. Nela, Joe, um livreiro, acaba obcecado por uma de suas clientes e faz de tudo para que ela se apaixone por ele - inclusive assassinar pessoas que possam ficar em seu caminho.

    You é baseada no livro Você, de Caroline Kepnes, publicado por aqui pela editora Rocco, e conta com 10 episódios. Neles conhecemos Guinevere Beck, uma aspirante a escritora por quem Joe fica obcecado após visitar a livraria onde ele trabalha. Acreditando que a simpatia dela é um encorajamento, Joe descobre onde a moça mora e passa a observá-la em casa, segui-la para os lugares onde vai e até invadir seu apartamento, além de manipular situações para fazer com que ela se apaixone por ele.

    Não vou dizer que You foi a melhor série que eu já vi, até porque ela conta com um voice over - quando os personagens narram a história - e isso me irritou bastante no começo, mas consegui superar (ou não me importar tanto?) depois dos primeiro episódios. Mas ela tem um bom ritmo, com boas atuações que convencem e personagens que não são exatamente aquilo que parecem ser, o que torna a trama mais instigante.

    Outro ponto que gostei foi como Joe não passa a história inteira se dando bem para no final se dar mal, como é tão comum em livros e séries de suspense, o que honestamente me deixa muito irritada e estressada assistindo as coisas. Joe sempre está a um passo de se dar mal e, vez ou outra, as coisas não acontecem como ele planeja, o que alivia um pouco o estresse dele sair impune com muitas coisas.

    Controle Remoto: You (Você)

    Cheguei na série com os dois pés atrás porque fiquei com medo de estarem romantizando alguma situação, já que tem um contigente muito grande de pessoas apaixonadas por Joe e desejando um para si mesma, mas depois de ver a série posso afirmar que essas pessoas precisam de ajuda psicológica.

    Eu posso entender de onde algo do tipo sairia. Joe não é fisicamente - ou psicologicamente? emocionalmente? Ao menos eu não percebi - abusivo com Beck, pelo contrário. Ele a encoraja a seguir seu sonho de ser escritora e de fato escrever, ele está sempre disponível para ela e constantemente tentando livrá-la das manipulações de Peach - uma de suas melhores amigas. Ele é fofo com ela, eles compartilham interesses em comum.

    Além do mais, ele parece se preocupar com outras pessoas - como seu pequeno vizinho, Paco - o que acaba por fazer com que nós, que não somos desprovidos de sentimentos, sejamos empáticos com ele.

    Controle Remoto: You (Você)

    Mas Joe faz tudo que faz só para que Beck possa cair cada vez mais em suas garras, e sempre que ela não corresponde ao que ele espera, Joe sai para "consertar as coisas" que, muitas vezes, constitui em atacar e assassinar pessoas a sua volta. 

    Em nenhum momento a série arranja desculpa para o comportamento de Joe, mesmo quando explica alguma coisa com o passado dele - que eu gostaria de ter visto mais, ficou bem no ar. Inclusive colocam, no voice over, Joe condenando em outros personagens exatamente o comportamento que ele tem com Beck. Sempre ficou muito as claras que Joe é, no mínimo, uma pessoa perturbada e desequilibrada e que tudo que ele estava fazendo com a Beck não era por amor, mas sim por uma obsessão doentia.

    Além disso, nenhum outro personagem na trama foi apresentado de forma preto no branco. Todos eles tinham problemas e escondiam coisas - o que, por vezes, faz Joe sentir-se superior a eles, bastante egocêntrico. Todas as personagens cometeram erros ou tinham passados problemáticos que desencadearam a forma como se relacionavam com o mundo - as mais notáveis sendo a própria Beck e Peach.

    Controle Remoto: You (Você)

    E aí foi construída uma história onde as personagens estão mais próximas do que esperariamos em pessoas de vinte e poucos anos tentando seguir os proprios sonhos em uma cidade como Nova Iorque e aprendendo que as coisas não são assim tão fáceis. É definitivamente uma série que eu recomendo, mesmo para quem não curte muito suspense, porque não deixa aquela ansiedade irritante na gente.

    Tendo dito tudo isso e sabendo que o livro tem uma continuação, Hidden Bodies, eu realmente não gostaria de uma segunda temporada. Preferia que a série pudesse ter terminado como o livro (porque sim, eu fui pesquisar sobre) e pudêssemos encerrar por ali.

    Mas né, tudo que dá dinheiro não acaba cedo (menos Spartacus, aparentemente). Deixo vocês com o trailler da série.

    1. Oie
      Gostei da série, mas ao mesmo tempo fiquei incomodada com as atitudes dos personagens. Fiquei curiosa pela continuação da série já que o seu final é diferente do final do livro.

      Beijinhos
      https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    2. Oi, Bibs!
      Eu parei na metade da série, mas só porque fiquei sem tempo pra terminar. Também não vi o comportamento dele sendo romantizado e achei um absurdo as pessoas falando que queria um Joe. Gente, eu só iria correr pra bem longe mesmo!
      Sem falar que logo no primeiro episódio já fiquei pensando se eu dava tanta informação na internet para que alguém pudesse se tornar o meu Joe. Credo.
      Beijinhos,

      Galáxia dos Desejos

      ResponderExcluir
    3. eu gostei bastante da serie, e nao romantizando o psicopata mas é que essa beck e essas amigas dela sao tao chatas que ele quase fica com a razao hahahaha mas nunca que queria um doido desse na minha cola

      www.tofucolorido.com.br
      www.facebook.com/blogtofucolorido

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.