Resenha: Corte de Asas e Ruína (A Court of Wings and Ruin)


A Court of Wings and Ruin é tudo. Um fim grandioso e talvez o começo de algo muito maior. Um ponto final em uma história e novas linhas para outras que virão. É uma guerra, amores infinitos e uma promessa que se cumpre. Com esse livro, Sarah J. Maas mostra porque merece estar onde está: isso, senhoras e senhores, é uma obra prima.
Sinopse: A ameaça de guerra paira sobre todos os Feyre ama neste terceiro volume da série Corte de Espinhos e Rosas. Feyre retornou a Corte Primaveril determinada a coletar informações sobre as manobras de Tamlin e do rei invasor, que ameaça subjugar Prythian ao seu poder. Mas, para fazê-lo, ela deve jogar um perigoso jogo de mentiras - e um deslize pode significar condenação não só para Feyre, mas para seu mundo também. À medida que a guerra se apodera de todos eles, Feyre deve decidir em quem confiar entre os deslumbrantes e letais Grão-Feéricos - e procurar aliados em lugares inesperados.  Neste emocionante terceiro livro da série de Sarah J. Maas, a terra será pintada de vermelho enquanto exércitos poderosos lutam para controlar e se apoderar da única coisa que poderia destruir a todos. 
Comprei o livro em e-book porque a previsão de lançamento da Galera Record era só para o segundo semestre deste ano. Olha pra minha linda carinha de quem ia ficar esperando...



Essa resenha contém alguns spoilers dos livros anteriores. Nada grandioso ou revelador demais, mas fica aqui o aviso!
Hybern might have the numbers,” I said, “but what if we had the monsters?
O caos instaurado por Hybern se aproxima; a guerra é inevitável. Todo o poderio do Caldeirão foi vivenciado por Feyre e suas irmãs e a certeza é de que aquela força indestrutível carrega apenas destruição, e essa arma está nas mãos do rei. Distante de seu verdadeiro lar por uma mentira, presa à Corte da Primavera em disfarce enquanto Rhysand e seus companheiros de luta reúnem o que podem e quem podem contra o exército de Hybern, Feyre tem certeza de uma coisa: quando a guerra chegar, cairá sobre todos eles.


Remember that you are a wolf. And you cannot be caged.
Esse foi o pior resumo que alguém poderia fazer deste livro, mas é impossível falar dele. Primeiro porque é um calhamaço de 707 páginas e segundo porque é indescritível. Se você me conhece o suficiente, sabe que a Sarah é uma das minhas autoras favoritas, que seus livros ditam a minha vida e que tudo que ela escreve começa ouro, se torna diamante e então se transformam em cristais tão preciosos que nem foram catalogados pela raça humana ainda. Corte de Asas e Ruína, em tradução literal, é exatamente isso. A trilogia iniciada em Corte de Espinhos e Rosas, que passou por Corte de Névoa e Fúria encontra seu fim triunfal neste volume arrebatador - e também um novo início. Logo explicarei o motivo.
The mating bond. It is a bridge between souls.
Falar sobre essa obra talvez seja uma das coisas mais difíceis que eu tenho para fazer. Por isso, mais uma vez, vou focar nos personagens. Todo o núcleo que cerca a história são importantes para cada detalhe que acontece dentro dela, principalmente Feyre e Rhysand. Ah, esses dois.
I repeated their names silently, over and over into the darkness. Rhysand. Mor. Cassian. Amren. Azriel. Elain. Nesta.
Feyre é uma das protagonistas mais impressionantes que já li. O arco de empoderamento dela supera todas as expectativas; surpreendente pela ferocidade e por toda a força que ela conquista ao passar das páginas. Aqui, Feyre já é uma mulher ciente de sua posição, de tudo o que conquistou e de como lutou para conquistar. Ela está atuando frente a Tamlin e a Corte Primaveril, esconde deles tudo de importante, todo o poder que guarda dentro dela. Feyre é uma atriz fantástica e passa pela mocinha submissa e amedrontada que Tamlin uma vez encontrou, mas seus jogos psicológicos e estratégias para conseguir informações vitais são de uma genialidade absurda. Tamlin é a peça descartável agora, a figura de pouca importância. Feyre quer vingança e quer acabar com a guerra; quer mostrar que é uma High Lady, como ele tanto ousou dizer não ser possível. Quando não precisa mais usar a máscara e pode ser ela mesma, de volta ao seu lar e aos feéricos que a amam e a respeitam, ai o arco dela dá uma guinada ainda maior. Porque, antes, Feyre estava indecisa quanto a aceitar o poder e as responsabilidades que vinham com ele. Aqui, ela o abraça. Ao lado de Rhys, Feyre escolhe ser uma líder e uma guerreira e escolhe lutar pela liberdade e pela paz.
I see you. And it does not frighten me.

