Resenha: Vida e Morte

  • 20:22
  • 9 de set. de 2020
  • Resenha: Vida e Morte

    Vida e Morte é uma versão de Crepúsculo reimaginando a história com os gêneros de quase todos os personagens invertidos. Uma releitura interessante que a Stephenie Meyer criou para o seu universo de vampiros - e que me conquistou muito mais que o original.

    Sinopse: Em Vida e morte os leitores vão se maravilhar com a experiência de ler a icônica saga de amor agora pelos olhos de um adolescente que se apaixona por uma sedutora vampira. Numa publicação ao estilo “vira-vira”, a edição comemorativa traz mais de 400 páginas de conteúdo extra, além da nova capa, com Crepúsculo de um lado e Vida e morte de outro. Os milhares de fãs de Bella e Edward não vão querer perder a oportunidade de ver seus tão queridos personagens em novos papéis.

    Aqui, acompanhamos Beau Swan em sua mudança para a cidade fria e chuvosa de Forks. Ele vai morar com o pai, Charlie, por um tempo, e não espera muito dessa mudança além do tédio ocasional. Quando encontra os Cullen em seu primeiro dia de aula, no entanto, em especial a enigmática e fascinante Edythe, Beau percebe que essa mudança talvez não seja tão simples, no fim das contas.

    Durante a febre de Crepúsculo, eu me dividia entre odiar muita coisa da história  principal e amar tudo a respeito dos coadjuvantes, principalmente os lobos (Team Jacob até o fim da vida!). Depois que a adolescência passou, eu criei um carinho especial por essa história - por mais problemática que seja, ela é formadora de uma geração de leitoras apaixonadas, encaminhou muita gente pro mundo da literatura. Fez o que Harry Potter fez comigo e por isso eu dou muito crédito.

    A gente sabe que o relacionamento Bella e Edward é bem problemático e tudo mais, mas essa resenha não tá aqui pra falar sobre eles. Tá aqui pra comentar o quanto a Edythe e o Beau deram de dez a zero no casal original, e realmente me conquistaram com sua pamonhice.

    A inversão dos gêneros é uma coisa bem comum em Universos Alternativos nas fanfics, então Vida e Morte seguiu bastante da vibe que eu já conhecia. Foi interessante notar as conversões que a Meyer precisou fazer para dar vida ao Beau. Achei legal que não ficou tão escrachado em esteriótipos do gênero. Por exemplo, o Beau é delicado. Ele é atrapalhado. Ele tropeça nos próprios pés e se machuca sozinho. Ele é delicado com as pessoas que ama.

    Eu li alguns comentários de que "é difícil perceber que o Beau é um homem pelo jeito como ele narra a história" e, bom, é basicamente essa a parte interessante de quebrar arquétipo de gênero. Ele é um garoto delicado, bagunçado e cheio de baixa-estima. Ele é a Bella em todos os seus trejeitos; por que é um problema ter um garoto com a personalidade dela, mas é normal ter uma garota com essa mesma personalidade?

    Resenha: Vida e Morte

    A Edythe, a meu ver, foi muito mais editada (ba tum tss). O Edward é muito possessivo e controlador e é quase sufocante ler o modo como ele trata a Bella no primeiro volume - motivo pelo qual eu sempre detestei esse casal. A submissão da Bella para tudo em relação ao Edward, até mesmo sua vida, está presente no Beau. E dá pra acreditar que ele é um garoto completamente apaixonado e entregue a esse amor doentio - é doentio, sim, mas é crível. O modo como a Edythe reage a isso, suas declarações sobre os acidentes e as perseguições e o "eu vejo você dormindo todas as noites" é bem mais sutil e menos controlador.

    Eu seguiria a Edythe para a morte sem pensar duas vezes. Ô vampira apaixonante!

    Sim, ainda é um relacionamento muito bizarro e dependente, o Beau se curva a umas coisas que você fica ??????? meu filho ??????? mas não fiquei incomodada como fiquei ao ler Crepúsculo. A inversão de papéis deu tons mais controlados e sutis a Edythe e tornou todas as andanças da história mais suportáveis.

    Porque sim, ainda é um porre ler sobre esses dois, mas ao mesmo tempo é divertido.

    Pra mim, Crepúsculo é aquela história que de tão ruim, é boa.

    Os coadjuvantes continuam maravilhosos e tudo para mim. Os Cullen, principalmente, foram a parte mais divertida. Archie (Alice) continua saltitante e cheio de energia, Jessamine (Jasper) é aquela figura contida e sombria com um coração grandioso; Royal (Rosalie) ainda bate o pé sobre segredos e indiscrição e eu continuo vivendo pela sua personalidade e desenvolvimento. Eleanor (Emmet) é... Bem, Emmet. Divertida e forte e um pouco destemida demais. Carine e Earnest (Carlisle e Esme), por fim, continuam como as peças centrais da pose e da família unida.

    As mudanças mais notáveis em relação a plots estão nas sutilezas, como comentei. Nos comportamentos da Edythe, ainda que as cenas em que ela se comporta como o Edward sejam iguais; nos pensamentos do Beau, ainda que ele aja como a Bella o tempo todo. É um livro idêntico, mas ao mesmo tempo bastante original por isso.

    E o final! Fiquei bem surpresa com o andamento e com a mudança drástica que a Meyer deu pra história. Seguiu pra um mundo paralelo do que seria Crepúsculo se uma coisinha tivesse sido decidida de maneira diferente, e deu um tom mais soturno e deprimente, mas curiosamente maduro pra história.

    Resenha: Vida e Morte

    A verdade é que eu gostei. Muito. Ainda é Crepúsculo, com suas enrolações gigantescas, mas tem uma narrativa gostosa que flui fácil, tem coadjuvantes que tornam toda a baboseira do casal principal uma aventura interessante de acompanhar. E tem um fim alternativo fascinante de seguir.

    Fã da saga ou não, eu acho uma leitura super válida pra matar a saudade desse universo de vampiros brilhantes e lobos fofos. Já tô pronta pra Sol da Meia-Noite e para embarcar em Crepúsculo, mais uma vez, sob outra ótica (e talvez sofra muito por isso, porque é o Edward. Vem aí!).

    Título original: Life and Death
    Autora: Stephenie Meyer
    Editora: Intrínseca
    Tradução: Regiane Winarski e Ryta Vinagre
    Gênero: YA | Romance sobrenatural 
    Nota: 3,5

    1. Eu gostava bastante de crepúsculo, esperava ansiosa pelos lançamentos, atualmente não sei se tenho os mesmos sentimentos. Mas de qualquer forma eu acho muito válido ver as coisas por outras perspectivas, como por exemplo a história sendo narrada por Edward. Você fez ótimas considerações, beijocas!

      https://resenhabookshouse.blogspot.com/?m=1

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.