Resenha: The Language of Thorns

  • 09:00
  • 6 de jun de 2019
  • Resenha: The Language of Thorns

    The Language of Thorns é uma coletânea de histórias inspiradas em contos de fadas clássicos - reimaginados para o universo Grisha - que a Leigh Bardugo lançou faz um tempo e eu estava SEDENTA para ler. Nem preciso dizer que a mulher tirou de letra mais uma vez, né?

    Sinopse: Viaje para um mundo onde barganhas são feitas à luz da lua. Um mundo de cidades assombradas e florestas famintas, de monstros falantes e golems de gengibre; um lugar onde a voz de uma sereia pode invocar tempestades mortíferas e onde um rio pode faze um favor a um rapaz apaixonado, mas com um preço terrível a se pagar. O amor fala através das flores; a verdade através de espinhos.

    São cinco contos independentes que falam sobre fábulas e lendas antigas de diversos pontos do mundo estabelecido na trilogia Grisha e na duologia Six of Crows. Com sua escrita já familiar e cativante, Bardugo constrói essas narrativas trabalhadas no bizarro e no fantástico de maneira maravilhosa, conquistando sua curiosidade logo de cara em cada um dos contos.

    Ayama and the Thorn Wood tem um que de Bela Adormecida e de Chapeuzinho Vermelho, mas, tal como as outras histórias, as semelhanças e inspirações são bem sutis dentro do cenário exuberante que a autora desenvolve. Fala sobre uma garota simples e suas histórias fantásticas capazes de encantar um monstro em uma floresta mágica; fala sobre ganância e sobre solidão com palavras poéticas e tocantes.

    The Too-Clever Fox foi um dos meus favoritos, sem sombra de dúvidas. Uma raposa feia e esquecida pelos outros bichos da floresta é o animal mais perspicaz entre todos eles - inteligente o suficiente para entender os padrões de um terrível caçar que vem rondando o bosque onde vive. Mas sagaz o bastante para impedi-lo? Gostei do sarcasmo sutil e das reviravoltas interessantes que essa história propôs, mas principalmente por lidar com aquela certeza de que se é muito esperto acima de todo mundo como um perigo em certos momentos.

    The Witch of Duva carregou um ar bem macabro e tenebroso de início. Acabou retratando um drama familiar inesperado e um fim de me deixar arrepiada de medo. Na história, a floresta devora garotinhas; Nadya sabe que tem algo de errado entre as árvores, mas é só quando o pai se casa novamente que ela é forçada a se arriscar até lá - o que acaba por colocá-la no caminho da verdade sobre o terrível segredo da floresta.

    Resenha: The Language of Thorns

    Little Knive narra a história de uma cidade em ruínas e porque seu destino chegou a tal tragédia. O passado dela envolve muitas riquezas e grandiosidade, uma princesa tão linda que generais e soldados e príncipes caíram por ela - fala sobre um grisha ambicioso que viu nessa princesa uma chance de se provar digno de estar entre os comuns; é uma história bastante marcante e que deu uma pontinha de saudade dos seres poderosos estabelecidos na trilogia.

    The Soldier Prince usou artifícios do Quebra-Nozes e um pouco de Peter Pan e, de novo, uma aura macabra bem carregada no desconhecido. Acompanhamos um soldadinho criado por um artesão com dons mágicos - para se aproximar da filha de uma família rica, ele usa esse soldadinho encantado para ganhar o coração da garota. Acaba que o soldadinho também tem um coração e uma intensa vontade de viver; ele só não sabe como expressar isso ainda.

    When water sang fire foi a maior história da coletânea e minha favorita por completo. Fala sobre sereias e sobre a magia antiga em suas canções, sobre uma amizade construída na estranheza e sobre uma criatura que não se encaixa em nenhum dos mundos; fala sobre poder, acima de tudo. Tem até a participação especial e inesperada de um conhecido rosto da Trilogia Grisha; gostei de toda fragilidade e medo que a Bardugo desenvolveu na protagonista e aaaaaaaa como se relacionou com o conto de fadas da Pequena Sereia. Que final!

    Mais uma vez, histórias mágicas falando sobre os excluídos, os esquecidos e subestimados e como é perigoso quando se dá poder ao medo, à ambição e ao desespero.

    A edição é de tirar o fôlego porque minha deusa do céu, que ilustrações DIVINAS! Elas acompanham as bordas das páginas e cada arte conta uma história junto com os contos; elas se desenvolvem através da narrativa até se tornar uma borda completa. É LINDO!

    The Language of Thorns é uma leitura rápida para quem está familiarizado com o universo da autora e quer conhecer mais sobre ele; aquele tipo de livro que você pode imaginar nas bibliotecas dos castelos de Ravka porque narra a mitologia do próprio mundo dos Grisha. E, caso não conheça, mas queira se arriscar, são ótimas releituras dos contos fantásticos conhecidos por nós - dá pra reconhecer os padrões de inspiração na narrativa e é maravilhoso quando você relaciona o novo ao antigo.

    Título original: The Language of Thorns
    Autora: Leigh Bardugo
    Ilustrações: Sara Kipin
    Editora: Imprint
    Gênero: Fantasia
    Nota: 5
    Skoob

    1. Oi, Nizz!
      The Soldier Prince e When Water Sang Fire foram meus favoritos! E as ilustrações maravilhosas...
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    2. Oiii Denise

      Eu tenho esse livro aqui pra ler, mas agora quero passar o King of Scars na frente porque to mega curiosa em ter mais Nikolai! Espero que publiquem estes livros todos no Brasil, Leigh Bardugo está escrevendo cada vez melhor e o universo grisha é simplesmente maravilhoso, a gente não cansa.

      Beijos, Ivy

      www.derepentenoultimolivro.com

      ResponderExcluir
    3. Oi Denise,
      Parece ser um livrão para fãs, hein? Até porque essa capa foi um tiro, AMEI DEMAIS.
      Como queria saber ler em inglês... Esse ano vou me dedicar para conseguir. Quero ter uma coleção igual a sua quando crescer, HAHAHAHA
      beeeeijos
      http://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    4. Oi, Denise

      Bacana a autora dar a roupagem da série dela aos contos de fadas, achei criativo. Acho que a proposta que eu mais curti foi a de The Too-Clever Fox, achei a mensagem interessante.
      A edição parece estar um desbunde de linda mesmo, fiquei curiosa para ver as demais ilustrações.

      Beijos
      - Tami
      https://www.meuepilogo.com

      ResponderExcluir
    5. Oi Nizz!
      Seria meu sonho a Gutenberg publicar aqui? Seria <3 Aff essa edição é uma lindeza. Queria tanto ler essas lendas. Bardugo é o tipo de autora que eu leio até a lista de compras se ela me mandar. Mas se tudo falhar ainda pretendo comprar a edição em ingles mesmo e tentar como der. Mas q eu vou ler, eu vou.

      Abraços
      David
      http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.