Rhysand carregou muita dor e sofrimento sozinho para poupar aqueles que ele amava, e ele é o tipo de personagem disposto a todo e qualquer sacrifício contanto que isso signifique que os outros estarão a salvo. Ao lado de Feyre, sua mate, Rhysand vivencia um pouco de serenidade em tempos sombrios. O que os dois dividem é tão difícil de explicar porque é o tipo de amor que dá razão ao mundo, às palavras, às estrelas. É o tipo de relacionamento empoderador que estende confiança e força e que apoia e consola. Rhys e Feyre dividem tantos momentos importantes, tantas cenas inesquecíveis; seus corações transbordam através das páginas e a promessa de uma fina feliz não existe, mas de um começo com certeza está ali. Afinal, estamos falando do High Lord e da High Lady da Night Court. Eles são líderes em tempos de guerra, e Rhysand já vivenciou outros conflitos mortíferos para saber o custo que eles trazem, as perdas que carregam. O medo dele é visível através do laço com a Feyre, e o modo como um suporta o outro, como se apoiam e se protegem e como se respeitam e entendem, isso é fenomenal. É o tipo de relacionamento que as pessoas precisam almejar; não existe ciúme, não existe impedimento. Rhysand vê Feyre como sua igual e a respeita por ser a mulher poderosa com quem divide seu coração e espírito. 
If he was the sweet, terrifying darkness, I was the glittering light that only his shadows could make clear.

E, quanto à guerra, ambos os personagens passam por grandes momentos quando confrontados com decisões arriscadas. Como eu disse, são líderes, comandantes, cientes de sua posição de poder frente ao povo que juraram proteger, e estão dispostos a entregar corpo e alma para garantir que aqueles sob sua proteção encontrem a salvação.

No âmbito da Night Court, temos agora as irmãs de Feyre. Depois dos acontecimentos tenebrosos envolvendo o Caldeirão no fim do livro anterior, Nesta e Elain agora fazem parte do mundo feérico. E elas foram Feitas, o que significa que são diferentes de tudo o que os feéricos conhecem. O poder delas vai além do esperado; é assustador e tenebroso e diferente porque veio de uma fonte grandiosa.
A queen, as my sister once was. Terrible and proud; beautiful as a winter sunrise.
Nesta, a mais fria e contida, carrega o maior fardo. Sarah desenvolve o arco dela de maneira misteriosa, sem entregar demais, e mesmo com muitas informações em mãos você sente que há muito mais a ser descoberto a respeito da nova Nesta. Ela está marcada pelo Caldeirão, pela força dos poderes que vieram com sua transformação. Marcada pelo trauma de ter sido Feita contra sua vontade, de ter sido violada por uma magia sombria. Nesta foi a personagem mais impressionante dentro deste livro não apenas por ser tão poderosa e badass, mas por ter todos os seus medos humanizados. Ao lado de Feyre e Elain, Nesta tem sua família, mas é uma família quebrada e refeita, e o tempo que se passa ajuda a reatar e fortalecer seus laços. As cenas que elas dividem, em especial uma bem no fim do livro, me arrancaram lágrimas. O poderio que Nesta carrega em suas emoções vai além daquele que o Caldeirão lhe deu, e por isso eu a amo tanto. Ela tem presença e é tão inquebrável quanto é frágil.

