Resenha: Batman - Criaturas da Noite

  • 09:00
  • 18 de out. de 2019
  • Resenha: Batman - Criaturas da Noite

    Batman - Criaturas da Noite é o segundo volume da série Lendas da DC, iniciada com Mulher-Maravilha - Sementes da Guerra (da Leigh Bardugo). Quem conta a história de origem do vigilante de Gotham é minha rainha Marie Lu - e talvez a hype tenha me deixado animada demais, porque o livro não foi tudo isso...

    Sinopse: As criaturas da noite estão caçando a elite de Gotham. Bruce Wayne é o seu novo alvo. Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade. Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência. Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.

    Bruce Wayne vai para a faculdade em algumas semanas, está prestes a começar a comandar o império de empresas deixadas por seus falecidos pais e continua mantendo a imagem e a pompa para fazer jus ao nome que carrega; claro que, quando um grupo criminoso começa a caçar e assassinar milionários de Gotham, deixando uma mensagem de terror por onde passam, as coisas complicam para o lado de Bruce.

    Especialmente quando, por um probleminha com a justiça, ele é forçado a prestar algumas horas de serviço comunitário no Asilo Arkham - onde uma das criminosas dessa organização está presa; e bastante interessada na figura do jovem Wayne.


    Resenha: Batman - Criaturas da Noite

    Eu amei cada capítulo de Sementes da Guerra; talvez por isso tenha chegado em Criaturas da Noite com expectativas demais. O livro é bom, e a narrativa elétrica e sucinta da Marie Lu se faz presente aqui. O que parece é que faltou tempo para maiores desenvolvimentos, e por isso acabou falhando em alguns pontos para mim.

    Sentia-se à vontade nas trevas. Muitos dos seus amigos temiam o escuro, como se representasse perigo. Bruce, porém, sabia que era uma vantagem.

    Gosto muito do Batman. Tanto do Batman quanto do Bruce Wayne; acho que são duas personalidades distintas que se interligam pelo senso de justiça. Ele é um personagem cinza, à margem de sentenciar o que é ser bom ou mau. Bruce lida com muitos fantasmas do seu passado e por isso que ele é o herói em meio às sombras, uma figura que não busca reconhecimento - e dificilmente o recebe - mas um vigilante buscando justiça. Ele tem um senso de honra e do que é ficar no meio do muro, de nunca pender totalmente para o lado luminoso ou o lado sombrio, que é o que torna toda a essência do Batman tão interessante.


    Resenha: Batman - Criaturas da Noite

    Bruce Wayne é um personagem de muitas nuances, e infelizmente o livro não passou isso para mim. Senti falta dos dilemas morais, de se deixar influenciar pelo passado, de ser uma sombra e aceitar isso como sua força para lutar contra o que considera injusto. Eu entendo que ele é um garoto e está aprendendo sobre a vida, os crimes e tudo mais, mas faltou desenvolvimento da parte da autora de me mostrar isso.

    Gotham estava destruída em muitos sentidos, mas não era irreparável.

    Por ter uma narrativa muito enérgica, Marie Lu acabou deixando de lado a parte mais importante da trama que foi me dar o devido crescimento ao seu personagem principal. Honestamente, eu nunca pensei que ficaria irritada com o Bruce, mas lá estava eu, durante todo o livro, querendo dar uns sopapos na cara dele.


    Resenha: Batman - Criaturas da Noite

    Pode ser jovem o quanto quiser, mas muitas atitudes dele foram imaturas e não condizem com o que conhecemos mesmo das sagas de origem do personagem. Imaturas e ingênuas; santa ingenuidade, Batman! Não precisava ser um gênio para perceber certas andanças dos coadjuvantes, mas lá estava Bruce fazendo besteira e acreditando cegamente em coisas que o Bruce que eu conheço jamais acreditaria. Tenha mais respeito por si mesmo e pela sua inteligência, pelo amor dos céus.

    - Para alguém que tem tudo, há trevas em seu coração.

