Resenha: Cores Vivas

  • 09:00
  • 5 de dez. de 2019
  • Resenha: Cores Vivas

    Cores Vivas, livro de Patrice Lawrence - autora premiada com um Waterstones Children’s Book Award e o The Bookseller ya Book Prize em 2017 - foi lançamento do mês de outubro da editora DarkSide Book, que nos cedeu um exemplar para a resenha. Nele, depois de presenciar a morte de uma colega de classe, Marlon precisa lidar com a polícia - que acha que ele foi o responsável pela morte da garota - e um mistério deixado por ela, que envolve drogas, gangues e um codinome.

    Sinopse: Marlon prometeu. Ele não se meteria em problemas. Não como seu irmão, Andre, líder de uma gangue que pagou um preço alto pelo caminho que escolheu. Sempre foi mais fácil ficar na dele, no quarto, ouvindo os antigos discos do Earth, Wind & Fire de seu pai e assistindo a filmes de ficção científica. Até que ele conhece Sonya. Uma garota linda da escola que, contra todas as probabilidades, lhe dá uma chance. Mas o primeiro encontro dos dois termina em tragédia e, de uma hora para outra, Marlon se torna suspeito e não entende o porquê. Com seu pai morto e o irmão incapaz de ajudá-lo, ele não tem escolha a não ser entrar no mundo de Andre — um mundo violento, cruel e desumano — para descobrir a verdade e proteger as pessoas que ama. O livro que você está prestes a conhecer é uma leitura poderosa e emocionante — e extremamente necessária nos dias atuais. Cores Vivas, o mais novo lançamento da DarkSide Books®, aborda com muita honestidade como escolhas erradas, mesmo feitas com a mais nobre das intenções, podem levar uma pessoa a um caminho tortuoso e, muitas vezes, sem volta.


    Marlon sempre foi um bom menino. Depois que seu irmão mais velho entrou para o mundo das gangues - e pagou um preço alto por isso - ele não queria mais nada além de não decepcionar a mãe. Mas essa promessa fica difícil quando Sonya, uma bela garota do seu colégio, o chama para sair.


    Quando a garota morre ao seu lado em um parque de diversões, depois de pedir para ele esconder um pacote com ecstasy, Marlon se vê as voltas com a polícia - que não acredita que ele não tem nada a ver com a morte de Sonya. Obcecado em descobrir a verdade - sobre a morte da garota, as drogas e os motivos que a levaram até a sua casa - Marlon entra de cabeça no mundo dela.

    Resenha: Cores Vivas

    O problema é que esse é o mesmo mundo do qual seu irmão quase não saiu vivo - e que sua mãe sempre implorou para que ele ficasse longe. E quanto mais fundo Marlon vai, mais difícil será para voltar.

    Cores Vivas me chamou a atenção assim que apareceu na lista de lançamento da DarkSide Books. Me lembrou um pouco de Dear Martin, e como eu amei a história do Jus, já estava ansiosa. Achei que seguiria a mesma ideia - a discussão sobre o racismo sistemático e a forma como a sociedade lida com ele.

    Mas a verdade é que Cores Vivas tem um mistério a desvendar. Sonya morreu, mas foi a única garota que realmente enxergou Marlon, e agora ele se importa o suficiente para querer entender com o que ela estava metida. E, a partir, daí, ele precisa descobrir porque se tornou um homem procurado no mundo de violência das ruas.

    Resenha: Cores Vivas
    Resenha: Cores Vivas

    A discussão obre racismo não está ausente da história. O livro não esquece que Marlon é negro e isso fica claro nas interações dele com a polícia e na forma como ele é capaz de se enxergar nos garotos das gangues, completamente ciente da linha tênue que os separa e de como o sistema racista e elitista que marginaliza minorias os colocou naquela posição.

    Mas Cores Vivas também não se propõe a fazer apenas isso. A história se move depressa, tem ritmo e constantemente tem algo acontecendo - com Marlon, com sua mãe, com sua melhor amiga, Tish, ou seu irmão mais velho, Andre. O que faz muito para deixar o ritmo do livro constante.

    Apesar de frustrar em alguns momentos, especialmente quando Marlon estão tão enfiado na confusão que você só quer gritas Marlon pelo amor de deus chama a sua mãe!! não é difícil prosseguir a leitura. E mesmo a frustração é um sentimento a ser avaliado. Marlon enfrenta muitas situações sozinho porque sabe que a polícia está mais inclinada a vê-lo como um criminoso do que uma vítima. E que buscar a ajuda de sua mãe é só mais uma forma de decepcioná-la - além do fato de que ela o faria deixar tudo aquilo para trás.

    Resenha: Cores Vivas

    Também achei Marlon um personagem bem carismático, ele me conquistou - mesmo quando eu não entendia porque diabos ele tinha que ir atrás dos mistérios da Sonya - e me fez rir. Gostei da forma como a relação familiar dele foi construída, a forma como ele lidava com o irmão, com a mãe e com a melhor amiga, e o carinho que ele sempre reservava para o pai.

    E falando em personagem, a Tish - melhor amiga do Marlon - foi a minha preferida. Sensata, leal e verdadeira, ela era tudo que ele mais precisava no desenrolar dessa história e ainda bem que ela estava ali. Cores Vivas não seria o mesmo sem ela.

    Outro ponto que considerei bem positivo foi a ambientação criada por Patrice Lawrence, colocando toda a história para acontecer em Londres e seus projetos habitacionais. Um mundo de violência bem diferente daqueles que costumamos ler em livros nacionais e norte-americanos. Um thriller jovem, urbano, realista e com um doloroso drama familiar.

    Resenha: Cores Vivas

    Por fim, queria destacar o projeto gráfico da editora DarkSide Books. Não é raro os projetos deles seram lindos, mas Cores Vivas superou tudo. Do corte das páginas coloridos ao design de capa. Comento porque é muito raro as pessoas elogiarem os meus livros, mas da minha mãe - que apesar de gostar muito de ler, não se apega a capa - até meus colegas de trabalho, todo mundo comentou sobre essa lindeza aí.

    Título original: Orangeboy
    Autora: Patrice Lawrence
    Tradutora: Cecília Floresta
    Editora: DarkSide Books
    Gênero: YA | Ficção
    Nota: 5



    1. Bianca, socorro! Eu quero muito ler esse livro agora hahaha Pela capa e o título eu nem imaginava (aliás, a DarkSide sempre arrasa nas edições, né? as fotos ficaram ótimas!). Adoro livros com essas temáticas! Os Delírios Literários de Lex

      ResponderExcluir
    2. Olá, Bianca.
      Essa edição está maravilhosa mesmo. E esse miolo? E a história parece ser bem interessante também. Vou anotar na lista de livros da DarkSide que não achei apenas bonito, mas que me deu vontade de ler também hehe.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    3. Oi, Bibs!
      Essa capa está linda!!! Anotei a dica para futuramente porque no momento não na vibe de histórias desse tipo...
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    4. Oi Bia, eu ainda não li, mas gostei bastante do que você conta, acho mesmo que a té as frustrações com os personagens precisam ser sempre avaliadas na hora da crítica. Espero curti a leitura como você!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.