Resenha: Um corpo na biblioteca - Queria Estar Lendo

Resenha: Um corpo na biblioteca

Publicado em 14 de jul. de 2020

Resenha: Um corpo na biblioteca

Variando um pouco o repertório de romance, resolvi investir em um policial. Agatha Christie é um clássico! Foi o primeiro livro dela que eu li e comecei pelo Um corpo na Biblioteca.

Sinopse: Miss Jane Marple, ligando acontecimentos triviais da aldeia com problemas mais graves, desvenda o mistério do cadáver de uma moça encontrado na biblioteca do coronel Bantry.

Sempre me disseram que os livros dela eram ótimos e eu nunca duvidei, mas sempre adiava. Gosto bastante do tema policial, apesar de ser uma completa tapada para descobrir o assassino. Nesse livro, um dos romances que envolvem a detetive amadora Miss Marple. 

Miss Marple é muito amiga da Sra. Bantry e todos já conhecem a fama dela de descobrir mistérios. Então quando foi encontrado um corpo de uma jovem na biblioteca dos Bantry, ela foi uma das primeiras a ser chamada. Ela fica um pouco resistente para desvendar o mistério e até o final do livro você acha que ela não está fazendo absolutamente nada. 

É nítido o quanto os policiais ficam incomodados com a presença de Marple e rapidamente já colocam ela de escanteio e desmerecem a sua capacidade de desvendar o mistério. Ela já desvendou outros no lugar deles e deve ser humilhante como policial ver uma civil fazer seu trabalho, ainda mais uma senhora.

O corpo encontrado na biblioteca era da jovem Ruby Keene, mas o mais absurdo era que o Coronel Bantry e a Sra Bantry nunca tinham visto a garota na vida. Ao longo do livro vamos descobrindo vários detalhes sobre a vida dela. Ela está trabalhando no hotel, é dançarina, foi trazida pela prima Josie quando a mesma torceu o tornozelo e tem a amizade e o carinho do Sr. Jeffords.

Jeffords perdeu os filhos e a esposa em um acidente, que também o deixou em uma cadeira de rodas. Já com certa idade, depende da nora e do genro e tem muito dinheiro. Ruby é descrita como um doce de menina e a princípio não tem ninguém que poderia querer ver ela morta. Porém, lá está seu corpo estrangulado na biblioteca.

Mark e Adelaide, genro e nora de Jeffords tem um forte motivo para querer a jovem morta. Jeffords queria adotar a garota, deixando para ela nada menos do que 50 mil libras. É um bom dinheiro que ficaria com Mark e Adelaide, que precisam dele já que ambos estão falidos. Mas os dois tinham um álibi.

Raymond Starr é o par de Josie nos números de dança do hotel, mas como Josie está machucada, agora ele faz par com Ruby. Ele foi um dos últimos a ver a garota, já que ela foi assassinada entre os dois números de dança que eles apresentam na noite. É ele que nota, desesperado, que a garota sumiu e avisa Josie.
Logo após dançar com Raymond, George Barlett chama Ruby para dar uma volta, mas ele diz que ela negou. Ele está hospedado no hotel e vive chamando Ruby para dançar. Sua situação com o crime não é das melhores, já que ele não tem um álibi e se apresenta muito confuso sobre os acontecimentos da noite do assassinato. A situação só piora quando seu carro é encontrado em uma pedreira com um corpo carbonizado dentro. Sim, senhoras e senhores, temos um segundo assassinato.

Além de George, temos um outro suspeito. Um jovem diretor de cinema, que tem suas desavenças com o Coronel Bantry, o que explicaria o corpo ter ido parar na biblioteca dele.

A leitura desse livro foi muito rápida e várias teorias foram feitas e desfeitas. Em menos de dois dias já tinha lido o livro inteiro. Já me disseram que Agatha tem essa magia. Se você está querendo um livro rápido e que vai te fazer ficar com os olhos grudados nele, não querendo perder nenhum detalhe.

Obviamente, eu não desvendei o crime, mas a Miss Marple sim. De forma maravilhosa e detalhista, devo acrescentar. Como eu disse no começo, ela é só uma senhora e é vista pelos policiais somente como uma fofoqueira da vila por eles, mas obviamente a observadora Miss Marple coloca todos eles no chinelo.

Confesso que esse não é aquele tipo de livro que dá adrenalina e tem todo um super suspense. Achei ele bem tranquilo e olha que sou bem medrosa para tudo. Só por não ter essa adrenalina que eu costumo esperar nos romances policiais que esse livro não ganha um 5+. Mas super recomendo a leitura, principalmente por ser tão rápida.

Título original: The Body in the Library
Autora: Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira
Gênero: Romance Policial
Nota: 5

6 comentários:

  1. Olá, Raquel.
    Eu amo a Agatha e recomendo todos os seus livros. Realmente nos livros dela não existe aquele suspense crescente, mas o mistério prende tanto a gente que a leitura acaba se tornando rápida. Eu já li todos os livros dela publicados por aqui e nunca acertei o desfecho hehe. Agora leia um com meu detetive favorito de todos os tempos o Poirot hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Olá Raquel,
    Adorei sua resenha. Agatha tem papel importante na minha vida literária e sempre que possível recomendo também. Esse livro é um amor mesmo, um dos meus favoritos dela, mas realmente tem uma linha investigativa mais para o intelectual, o que acaba dando esse ar de calmaria mesmo.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Raquel!
    Li um livro da Agatha Christie pela primeira vez esse ano e adorei!
    Gosto muito da maneira como ela conduz os mistérios e também não senti medo haha. Achei que ia ficar sem dormir à noite, mas foi super tranquilo!
    Vou salvar a indicação desse :D

    Estante Bibliográfica

    ResponderExcluir
  4. Tô amando visitar e ler seus posts, sempre são os melhores!

    Meu Blog: Website da Pietra Trimania

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Faz muito tempo que não leio nada da autora, mas este livro eu tinha. Muito bom.

    Beijinhos
    https://tecendoaliteratura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi! Adorei a resenha! Você sabe me dizer qual é a idade mínima para ler esse livro? Tenho medo de recomendar pra minha irmã e for muito pesado..

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!



@QueriaEstarLendo