Seu relacionamento com todos os personagens da Corte tem ótimas nuances, mas meu favorito, e aqui vai o grito de OTPZÃO DA P****, foi com o Cassian. A relação entre os dois e como a história constrói sua aproximação é de te deixar rolando no chão.


Cassian had been born for this— these fields, this chaos and brutality and calculation.
Cassian é um dos generais de Rhysand, um grande amigo e basicamente parte de sua família. Ele é muito emoção e sacrifício também, igual a todos os malditos personagens desse livro - porque não basta me deixar rolando no chão por emoções boas, né, Sarah, também me faz chorar até acabar meu estoque de lágrimas.
Cassian was sizing up Nesta, a gleam in his eyes that I could only interpret as a warrior finding himself faced with a new, interesting opponent.

Ele e Nesta são só farpas e comentários ariscos, mas, como todo bom ship, isso se desenvolve em entendimento. Cassian já viveu muito, e o muito que ele viveu envolve todos os tipos de perdas e escuridão, e Nesta foi jogada frente a tudo isso, a todas as dores e horrores de um mundo em guerra. Ela é muito jovem e está assustada, mas não aceita se curvar a esse medo, e Cassian se porta como um coração gentil, independente da maneira com que ela o trata. Você consegue ver, através das páginas, que as emoções florescendo entre eles se tornam mais e mais nítidas e óbvias. É um relacionamento importante por ser trabalhado devagar e em seu tempo, sem pressa para que se torne apenas um ship. É tão mais do que isso. Eles são poderosos juntos, e sua ligação mais ainda. Uma coisa que eu admiro muito na Sarah é como ela desenha seus personagens tão bem, dando vida a cada pequeno detalhe de suas personalidades, e como esses personagens têm seu par perfeito dentro da história em algum momento - e como o tal par perfeito pode acabar te surpreendendo.
If Elain was a blooming flower in this army camp, then Nesta… she was a freshly forged sword, waiting to draw blood.
Do outro lado, Elain vivencia sua transformação em um terror mais silencioso. O que aconteceu com ela é menos nítido, mais assustador do que com Nesta. A doce e adorável caçula dos Archeron está tão enclausurada em seus temores que nem mesmo consegue vislumbrar o que está acontecendo à sua volta; é um tipo de transtorno pós-traumático mágico, e eu adorei ler seu desenvolvimento. Com o apoio das irmãs e das figuras da Corte, Elain encontra seus caminhos no mundo feérico, mas sem deixar para trás as coisas que ela perdeu.
“We’re all broken,” Mor said. “In our own ways—in places no one might see.”
Azriel e Morrigan tem momentos fantásticos no livro também. Por terem suas histórias já estabelecidas, Sarah guarda algumas surpresas para o que concerne o futuro do general e da guerreira. Ambos usam seus tormentos do passado para lidar com o que vivenciam naquele momento, para bater de frente com o horror da guerra. Azriel é uma figura gentil e paciente em meio à instabilidade.
Here was the Morrigan. The female who had fought in the War. Who knew how to end lives with blade and magic.
Mor tem seus próprios temores para enfrentar. Eu gostei tanto de como a narrativa desenvolveu os caminhos desses dois; de como ambos ganharam arcos inesperados tão importantes para a trama. A força e a delicadeza em suas figuras são detalhes apaixonantes e vivos. Azriel é uma sombra temida, mas também um amigo dedicado e um guerreiro furioso. Mor tem seus tormentos, mas é um coração e uma amiga e companheira para Feyre e para a Corte.

