Resenha: Apenas Uma Garota

  • 09:00
  • 7 de jan. de 2019
  • Resenha: Apenas Uma Garota

    Apenas uma Garota é o primeiro livro de Meredith Russo, publicado no Brasil em 2017. O livro traz a história de Amanda Hardy, uma adolescente trans que muda-se para a casa do pai em busca de recomeçar a sua vida ao viver sua verdade.
    Sinopse: Prestes a entrar na vida adulta, Amanda Hardy acabou de mudar de cidade, mas a verdadeira mudança de sua vida vai ser encarar algo muito mais importante: a afirmação de sua identidade. Tudo que ela mais quer é viver como qualquer outra garota. E, embora acredite firmemente que toda mudança traz a promessa de um recomeço, ainda não se sente livre para criar laços afetivos. Até que ela conhece Grant, um garoto diferente de todos os outros. Ela não consegue evitar: aos poucos, vai permitindo que Grant entre em sua vida. Quanto mais eles convivem, mais ela se sente impelida a se abrir e revelar seu passado, mas ao mesmo tempo tem muito medo do que pode acontecer se ele souber toda a verdade. Porque o segredo que Amanda esconde é que ela era um menino.
    Em seu romance de estreia, Meredith Russo retrata o processo de transição de uma adolescente transexual, parcialmente inspirada em suas próprias experiências. Enquanto traz à tona questões difíceis como dilemas existenciais, preconceito e bullying, o livro também fala de forma esperançosa e leve sobre amizade, descobertas e autoaceitação.
    Quando Amanda Hardy chega em Lambertville, onde seu pai vive, tudo que ela quer é um recomeço onde possa viver sua verdadeira identidade, onde possa finalmente viver sua vida como a mulher que sempre soube que era.

    Como uma mulher trans, Amanda teve que enfrentar o preconceito, as dúvidas e a depressão até que finalmente encontrasse seu caminho, contando sempre com o apoio da mãe. Mas, quando o preconceito ameaça sua vida, ela acaba tomando uma importante decisão: recomeçar ao lado do pai, que não vê há anos, desde o divórcio.

    Em Lambertville, tudo que as pessoas veem é uma bonita adolescente, e Amanda sente que finalmente tem a oportunidade de ser quem é e viver a vida que sempre sonhou. Aos poucos ela perde o medo de que todos saibam sua verdade só de olhá-la, encontra um grupo de amigas e até mesmo um namorado. E tudo que ela quer é poder viver assim.
    Desde que me entendo por gente venho me desculpando por existir, por tentar ser quem eu sou, por viver a vida que eu estava destinada a ter.
    Apenas Uma Garota é um livro curto e fácil de ler, a narrativa da Meredith Russo é tranquila, flui fácil, focada no necessário. Além do mais, ele é um romance comum que calha de ter uma protagonista trans, o que é muito bacana. O livro tem o foco na identidade de gênero de Amanda e em seus primeiros anos vivendo de acordo com o que sempre sentiu, e ao mesmo tempo entrega um romance clichê e gostozinho - mesmo que no final a gente fique com uma certa raivinha dele.

    Russo escreveu o livro de forma a mostrar que todos têm segredos com os quais convivem, que nada é preto no branco e todo mundo é complicado da sua própria maneira, e eu achei uma forma muito legal de tratar toda a história. Especialmente porque os personagens, embora nenhum tão aprofundado quanto Amanda, são cativantes e carismáticos justamente por isso.

    Resenha: Apenas Uma Garota

    A garota lésbica que esconde sua orientação pois vive em uma minúscula cidade sulista e preconceituosa, a garota com os pais super religiosos e machistas que busca uma saída, o garoto que precisa cuidar de toda a família. Lutas diárias com as quais qualquer um pode se identificar e que só reforçam a ideia de que não podemos julgar ninguém por suas complicações e realidades.

    Eu li Apenas Uma Garota com uma certa angustia, no entanto, porque começamos sabendo que Amanda deixou sua cidade após um incidente no banheiro, então eu fiquei esperando que alguma coisa fosse dar muito errado em Lambertville logo cedo, mas no fim fiquei feliz com a forma como a história se desenrolou. Uma história muito mais leve e fácil do que eu tinha imaginado a princípio.

    Gostei bastante, também, dela ter incluído a reação dos pais de Amanda e a forma como eles lidam e fazem as pazes consigo mesmos a respeito da identidade de gênero dela e das próprias expectativas que criaram para ela, como pais sempre fazem. Não foi sempre fácil, mas demonstrou compreensão e o significado de amor incondicional.
    Você sabe que as paredes estão aí por um motivo, né? Elas impedem as coisas de desmoronarem.
    Meu único porém com a história é que, de fato, Amanda cai em um tremendo estereótipo feminino onde há uma rejeição muito forte a qualquer coisa "de menino". Eu entendi que as escolhas estereotipadas que Meredith Russo fez foram propositais, em busca de introduzir leigos no assunto da transexualidade, uma forma de focar no principal e essencial, para escrever uma história fácil e rápida. Mas foi algo que realmente me deixou meio "meh" a respeito da protagonista e, por isso, não consegui dar a nota máxima - mesmo que a autora tenha explicado tudo isso ao fim do livro.

    Por fim, Apenas Uma Garota é um livro cativante, simples, que conquista rápido e explica o mundo das pessoas trans, que são tão marginalizadas na nossa sociedade, de uma forma muito fácil, com muita empatia e compreensão. É realmente um livro para todos.

    Título original: If I Was Your Girl
    Autora: Meredith Russo
    Tradutora: Joana Faro
    Editora: Intrinseca
    Gênero: Romance LGBTQ+ | Young Adult
    Nota: 4
    Skoob


    GOSTOU DO LIVRO? ENTÃO COMPRE ATRAVÉS DO NOSSO LINK E AJUDE A MANTER O BLOG!

    1. Olá, Bianca.
      Quando eu fiquei sabendo desse livro eu fiquei bastante interessada em ler ele. Mas então comecei a ler algumas resenhas e perdi o interesse. Talvez por não ser o que eu esperava. Mas não sei ainda estou na dúvida.

      Prefácio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Sil!
        Eu costumava pensar que ele era tipo um suspense, sabe? Mas só entendi realmente quando li ele. Não é aquele tipo de livro "mds mudou a minha vida", mas quando você estiver no mood de um clichê com uma temática mais atual, ele é uma boa pedida.

        bjs

        Excluir
    2. Oi Bibs!
      Um amigo leu esse livro e falou muito bem. Ele ta na minha lista, porque on unico personagem trans que eu li foi um infantil da Record. Mas confesso que ja concordo com voce com essa questao do esteriotipo. Eu devo fazer meh tambem se ler KKKK.

      Abraços
      David
      http://territoriogeeknerd.blogspot.com

      ResponderExcluir
    3. Oi, Bibs!
      Eu amo demais um livro e é isso! Li logo quando saiu e achei a história tão singela e tocante, ainda mais que a autora colocou algumas de suas experiências nele.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.