    Com isso dito, o fato de o livro ser tão centrado no Bruce atrapalha o desenvolvimento de outros personagens. Honestamente, o Alfred foi o único coadjuvante com algumas cenas relevantes. Os outros giravam em torno do Bruce e do que ele fazia e foi decepcionante ver tanto potencial jogado fora, até porque Marie Lu tinha muitos nomes interessantes a serem trabalhados - o que ela fez por Harvey Dent, Richard Price e outros personagens menores foi o mínimo, e de um livro desses eu esperava muito mais; até porque, Sementes da Guerra entregou um leque de coadjuvantes ricos e cheios de histórias individuais, então faltou trabalho aqui sim. Dava pra ter.

    - Existem duas formas de superar uma tragédia pessoal, sabia? Você é do tipo que se recupera e volta mais forte para a guerra.

    Madeleine, por exemplo, poderia ter sido tão melhor explorada. A coisa mais fascinante em todas, absolutamente todas as histórias do Batman, são seus vilões. Eles representam tudo do caos que o vigilante precisa enfrentar, são metáforas e representações de temores ou das suas próprias fraquezas. Aqui? Ata. A Madeleine foi uma coadjuvante okay, mas eu não poderia ter me importado menos com ela - o que é uma pena, porque o potencial era de uma Mulher-Gato.

    A parte que salvou a história para mim foi de ação; as cenas são bem pontuadas e cronometradas. Dá pra ver o Bruce lutando e apanhando e se erguendo para continuar, dá pra acompanhar os momentos tensos com o coração na mão. É um dos pontos fortes da narrativa da Marie Lu e nesse livro ela tirou de letra, mais uma vez.


    Resenha: Batman - Criaturas da Noite

    Ah, e as pequenas referências também foram maravilhosas! A moeda, o Batmóvel e mais alguns pequenos detalhes que quem acompanha o Batman vai pegar no ar. Adorei a maneira com que a autora inseriu os easter eggs e deu aquela sensação de nostalgia e animação por estar vendo o nascimento do herói.

    A edição da Arqueiro tem algumas frases meio confusas - não exatamente erro de tradução, mas montagem esquisita que poderia ter sido melhor colocada. Fora isso, diagramação e capa estão impecáveis.



    Batman - Criaturas da Noite pode ser uma aventura para quem quer conhecer mais do herói ou para quem quer simplesmente ler um bom livro de ação e se aventurar nesse mundo de combate ao crime; como fã, os detalhes citados deixaram a desejar, mas eu adoraria ver mais do Batman nessa série de Lendas da DC - e ainda estou esperando meu crossover entre os heróis!

    Título original: Batman - Nightwalker
    Autora: Marie Lu
    Editora: Arqueiro
    Tradução: Mariana Serpa
    Gênero: Ação | Aventura
    Nota: 3

    1. Oie
      Eu amo esta série, não vejo a hora de ler Mulher Gato. As capas estão muito bonitas.

      Beijinhos
      https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

      ResponderExcluir
    2. Eu não acredito que estava de olho nesses livros fazia um tempo e nem tinha notado que eram da Marie Lu. Eu adoro a escrita dela. Já é mais um motivo para começar a ler *-*

      www.vivendosentimentos.com.br

      ResponderExcluir
    3. Oi De, tudo bem? Eu amo o universo da DC, muito mais do que da Marvel, então ainda quero pegar essa série pra ler. Espero gostar, apesar das ressalvas citadas rs

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    4. Oi Denise! É diferente ver essa versão jovens dos heróis, eu estranhei um pouco quando li, mas no geral é um bom livro.Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    5. Oi, Denise
      Não lembro se vi a resenha da Lu, mas eu acho que ela não curtiu também. Não leio histórias de super-heróis porque cada autor muda a visão deles, ai me cansa um pouco, mas tomara que Mulher Gato seja melhor.
      Beijo
      https://www.capitulotreze.com.br

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.