Resenha: A Fazenda dos Animais - Queria Estar Lendo

Resenha: A Fazenda dos Animais

Publicado em 21 de jan. de 2021

Resenha: A Fazenda dos Animais

Estou com a crescente sensação de que resenhar A Fazenda dos Animais não vai raspar o tacho da grandiosidade que tem nessa história. A obra de George Orwell faz, brilhantemente, tantos paralelos com políticas socialistas e críticas ao totalitarismo, que se tornou uma favorita em pouco mais de uma hora de leitura.

Este e-book foi cedido para resenha pela Companhia das Letras através do NetGalley.

A Fazenda dos Animais é uma sátira política que fala muito sobre totalitarismo de maneira bem simples, quase desenhada. Na história, os animais da Fazenda do Solar decidem se rebelar contra o Sr. Jones, o humano que toma conta de tudo e, com sua rebelião, conquistam a fazenda e as terras para si.

A princípio, o paraíso parece ao seu alcance, mas logo a ambição e a sede de poder tomam conta de alguns entre os animais, ameaçando a ordem pacífica em um formato de controle bastante semelhante ao que experimentavam quando eram liderados pelo humano.

A Fazenda dos Animais é uma crítica aberta e ferrenha à ditadura stalinista e traz discussões bastante lúcidas a respeito de revoluções, conquista de meios de produção e de como, eventualmente, a corrupção pelo poder vai encontrar o elo mais perturbado e desesperado por ela.

George Orwell conta uma história simples através dos bichos da fazenda, mas faz isso de maneira tão brilhante e educativa que esse se tornou rapidamente um dos meus livros favoritos. Eu nunca tinha lido nada do autor, mas coloquei 1984 na minha meta de leituras de clássicos para 2021 exatamente por considerar o autor um dos mais importantes da literatura mundial.

A maneira com que a história conversa com o leitor, apresentando seus animais e suas posições na fazenda - aquele que é o mais forte, mas também o mais influenciável; aquele que questiona em silêncio, mas permanece em cima do muro por capricho; aquele que bate de frente com a corrupção e é abertamente punido por isso; o tirano; o rebelde; o líder e o mártir. Pouco a pouco, o cenário deixa de ser uma fazenda e se torna a História do mundo.

Resenha: A Fazenda dos Animais

É nítida a maneira com que Orwell aponta o dedo para a ditadura de Stálin e o caos que trouxe ao pegar ideais brilhantes e transformá-los num meio de opressão, encobrindo essa opressão com patriotismo e falsos cuidados.

Tal como na História, o ditador aqui - um dos porcos chamado Napoleão que se ergue no poder em um golpe e ali permanece através da força bruta e da manipulação de mídia e de discurso, como tantos outros ditadores também fizeram - influencia as mentes mais influenciáveis e oprime aquelas que tentam questionar. Não apenas através da violência, mas também desacreditando, plantando mentiras, usando seus informantes para fazer com que os questionadores desviem o olhar de onde realmente importa.

Lentamente, os oprimidos se tornam opressores; os porcos assumem sua posição como líderes dessa nova sociedade e, pouco a pouco, se tornam uma sombra dos humanos que juraram destruir.

Já era impossível saber quem era homem e quem era porco.

É tudo tão brilhante que fica difícil explicar em uma resenha. Para um livro tão curto - 136 páginas nessa edição da Penguin Companhia, contando com o prefácio de Morris Dickstein, onde se analisa muito a respeito de passagens dos textos originais e das analogias que Orwell tão brilhantemente expôs em sua história.

Diferente de 1984, que é descrito como uma obra muito mais pesada e demorada, aqui a mensagem é simples e limpa, clara em toda a sua crítica.

A tradução de Paulo Henriques Britto está maravilhosa. Eu não li o original, mas o trabalho do tradutor me afundou na história de tal maneira que me senti parte da fazenda, sofrendo pelos animais, pela opressão silenciosa, pelas manipulações e corrupções e eventualmente, pelo banho de sangue que se seguiu.

Eu provavelmente não raspei a base de tudo que esse livro questiona e comenta e satiriza, mas eis um pedacinho do que senti lendo - e o comentário de que vou continuar estudando e entendendo mais a respeito das obras do Orwell pelo tanto que ele me fisgou aqui.

Do início ao fim, A Fazenda dos Animais é uma aula e abre espaço para debates importantes. É um livro impactante e extremamente atual, como muitas sátiras políticas que refletem histórias que tendem a se repetir; mesmo que não no mesmo nível brutal, mas é impossível ler as mentiras espalhadas entre os animais e as ladainhas criadas pela "mídia" dos porcos sem reconhecer isso no governo que estamos vivendo.

Sinopse: Cansados dos maus-tratos e abusos dos humanos, os animais da Fazenda do Solar decidem tomar o poder das mãos do sr. Jones. Com um idealismo inflamado e repleto de frases de ordem, eles tentam criar um paraíso de progresso, justiça e igualdade, mas são impedidos por uma coisa: a ambição do poder. Esse é o palco para uma das fábulas satíricas mais importantes da modernidade, um conto de fadas para adultos que registra a transformação de uma revolução popular em totalitarismo. Contudo, a narrativa é complexa o suficiente para evocar a rivalidade entre Stálin e Trótski, bem como o conflito entre "o socialismo num só país" e a revolução mundial. Publicado pela primeira vez em 1945 depois de ser rejeitado por diversas editoras, A Fazenda dos Animais é uma crítica ferrenha à ditadura stalinista e mostra como um movimento pode ir se degenerando gradualmente, caindo em contradição, formando hierarquias e, por fim, estabelecendo uma ditadura.

Título original: Animal Farm
Autor: George Orwell
Tradutora: Paulo Henriques Britto
Editora: Penguin Companhia
Gênero: Ficção | Política
Nota: 5+

Se você gostou de A Fazenda dos Animais, pode gostar de conhecer outra grande obra de George Orwell: 1984.

3 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Esse é um livro que tenho curiosidade de lê-lo quando tiver um tempo.
    Beijos!

    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    Quero muito conhecer o trabalho do autor, por ser um dos mais respeitados na literatura. Ainda não tinha visto ninguém falando sobre Fazenda dos Animais e fiquei muito curiosa com uma mensagem tão poderosa em poucas páginas.

    Beijos, Fantasma Literário

    ResponderExcluir
  3. Olá...
    Ainda não li nada do autor, mas pretendo mudar esse quadro em breve! Sempre leio excelentes comentários sobre suas obras e amei tanto a sua resenha que ela meio que funcionou como o pontapé que faltava pra mim ler algo do George Orwell!
    Não sei se você sabe, mas, eu moro numa fazenda, então, tenho muita curiosidade sobre esses animais, suas posições que ocupam e o que representam em nossa sociedade.
    Amei sua resenha... Já quero ler!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!



@QueriaEstarLendo