Controle Remoto: 14 Motivos para Amar Shadowhunters

Controle Remoto: 14 Motivos para Amar Shadowhunters


Controverso, talvez. Shadowhunters, a série de TV que adapta os livros Os Instrumentos Mortais da Cassandra Clare, dividiu tanto o fandom nacional como o fandom internacional. As diferenças são grandes e gritantes, assim como a mistura entre os acontecimentos dos 3 primeiros livros da série, as cenas que são claras referências de acontecimentos dos 3 últimos livros e as dezenas de referências a outros personagens de outras sagas -- como esquecer o fandom delirando a simples menção do nome Tessa? Ou Church?

Mas se você leu minhas primeiras impressões sobre a série, não vai se surpreender quando eu disser: amei!

A cada novo episódio a série se superava e mesmo os personagens originais que encaixaram nela me deixaram tão empolgada quanto aqueles que eu já conhecia. Como falei acima, as diferenças entre os livros e a série é grande, mas também, como já havia mencionado no meu primeiro review, a história é exatamente a mesma -- só está andando por caminhos diferentes. Todos os marcos importantes aconteceram, independente do caminho tomado para chegar lá.

Eu não me importo muito com a maior parte das mudanças, especialmente porque estão se mantendo honestos com relação aos personagens e personalidades -- e também porque sei que coisas grandes, como Malec ser end game, não vão ser mudadas, mesmo que precisem passar por alguns dramas a mais ao longo do caminho.

Mas para deixar você a par de tudo e julgar por si mesmo, decidi enumerar as coisas que gostei e que não gostei na série.

Mas atenção, amiguinhos, a lista abaixo contém spoilers moderados da série, se você ainda não viu e não quer correr o risco, não leia.


Bianca Assistiu Shadowhunters!


GOSTEI


1. Relacionamento Izzy e Clary. Está sim diferente dos livros, embora a Izzy sempre tenha ajudado a Clary, ela também sempre teve um pé atrás com a ruivinha (e a gente entende isso quando descobrimos sobre Robert e como ela acredita que os corações são frágeis). Na série ela recebeu a Clary com o peito aberto, empolgada pela nova amizade. Gostei bastante disso e faz sentido se forem trabalhar a linha de que a Izzy estava alheia aos problemas dos pais -- o que é uma possibilidade, pelo pouco que vimos de interação entre Izzy/Robert/Maryse.
2. Os Lightwoods não sabiam sobre os pais e o Círculo. Faz bastante sentido que Maryse e Robert nunca tenham contado isso aos filhos (the shaaaaame), e com a proibição da Clave de falar sobre o assunto, faz mais sentido ainda. A grande reviravolta sobre papa e mama Lightwood na série, é que os filhos desconhecem o relacionamento quebrado deles, o que faz com que provavelmente, nós vejamos o coração de Izzy se partir na série -- e seu desgosto por Robert nascer dessa decepção.
3. Luke como policial. Foi uma das coisas mais criticadas quando começaram a sair informações sobre a série, mas logo de cara já havíamos, aqui no blog, feito algumas especulações sobre como isso iria funcionar e a importância dessa profissão do Luke. No fim das contas foi melhor do que imaginávamos e funcionou muito bem! Estar envolvido com a polícia dá a ele uma chance de estar por dentro dos crimes, que foi a forma como acharam para correlacionar o mundo mundano e o mundo das sombras. É um trabalho difícil adaptar a mitologia de SH para a TV, uma vez que não se pode contar que apenas fãs dos livros estão assistindo.
4. As atuações. E quero destacar 3 aqui: Harry Shum Jr., Matt Daddario e Emeraude Toubia. Gente, eles entraram total nos personagens, são expressivos e tem uma linguagem corporal que combina muito com os personagens. O roteiro pode ser meio piegas as vezes, mas eles conseguem fazer funcionar. Estou apaixonada pelo Alec do Matt desde o primeiro dia. Sarcástico e bem bitch, é o personagem que aprendi a amar. Ele está centrado nas regras e ainda procura uma forma de honrar o nome e proteger a família. A Izzy está mais parecida com a personagem nos últimos livros e, como disse, temos razões para isso, mas em nada diminui a importância ou a magnitude da atuação da Eme, que traz aquele jeito sexy e amedrontador que a Izzy exala. Já o Harry É O MAGNUS. As expressões, a forma como ele se movimenta, tudo nele diz Magnus, eu fico hipnotizada quando ele está em cena. Godfrey Gao (Magnus no filme Os Instrumentos Mortais) tinha toda a aparência perfeita do Alto Feiticeiro do Brooklyn, mas o Harry além da aparência, tem os trejeitos e detalhes e mergulhou na vida do personagem.
5. O arco do Jace como traidor, de Cidade das Cinzas, foi dado para a Izzy e eu quase tive um siricutico. Foi muito bom a forma como ela lidou com isso e como isso mexeu com os outros personagens -- além de nos deixar saber um pouco mais sobre como funciona a 6. 6. Clave. Ainda mais porque nós sabemos que para o Jace ser inocentado uma grande revelação teria que ser feita -- e ela deveria vir só na segunda ou terceira temporada.
7. LYDIA BRANWELL. TOO PRECIOUS FOR THIS WORLD.
8. O beijo do Gard acontecer com um twist maravilhoso. EU AMEI TANTO A CENA.
Luke e Raphael, a relação me lembrou um pouco Raphael e Magnus em As Crônicas de Bane e eu morri de rir SEMPRE.
9. O instituto tecnológico. Nunca curti muito a vibe medieval dos SH e sempre achei que era meio estranho eles não sucumbirem a tecnologia (muito se explica pelo livro ter sido escrito antes de 2007, né). Então gostei muito dessa renovação, é algo que eu total enxergaria nos livros se a Cassie fosse reescrever. Henry teria orgulho.

