Resenha: Amante Consagrado

Resenha: Amante Consagrado

Amante Consagrado é o sexto volume da série sobrenatural A Irmandade da Adaga Negra, da JR Ward, publicada aqui no Brasil pela editora Universo dos Livros. A série acompanha um grupo de guerreiro vampiros de elite que precisa proteger vampiros civis de uma sociedade composta por humanos sem alma que querem destruí-los. Tudo isso enquanto acham tempo para se apaixonar perdidamente.
Sinopse: Nas sombras da noite de Caldwell, Nova York, desenvolve-se uma furiosa guerra entre os vampiros e os seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. E agora, um Irmão obediente deve escolher entre duas vidas...Ferozmente leal à Irmandade da Adaga Negra, Phury se sacrificou pelo bem da raça, convertendo-se no macho responsável por manter a linhagem da Irmandade. Como o Primaz das Escolhidas, ele será o pai dos filhos e das filhas que assegurarão que sobrevivam as tradições da raça, e, que haja guerreiros para lutar contra os redutores. Como sua companheira, a Escolhida Cormia quer ganhar não só o corpo, mas também o coração de Phury para si... Ela vê o guerreiro emocionalmente deteriorado atrás de toda sua nobre responsabilidade. Mas enquanto a guerra com a Sociedade Redutora se torna mais severa, uma grande tragédia abate a mansão da Irmandade e Phury deve decidir entre o dever e o amor.
Amante Consagrado se inicia logo após as mudanças nos planos da Virgem Escriba de tornar Vishous o Primale da raça. Centrado em Phury, o gêmeo de Z, a história acompanha o rápido declínio do vampiro, perdido na dor do amor não correspondido, no vício em fumaça vermelha e nas suas responsabilidade como o Primale da raça.

Phury costumava ser um macho sensato e responsável, comumente fazendo o papel de intermediário entre seu problemático irmão e o resto do mundo. Mas desde que Z encontrou Bella, as coisas mudaram. Z já não precisa mais de Phury, o que abre caminho para que ele espirale em uma direção bem destrutiva -- como vimos no fim de Amante Desperto.
Eu sinto como se estivesse na prateleira. Que eu recebi as palavras da história da minha vida, mas permanece sem ser lido na maior parte do tempo...
Assumir o papel de primale deveria ser simples, mas quando Phury se depara com uma assustada Cormia, percebe que a posição exige muito mais dele do que está disposto a dar. E quebrando todas as regras, leva a Escolhida para a mansão da irmandade enquanto tenta descobrir que rumo dar a sua vida e o que fazer com esse novo papel que deve desempenhar.

Resenha: Amante Consagrado

Cormia, que sempre viveu no Fade entre suas irmãs, outras Escolhidas, sente que falhou com elas e está disposta a cumprir sua parte e consolidar a relação do primale com as Escolhidas. Mas não é tão simples quando o macho com quem precisa lidar está emocionalmente longe, traumatizado e cheio de culpa por coisas que não pode controlar.

Amante Consagrado só não foi o livro mais difícil para eu ler da série porque Amante Revelado e Amante Finalmente existem. Foi uma história que eu pude apreciar muito mais depois de terminar do que durante a leitura, já que senti algumas partes arrastadas -- especialmente aquelas em que o vicio de Phury revivia toda sua culpa pelo sequestro de Z e os anos que ele passou em escravidão. Foram cenas bem desenvolvidas, mas eu lia por 84 anos e no fim não tinha nem atingido 10 páginas e isso era um pouco desencorajador.
'Eu amo você para sempre' nem sempre precisava ser dito para ser entendido.
A relação do Phury com a Cormia foi algo que eu não sei exatamente como definir. Eu certamente gosto muito de quem a Cormia se tornou, de como ela é muito mais do que uma fêmea destinada a dar continuidade a linhagem dos Guerreiros, mas certos buracos ao longo dessa jornada me deixam desconfortável -- algo recorrente em grande parte dos livros especialmente pela possessividade dos personagens e a necessidade de tornar as personagens femininas em vítimas que não podem lutar por si mesmas (o que, eu percebo, vem mudando em alguns livros com personagens como Xhex, Payne, Sola e também algumas personagens no Legacy).

Resenha: Amante Consagrado

Uma coisa que eu gosto muito nesse livro, porém, é a amizade que John Matthew e Cormia forjam. Gosto muito quando os protagonistas são capazes de desenvolverem laços com outros personagens que não seus pares românticos, cria uma dinâmica que funciona muito bem, especialmente quando a gente pensa que uma das coisas mais divertidas é a camaradagem e a amizade entre os guerreiros da irmandade. Mas infelizmente, esse é um dos pontos que JR Ward precisa trabalhar melhor, já que é comum as amizades se mostrarem apenas em um livro e serem esquecidas nos demais, a relação de Mary e Bella, Beth e Butch, por exemplo, estão aí para provar.
Para ele, a vida era como uma moeda que tinha desastre de um lado e esperando por desastre do outro.
No mais, Amante Consagrado não é o melhor e nem o pior livro d'A Irmandade da Adaga Negra, é uma leitura regular que traz acontecimentos importantes para o desenvolvimento do restante da série, como mais espaço para a Escolhida Layla, os avanços na academia e mais da "amizade" preferida Qhuinn e Blay (+ John Mathew).

Se você chegou até aqui, definitivamente vale a pena continuar e seguir até Amante Vingado.

Título original: Lover Enshrined, The Black Dagger Brotherhood #6
Autora: JR Ward
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Sobrenatural - erótico
Nota: 3,5

Saiba Mais:  Skoob | Amazon | Saraiva

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Oi, Bibs

    "eu lia por 84 anos e no fim não tinha nem atingido 10"...
    Menina, essa fui eu na minha última leitura, sei bem como é isso! Hahahaah
    Então, eu sempre estou lendo resenhas sobre essa série, mas saturei minha cota de livros sobre vampiros, quando a hype tava alta eu li 2691948291 livros do gênero, então meio que enjoei, sabe?
    E esses vampiros aí são meio psicodélicos, sei lá, não me passam muita credibilidade! Hahahahaha

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente amo a série, mas confesso que esse foi um livro que demorei a terminar justamente pelo pov de sofrimento do Phury. Porém, é realmente um livro de evolução da série, fazendo com que ela avance.
    Eu também notei isso da falta de continuidade nas amizades, principalmente porque estou em A Escolha e nem me lembrava que JM e a Cormia tiveram uma proximidade tão grande. Só com a resenha de outro blog que fui lembrar. Mas eu entendo o lado da Ward, a série é gigante, com muitos personagens, ela precisa abordar o que for mais essencial para aquele momento, naquele livro.

    Abraços!
    Renata Lima
    http://renatika.tumblr.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Que pena que a leitura foi meio arrastada pra você :( muito ruim quando a gente lê demais e parece que não avança na leitura, chega até a desmotivar hahaha mas que bom que, apesar disso, você conseguiu gostar do livro no geral!

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Bibs,
    Essa série faz muito sucesso né?
    Nunca li nenhum livro dela, mas ver que há certos probleminhas no decorrer da saga, fico um pouco desanimada, já que não é um tema muito atraente para mim, então quero algo muito UAU para me empolgar do começo ao fim.
    beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Bibs, eu estou há 84 anos presa no livro do John, só por Deus, mas eu amo a série, então tudo bem, a gente vai levando uma hora nessa vida eu termino kkkkkkkk Eu passei a entender mais do Phury depois desse livro, mas fiquei um pouco decepcionada com o Z, confesso! De qualquer forma a Ward é muito boa escrevendo <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!