Resenha: Anne de Green Gables

  • 09:00
  • 2 de set. de 2020
  • Resenha: Anne de Green Gables

    Anne de Green Gables é o primeiro de vários clássicos escritos pela autora L.M. Montgomery e que acompanham a vida da jovem Anne (com E) em suas peripécias pela ilha de Avonlea.


    Sinopse: Quando os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert, de Green Gables, na Prince Edward Island, no Canadá, decidem adotar um órfão para ajudá-los nos trabalhos da fazenda, não estão preparados para o “erro” que mudará suas vidas: Anne Shirley, uma menina ruiva de 11 anos, acaba sendo enviada, por engano, pelo orfanato. Apesar do acontecimento inesperado, a natureza expansiva, sempre de bem com a vida, a curiosidade, a imaginação peculiar e a tagarelice da menina conquistam rapidamente os relutantes pais adotivos. O espírito combativo e questionador de Anne logo atrai o interesse das pessoas do lugar – e muitos problemas também. No entanto, Anne era uma espécie de Pollyanna, e sua capacidade de ver sempre o lado bonito e positivo de tudo, seu amor pela vida, pela natureza, pelos livros conquista a todos, e ela acaba sendo “adotada” também pela comunidade.

    Eu conheci Anne através da série da Netflix - não assisti ainda porque fiquei curiosa com os livros. Tempo passa e finalmente consegui comprar os dois primeiros nessas edições lindas da Autêntica, e chegou o momento de conhecer a história.

    Anne é uma garota órfã que, por engano, é adotada pelos irmãos Marilla e Matthew, de Green Gables. Eles pretendiam adotar um garoto para ajudar nas tarefas da fazenda, mas Anne veio no lugar; com um pouco de relutância por causa da personalidade e da energia da menina, eles acabam por dar-lhe um lar - e, tal como muda suas vidas, transforma a de Anne completamente.


    - Enquanto você puder falar, Anne, não creio que haja muito risco de morrer de tristeza.


    Esse primeiro título é uma introdução ao universo da garota ruiva tagarela e de todas as pessoas de quem ela vai se aproximar. É uma história cativante sobre amor, família, amizade e lealdade; tem uma narrativa fácil e, apesar de alguns entraves, gostosa de acompanhar.

    Anne é uma protagonista cheia de vida e de palavras. Sério. Desde a Lorelai Gilmore que eu não contemplava uma personagem falando tantas palavras em sequência, sem parar. Em alguns momentos, chega a ser desesperadoramente irritante, mas é compreensível que essa é a personalidade da Anne e que ela adora se exaltar para o mundo, com toda sua imaginação e energia.


    Resenha: Anne de Green Gables

    E o mundo não está muito preparado para o furacão que é essa menininha quando ela vem.

    Marilla, principalmente, é a personagem que mais sofre para se adaptar a Anne. A senhora moradora de Green Gables, diferente do irmão, Matthew - recatado, mas curioso - é séria e compenetrada. O completo oposto da garota que agora faz parte da sua família.


    Para Anne, encarar as coisas calmamente representaria uma mudança em sua própria natureza.

    A relação que se desenvolve entre as duas é muito bonita e tocante. Nasce do estranhamento e cresce até o amor incondicional, com Anne se tornando a filha que Marilla nunca teve. O mesmo vale para Matthew; eles formam uma família com seus altos e seus desentendimentos, e por isso uma família muito crível.

    Tem dezenas de personagens para encher os anos que se passam nessa história, com destaque para Diana - melhor amiga de Anne, praticamente sua alma gêmea em questão de gostos e de respeito pelo amor e pela vida - e Gilbert, o arqui-inimigo de Anne por uma situação infeliz de provocação e então jura de inimizade eterna.


    Resenha: Anne de Green Gables

    O livro acompanha muitos dos meses da vida da garota, desde sua adoção e adaptação ao mundo e à sociedade local - com aulas de religião, de etiqueta, de conhecimento, com as aventuras e desventuras que ela vive por imaginar demais e tomar cuidado de menos - até um fim que dá margem para conhecer ainda mais.


    - Querido e amado mundo, você é muito adorável e estou feliz por viver em você.

    Anne de Green Gables foi um clássico doce e divertido sobre a voz de uma garota em tempos onde garotas não deveriam falar e imaginar tanto, o que mostra o poder de uma história e de como ela abre espaço para quebrar o que se considerava padrão e ajudar aquelas que não tinham tanto espaço a alcançar seus merecidos lugares.


    Título original: Anne of Green Gables
    Autora: L.M. Montgomery
    Editora: Autêntica
    Tradução: Márcia Soares Guimarães
    Gênero: Infanto-juvenil
    Nota: 4


    1. Oii, gostei da sua resenha. Eu amei esse primeiro livro. Nesse dá pra ver muito bem os sentimentos da Marília, diferente da série. A Anne é tão encantadora.
      Jardim de Palavras

      ResponderExcluir
    2. Eu tentei ler esse livro mas dropei em 20%. Não consegui me conectar com nada na história para continuar
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    3. Oi Dê. Anne realmente quebra todos os padrões e não se abate, é uma personagem ótima. E achei que tem um bom madurecimento, inclusive. Estou lendo o segundo volume e gostando também!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    4. Olá, Denise.
      Eu adorei esse livro e já li o segundo que também amei hehe. A leitura é tão fácil que nem parece ser um clássico hehe. E a personalidade da Anne é o que faz a gente se encantar pela história. Ela falava tanto que até parecia um monologo hehe.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    5. Olá Denise!
      Eu gostei muito da sua resenha, estou participando de uma leitura coletiva desse livro, mas ainda não comecei a ler (estou mega atrasada hahaha). Eu espero muito gostar tanto quanto Pollyanna, que foi uma das melhores leituras que já tive.

      https://mundoliterariodavi.blogspot.com

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.