A história da Amren, especialmente considerando seu poder descomunal e todo o mistério acerca do que ela realmente é, cresce e surpreende. Ao lado de Nesta, Amren se dedica a estudar o Caldeirão e as maneiras possíveis de parar essa força indomável, ao mesmo tempo em que permanece ao lado da Corte como apoio. Não que ela se torne uma figura sentimental, nada do tipo, mas ela é imperiosa e temida e a melhor pessoa para lidar com as crises que demandam poucas emoções e uma frieza incalculável.
It is a new world, and we must decide how we are to end this old one and begin it anew.

Por fim, faz-se necessário mencionar meu queridinho Lucien. Melhor amigo de Tamlin, ele acaba se afastando da Corte da Primavera e se unindo a Feyre em uma incursão de redenção. Eu sou apaixonada por esse personagem, pelas dores e pela carga emocional que ele carrega. O fato de virar as costas para tudo que conhece apenas para viver uma chance de se redimir por erros do passado mostra muito do coração de ouro que o feérico tem; e sua ligação com sua mate me deixou emocionada, apesar de ser alvo de outro momento da história.
My goal was bigger than revenge. My purpose greater than personal retribution.
Ah, e por falar em Tamlin... Continua um embuste insuportável. O começo do livro me fez querer esfregar a cara dele em asfalto quente. Não acho que ele tenha ganhado um arco de redenção, mas o princípio de um. Ele ainda é aquele macho chato insuportável e possessivo que acha que tem o direito de mandar nos outros só porque é forte; o típico opressor que quer ver a mulher se curvar diante dele. É nojento, é absolutamente repugnante. E o fato de ele agir tão infantilmente em vários momentos do livro me fez ter certeza de que a Sarah o escreveu com o desenvolvimento daqueles relacionamentos do Tinder - em um primeiro momento parece ótimo, mas aí você conhece de verdade e quer mais é chamar a polícia.



Os cenários da guerra e da magia, o envolvimento dos personagens com seu mundo e com os reinos, com clãs e guerreiros, tudo é muito bem orquestrado. Os personagens místicos da história tem seus triunfos, ganham seus momentos de glória. Eu queria muito falar sobre uma cena específica da batalha final, mas ela me fez surtar tanto em completo choque e entusiasmo que vale a pena deixar o surto para vocês também. Mas guardem minhas palavras: o mar e o horizonte.

Alianças e traições conduzem momentos de tensão, e a batalha final em si é arrebatadora; do tipo que te leva a devorar as páginas, angústia e ansiedade gritando a cada nova palavra lida. Esse livro é completo; o romance é incrível, as amizades são fantásticas, os plot twists acontecem no momento certo para explodir sua cabeça. As lutas têm descrições bem pontuadas, o tipo de ação que sai das páginas e se torna uma sequência de cenas em frente aos seus olhos. Esse é o tipo de livro que você vive, que você vê e respira e ama.
Where better to plot your enemy’s demise, to learn their weaknesses, than at their side?
A Court of Wings and Ruin é um final, mas também um começo. A história de Feyre e Rhysand tem um ponto final neste livro; toda a trama do Caldeirão e da guerra vai encontrar um encerramento, e você vai chorar até suas lágrimas esgotarem por tudo o que acontece nessas 707 páginas. Mas a história de Terrasen não tem fim; Sarah J. Maas já avisou que teremos mais livros sobre os personagens coadjuvantes, arcos que ela deixou abertos de propósito para dar continuação com uma profundidade necessária, algo que o ponto de vista solitário de Feyre não possibilitaria.



E esse livro é uma obra prima por encaixar tudo em seus devidos lugares. Cada pequeno acontecimento, cada escolha e sacrifício, tudo isso existe por um motivo; estava premeditado desde o começo. A jornada de Feyre para se encontrar no mundo mágico é grandiosa, inesquecível e emocionante. Sua ligação com a Corte, com os guerreiros e com os feéricos e com Rhysand, é tudo palpável. Você sente o amor dela por todo aquele mundo, por todos que vivem naquele mundo. Você vê tudo conforme as páginas passam, conforme coisas boas e ruins acontecem para os personagens mais queridos. Essa é uma história sobre sacrifícios, sobre medo e coragem, mas também sobre esperança, que é a força mais incalculável de todas.