Controle Remoto: 14 Motivos para Amar Shadowhunters


10. O episódio no universo paralelo. Pelo amor de Deus, foi a melhor ideia que tiveram para um episódio! Desde o anúncio eu estava LOUCA para ver ele. As brincadeiras que fizeram, como colocar o Luke como uma livreiro e incluir o Church e o Chairman Meaw foram detalhes que não alteraram nada para quem não leu o livro, mas significaram o mundo para quem leu. E o Alec foi a melhor pessoa. A produção realmente se esforçou para dar aos fãs dos livros detalhes que amamos -- mesmo que para isso o Harry tenha que ter tomado várias vacinas, já que é alérgico a gatos.
11. Michael Wayland. Mais uma coisa que foi extremamente criticada quando anunciada, os fãs foram a loucura porque COMO ASSIM O MICHAEL VAI ESTAR ALI? NÃO PODE. As teorias sobre como isso ia ferrar toda a história foram várias, mesmo que a resposta estivesse tão clara e ridiculamente na cara -- quem não sabia que ia ser aquilo? Acho que foi uma das coisas mais fáceis de serem descobertas (pelo menos para quem leu os livros) do que qualquer outra coisa e eu fiquei assustada com o nível do pessoal que não entendeu o que estava acontecendo ali -- estávamos assistindo a mesma série??? Mas confesso que por um momento eu fiquei imaginando um reencontro entre Robert e Michael porque waywood feels.
12. O final. Ok, ok. O desespero da Kat me fez rir ao invés de chorar (vamos melhorar miga, cê tava indo bem no começo da série), mas eu AMEI SIM a virada no final do episódio. Tudo que o filme poderia ter feito e não fez.

Controle Remoto: 14 Motivos para Amar Shadowhunters


13. MALEC! Meu deus, O Matt e o Harry estão tão maravilhosos que eu tenho vontade de chorar. Eles são tão os personagens, tão lindos, tão queridos, tão sofridos, tão se amando. Eu só quero chorar porque eu olho eles e eu sei que eles são o Magnus e o Alexander.

Controle Remoto: 14 Motivos para Amar Shadowhunters


14. CLACE. Mds, eu shippei mais na série do que nos livros? Gente, é tão bobo que eu amo????? Eu não sei explicar. Eu simplesmente amo. É o Jace e é a Clary e eu amo eles, mesmo quando eu odeio eles (é fácil odiar eles com toda a lenga lenga de Somos filhos do Valentim).


Bianca Assistiu Shadowhunters!


