Resenha: O Corvo

  • 09:00
  • 1 de abr de 2019
  • Resenha: O Corvo

    Seguindo os moldes da antologia Histórias Extraordinárias, O Corvo, de Edgar Allan Poe, chegou às livrarias em uma edição especial divina através do selo Companhia das Letras - que cedeu este exemplar para resenha.

    Sinopse: “A morte de uma mulher bela é, sem sombra de dúvida, o tema mais poético do mundo.” Assim Edgar Allan Poe justificaria a gênese de “O corvo”, poema publicado sob pseudônimo originalmente em 1845. Mas o que faz com que esses versos hipnotizantes sobre perda e desejo, escritos de modo tão calculado pelo mestre do terror há quase dois séculos, tenham merecido tantos elogios e tamanha controvérsia? Nesta edição, o leitor vai conhecer as traduções mais notáveis de “O corvo” para a nossa língua ― as de Fernando Pessoa e Machado de Assis ―, analisadas pelo poeta, tradutor e professor Paulo Henriques Britto, que também traduz três textos fundamentais de Poe sobre poesia (“A filosofia da composição”, “A razão do verso” e “O princípio poético”) e examina a faceta ensaística do escritor.

    Reunindo as duas mais famosas traduções do poema - de Machado de Assis e Fernando Pessoa, respectivamente -, além do seu original, a obra dá espaço para falar um pouco sobre a construção dessas traduções, desde a métrica e dos ritmos até a profundidade por trás das palavras escolhidas pelo poeta, e do que faz dessa melancólica trama um marco tão grande para a história.

    O Corvo é um dos mais conhecidos - se não o mais conhecido - poemas de Edgar Allan Poe. É descrito como um dos poemas mais assustadores da literatura ocidental e é carregado em sombras, melancolia e solidão. Esta edição, além de reunir as três versões do poema, também dá espaço para três textos escritos pelo próprio Poe e traduzidos pelo estudioso Paulo Henrique Britto - responsável por toda a obra. Os textos falam sobre poesia, sobre as influências e estudos e detalhes que Poe usou durante a construção de suas obras.

    Resenha: O Corvo

    A tradução de Machado de Assis é clássica, mas passa longe do ritmo e da sensação que o poema original e a tradução de Fernando Pessoa carregam; o estudioso explica isso através do trabalho da tradução - enquanto Pessoa se preocupava com a parte rítmica e estilística, seguindo à risca e até mesmo improvisando para melhorar o entendimento no que concerne a adaptação, Machado de Assis acabou se aproximando mais de um texto narrativo, afastando-se da quantidade de estrofes e sílabas em prol de uma adaptação mais extensiva.

    A melancolia, portanto, é o mais legítimo de todos os tons poéticos.

    Eu gostei bastante das explicações a respeito do trabalho de adaptação de um poema, coisas que não pareciam tão complexas quanto realmente são. Os textos de Poe sobre suas inspirações, construções de estrofes e versos e todo o trabalho por trás da história - a morte de uma bela mulher que ele chama de "o tema mais poético do mundo" - são interessantes e por vezes até sombrios de acompanhar. Achei algumas partes um pouquinho arrastadas demais e por isso minha nota não alcançou o máximo.

    Resenha: O Corvo

    A edição da Companhia das Letras está impecável e dói de tão bonita. É carregada de um visual gótico e tem ilustrações macabras maravilhosas no miolo do livro.

    O Corvo é uma obra completa para quem quer entender tudo a respeito desse poema em específico, mas também um pouco mais sobre seu autor e seu estilo e também a história por trás das duas traduções mais conhecidas. Um livro magnífico e rápido que vale a pena conhecer.

    Título original: The Raven
    Autor: Edgar Allan Poe
    Editora: Companhia das Letras
    Tradução: Fernando Pessoa e Machado de Assis
    Organização, prefácio e tradução dos ensaios: Paulo Henrique Britto
    Gênero: Poema
    Nota: 4
    Skoob

    GOSTOU DA NOSSA RESENHA? ENTÃO AJUDE O BLOG COMPRANDO ATRAVÉS DO NOSSO LINK!

    1. cada edição mais lindo do poe, eu tenho um livro de contos dele que gosto mt! com certeza fiquei curiosa com esse dois livros tbm

      www.tofucolorido.com.br
      www.facebook.com/blogtofucolorido

      ResponderExcluir
    2. Olá, Denise.
      Algum tempo atrás eu li O Corvo em uma edição bem caprichada da Editora Empíreo. E tem várias edições belíssimas dele. Essa parece estar arrasando também. Mas infelizmente não foi um livro que gostei tanto assim hehe.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    3. Oi,Denise! Já tentei ler Poe, mas não consegui seguir. Não estava muito no clima, quem sabe tente em outro momento. Esta edição é muito interessante e quem é fã, não deve deixar de conferir. Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    4. Oi De,
      Eu tentei ler, mas não consegui. Confesso.
      Não é um estilo fácil para mim, mas sei que é um clássico que merece destaque.
      beijos
      http://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    5. Oi, Nizz!
      Uma vez eu tentei participar de um desafio 12 meses de Poe, mas flopei. Li uns três contos e decidi que o autor não é pra mim.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    6. Oi Denise!
      Achei muito legal ter esse assunto sobre tradução de poemas no livro tbm. A edição é linda msm!
      Qnd eu era adolescente eu li alguma coisa do Poe, mas n me lembro direito o q foi. Acho q era um conjunto de contos, mas acabou q na época não curti muito.
      Preciso tentar novamente, pois adoro o filme O Corvo!
      Bjs
      http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

      ResponderExcluir
    7. Oi Denise
      Eu detesto conto, ainda mais contos antigos que eu preciso ficar virando a cabeça pra tentar entender o que ele quer dizer. Não seria uma leitura pra mim mas eu amei essa capa!
      Beijo

      http://www.capitulotreze.com.br

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.