Título original: A Court of Wings and Ruin
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia / Romance
Nota: 5 +

Saiba Mais: Skoob | Amazon

Share this:

, , , , , , ,

COMENTÁRIOS

22 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Mulher, eu estava ansiosa por sua opinião haahahahha
    Pra mim também foi muito difícil escrever a resenha desse livro sem entregar algo. Porque é tanta coisa que acontece que tudo pode virar spoiler.
    Nessian meu OTP supremo dessa série. Não vou mentir que queria mais, porém tem uns spin-offs a vir por aí e vamos torcer para que tenha mais deles.
    Lucien, meu filho, me deixou bastante orgulhosa com suas decisões nesse livro.
    Tamlin, pelamor... eu queria que esse embuste e a Ianthe tivessem morrido logo no começo, mas querer is not power.
    Vai ser difícil um casal superar Feysand. Os dois são a personificação de uma relação saudável, onde um respeita a decisão do outro, sem diminuir ninguém.
    Sarah nos estragou para homens com o Rhys. Se existissem mais homens como ele na Terra, o mundo seria totalmente diferente. Eu sei que existem sim, mas são tão minoria que ficam camuflados pela quantidade de Tamlin que existe por aí.
    Se deixar, passo o dia todo falando aqui. Amei sua resenha e você conseguiu passar tudo que senti lendo.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Dois Anos de Família Hallinson

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise,

    Só acho que a Record deveria agilizar isso ai rsrs. Infelizmente terei que esperar para ler em português mas não vejo a hora de pegar esse livro, pois o anterior foi maravilhoso.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Deise,
    Eu ainda não li os outros livros, mas fiquei com muita vontade de lê-los, adorei a resenha.
    Com certeza vou colocar na minha lista de leituras.
    Beijos :**
    Literatura Por Amor
    Top Comentarista

    ResponderExcluir
  4. Ainda nao conhecia esse livro, achei bem bacana
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  5. Muito boa sua resenha, tenho a mesma opinião que a sua sobre a autora.

    ResponderExcluir
  6. Elaine Mantovani31 de maio de 2017 12:31

    Oie Denise, que legal seu blog, amei sua resenha, parabéns !! Minha expectativa está a mil para ler esse livro, rsrsrs, você chegou a ler Trono de Vidro ? Amo essa série também, tenho todos os livros, grande bjo, e mais uma vez obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, não sei nem o que dizer sobre sua resenha. Ainda não tive á oportunidade de ler o livro, estou esperando eles lançarem para poder ler com ele na minha mão. Você confirmou algumas suspeitas, que mesmo que não terminem neste livro, sei que podem e vão ter uma linda história.

    ResponderExcluir
  8. Passei por acaso nesta obra maravilhosa de Sarah, não é necessário dizer que apaixonei profundamente ,estou louca pelo terceiro livro , já preparando o coração para tanta emoção , Belíssima livro ,que na minha opinião vai ser um clássico do cinema igual a Harry Potter e O senhor dos anéis .

    ResponderExcluir
  9. Passei por acaso nesta obra maravilhosa de Sarah, não é necessário dizer que apaixonei profundamente ,estou louca pelo terceiro livro , já preparando o coração para tanta emoção , Belíssima livro ,que na minha opinião vai ser um clássico do cinema igual a Harry Potter e O senhor dos anéis .

    ResponderExcluir
  10. Eu acompanho Corte de Espinhos e Rosas desde que o lançamento desse mesmo livro foi anunciado dizendo que era uma história com adaptação de Game of Thrones e A Bela e a Fera.