NÃO GOSTEI


1. A inversão de papéis entre Robert e Maryse quando eles descobrem o segredo do Alec. A dificuldade que o Robert tem de aceitar a sexualidade do filho, nos livros, muito tem a ver com o passado dele com o próprio parabatai e suas próprias confusões. É uma jornada bastante emotiva para o Alec e o Robert e que precisa de algum tempo -- e alguns acontecimentos -- para entrar nos eixos. É um dos meus arcos preferidos de ambos os personagens e fiquei sim chateada com a mudança. Estou ansiosa para ver como vão trabalhar isso na segunda temporada -- será que jogam o arco para a Maryse? Também seria legal.
2. Ninguém diz os malditos nomes dos anjos na hora de usar uma lâmina serafim. Elas são tipo sabre de luz na série. Isso me irritou no filme também.
3. Não usaram o diálogo completo do "to love is to destroy and to be loved is to be the one destroyed". Achei trash, tô esperando ele completo na segunda temporada.
4. O Meliorn não parecer uma fada.

Controle Remoto: 13 Motivos para Amar Shadowhunters


5. Só o Alec (e eu) gostar da Lydia. Eu sou apaixonada pela personagem desde que soube dela e cada vez que o fandom começava a reclamar dela, xingar ou ficar de mimimi "ai por que deram mulher pro Alec" (como se ele realmente nunca fosse fazer algo do tipo) EU TINHA VONTADE DE ENFIAR A MÃO PELO COMPUTADOR E ESBOFETEAR TODO MUNDO. Como se ela realmente fosse ser uma vaca e ficar entre malec, como se malec não fosse end game e como se ela não fosse ser super compreensiva. A Lydia é o Alec mulher e eu ainda estou esperando grandes coisas para ela (e no fundo sempre vou shippar esse threesome Alec/Lydia/Magnus que se formou no meu coração e ninguém me tira).
6. Qualquer criatura entrar no instituto sem ser convidado. Não combina com a pose defensiva dos SH. Tenho total ciência de que isso foi feito para facilitar a interação de alguns personagens, em especial o Magnus. Mas acho que podiam ter pensado em algo mais para contornar essa situação. O Instituto é solo sagrada para proteger os SH, afinal a guerra com o Submundo nunca vai acabar.

Controle Remoto: 14 Motivos para Amar Shadowhunters


7. A palhaçada com o Alec e o Jace saindo no braço, tipo.... WTF vocês são parabatai, vocês se amam mais do que qualquer coisa. PAREM DE SE BATER. Aff. Foi bem OOC.

Depois disso, tudo que tenho a dizer é que, de 0 a 5 estou dando 4 e gritando: ME DÁ LOGO AS FILMAGENS DA SEGUNDA TEMPORADA, AO MENOS.

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

6 comentários:

  1. Comecei a assistir, mas não gostei =/
    Só o Alec, que é LINDO... kk mas a série em si não me agradou. Uma pena.

    http://colecionadoresdelivross.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que pena D:
      Eu gostei muito. E realmente, o Matt Daddadario, mds, onde esse homem se escondia? Jesus, eu assisto umas cinco vezes as cenas dele até conseguir parar de babar e prestar atenção HAHAHAHAHAH

      bjs

      Excluir
  2. Olá!
    Quando comecei a ver estava odiando e amando ao mesmo tempo, com a sua lista fiquei com vontade de abrir o netflix e voltar a ver hahaha
    Abraço!
    http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odeio e amor define bem a série UAHSUAHSUASUHASUAHSUH
      Mas no fim, depois de assistir tudo, bate aquela saudadezinha e aquele ar de "sou fã e isso é meio trash mas mds, meus personagens" AUSHAUSHAUHSUAHSAUHS

      bjs

      Excluir
  3. "Mas confesso que por um momento eu fiquei imaginando um reencontro entre Robert e Michael porque waywood feels." EU ACHEI QUE IA ACONTECER.... EU FIQUEI ESPERANDO. Fui otária :'(

    Amei os motivos para assistir e concordo com tudo nesse post!

    Nossos posts se completam, ; eu fiz de ships e você fez os motivos -hahaha


    Como sempre, post maravilhoso.

    Beijos,

    Gisele

    ---
    Surtando com palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MDS eu já sabia que ia ser aquilo desde o começo né, MAS A TROUXA EM MIM FICOU DESESPERADAMENTE DESESPERADA PARA VER WAYWOOD. Não ajuda muito que eu estava presa no conto de The Evil We Love, da academia shadowhunter.
      E MDS NOSSOS POSTS SÃO COMPLEMENTARES MESMO AUSHAUSHAUHAUSHAUSH vou até atualizar pra indicar ele ali. :P

      bjs

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!