    Quando li o primeiro livro eu fiquei em êxtase com toda a história, o modo desenvolvido, a relação de Feyre com Tamlin. Tudo era mágico, ai veio Corte de Névoa e Fúria e jogou toda a história me jogou no chão. A relação que foi se desenvolvendo e sendo explicada me deixava com o coração a mil. E agora, com sua resenha sobre o 3° livro, eu estou em cóleras. Louca para me jogar dentro dessas 707 páginas. Nunca uma resenha me deixou tão assim como estou agora.

    Meus parabéns, ganhou uma nova seguidora e leitora fiel do blog <3

    http://brucgomes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Suas resenhas são maravilhosas. Se eu não conhecesse a Sarah Diva Destruidora de Corações J. Mass ia correndo conhecer só por conta de suas palavras. Estou mega ansiosa para ler esse livro.

    ResponderExcluir
  12. Seria possível dar alguma notícia sobre a data específica do lançamento? Já escrevi pra Galera Record que não responde nunca. Estava ancioso pelo Terceiro livro da Saga Conjurador e fiz como você, li em inglês, mas estou com vontade de ler Corte de Asas e Ruína em Pt-br.

    ResponderExcluir
  13. Bem, eu não sei o que dizer to aqui abismado pois amo demais essa saga de livro da minha amada Sarah J. Maas nossa não vejo a hora de sair essa magnitude, bem você escreve muito bem caramba se for do jeito que você descreveu fiquei arrasado, chorei, gritei, me manifestei pois é uma loucura amei seu blog um dos melhores que já vi e li, quero mais muito mais que venham muitos livros assim ela escreve com alma amo cada letra escrita cada virgula que ela coloca cada tudo, tudo mesmo... Esplendido, Maravilhoso, Amei sensacional

    ResponderExcluir
  14. Também acho o Tamlin um porre!!! E amei o livro 2. E agora fiquei com medo do 3, você disse que a gente chora. Espero que a autora não mate ninguém que eu amo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose! Tamlin podia cair de um abismo e ficar lá que ninguém daria falta - seria meu sonho, inclusive.
      Não tenha medo, porém tenha medo (?). O 3 é o melhor, pode ir com fé.

      Excluir
    2. Denise!!! Que livro 3 espetacular. Como a Feyre cresceu desde o primeiro livro. Fiquei impressionada. Acabei de ler o livro e, caramba, perdi o fôlego em vários momentos. Acho que eu estou apaixonada pelo Cassian. Pelo Rhys eu tenho certeza. Agora eu sinto mais pena que raiva do Tamlin. E lamentei por um certo personagem. Queria que ela falasse mais sobre outro. Mas...
      Quero muito que a autora conte a história dos outros personagens.

      Excluir
  15. Mulher queria poder sentar com vc e discutir sobre esse livro por horas, desenvolvimento maravilhoso, final lindo e desesperador, só deus sabe como me emocionei e me desesperei ao longo dessa história, SJM é uma gênia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariah! AAAAAA menina, nem fale! Queria muito fazer clube do livro sobre essa série só pra surtar com geral e pra ver todo mundo se entendendo a respeito dessa perfeição literária ç_ç
      SJM é rainha da vida, apenas.

      Excluir
  16. MELHORES LIVROS DA MINHA VIDA!!! SÓ ISSO. ESTOU LOUCA A ESPERAR! AMEI SUA RESENHA!!! ÓH CÉUS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GUENTA CORAÇÃO QUE TÁ CHEGANDO! Vai fazer a espera valer a pena <3

      Excluir
  17. Oi, oi, De! :)

    Já estava morta de ansiedade, agora pode enterrar e jogar as flores por cima porque você acabou de lacrar com essa resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karol!
      Segura esse coração e fique bem que logo a Galera Record tá trazendo pra cá - vale cada minutinho de espera, te prometo <3
      E muito obrigada *---*

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!