Resenha: Vermelho, Branco e Sangue Azul

  • 09:00
  • 15 de nov. de 2019
  • Resenha: Vermelho, Branco e Sangue Azul

    Vermelho, Branco e Sangue Azul é um New Adult que estava entre os meus desejados desde que vi a premissa. Usando clichês de romances com a realeza, a autora Casey McQuiston explora um relacionamento LGBTQ+ com muito humor, entregando um livro cheio de amor e risadas.


    Sinopse: Quando sua mãe foi eleita presidenta dos Estados Unidos, Alex Claremont-Diaz se tornou o novo queridinho da mídia norte-americana. Bonito, carismático e com personalidade forte, Alex tem tudo para seguir os passos de seus pais e conquistar uma carreira na política, como tanto deseja. Mas quando sua família é convidada para o casamento real do príncipe britânico Philip, Alex tem que encarar o seu primeiro desafio diplomático: lidar com Henry, irmão mais novo de Philip, o príncipe mais adorado do mundo, com quem ele é constantemente comparado ― e que ele não suporta. O encontro entre os dois sai pior do que o esperado, e no dia seguinte todos os jornais do mundo estampam fotos de Alex e Henry caídos em cima do bolo real, insinuando uma briga séria entre os dois. Para evitar um desastre diplomático, eles passam um fim de semana fingindo ser melhores amigos e não demora para que essa relação evolua para algo que nenhum dos dois poderia imaginar ― e que não tem nenhuma chance de dar certo. Ou tem?

    Na trama, conhecemos Alex. Ele é filho da presidenta dos Estados Unidos e está muito bem, obrigado. É um queridinho da mídia e das pessoas ao seu redor, dono de talento e carisma naturais; seu único problema reside em um nome: Henry. O príncipe encantado britânico que parece existir para ser uma pedra no seu sapato.

    Quando um imprevisto os coloca como inimigos na mídia e ameaça acordos governamentais, a mãe de Alex toma uma decisão em conjunto com a coroa inglesa: eles vão se tornar os melhores amigos que existem aos olhos da mídia. E esse esquema para afastar os boatos de que se odeiam vai acabar por aproximá-los mais do que Alex imaginava desejar.

    Vermelho, Branco e Sangue Azul tem absolutamente tudo que um romance contemporâneo clichê poderia pedir - o fato de usar todos esses artifícios conhecidos em uma trama LGBTQ+ é que torna esse livro tão especial.



    A história dá voz a um protagonista latino, filho da primeira mulher a assumir a presidência dos EUA. Uma vez próximo de Henry, Alex acaba por confrontar dúvidas em relação a sua sexualidade, abrindo-se para procurar aceitação; o relacionamento entre eles pode ser "proibido", mas não significa que ele precise se esconder no armário em relação aos próprios desejos.

    Eu gostei de como a autora explorou esses detalhes. Como tudo soou tão natural - como deveria ser - e como Alex, apesar de pegar nos meus nervos algumas vezes (com sua teimosia e egocentrismo) foi tão agradável de acompanhar. Um rapaz carismático, cheio de energia que odeia o príncipe pelo simples fato de existir e, de repente, não pode viver sem ele. Aquele hate to love delicioso que dá vontade de sair gritando pela casa porque VOCÊS SE AMAM, ENTENDA!



    Henry, por outro lado, é uma incógnita ainda mais interessante. Ele tem tudo que um príncipe encantado precisa: o porte, a elegância, a classe, a gentileza. Mas também tem seus trejeitos tímidos e cautelosos, seus medos e anseios, as coisas que deseja e não pode ter - o dilema de não poder se assumir gay publicamente, mesmo fazendo isso com facilidade quando confrontado por Alex.

    Eles se abrem um para o outro de maneira marcante. Encontram confiança e aceitação um no outro como todo bom ship precisa fazer.

    Os diálogos soam extremamente naturais, como se você estivesse acompanhando o dia a dia de dois amigos próximos. Tem aquela tensãozinha gostosa sobre não saber para onde o ship está indo, o quanto eles vão dar certo e o quanto vão escorregar para se acertar, tudo que torna um romance irresistível.

    Os coadjuvantes são ricos em personalidades e histórias - em especial Nora, que me conquistou com seu sarcasmo e piadinhas pontuais e por ser tão presente pelo Alex mesmo quando ele acha que não precisa. Os dilemas com as famílias, tanto do lado nobre quanto da Casa Branca, mostram muito sobre como Alex e Henry confrontam os problemas da vida. O quanto eles precisam amadurecer e erguer a voz para se fazerem ouvidos. Os embates entre o Alex e a mãe dele, principalmente, rendem um drama familiar muito bom.


    Resenha: Vermelho, Branco e Sangue Azul

    Se eu tenho uma crítica a fazer pra história é um pouco sobre o tamanho dela. Apesar de a fluir muito bem e de dar gosto de acompanhar esses personagens e seu romance - bem caliente, diga-se de passagem - muitas passagens soaram um pouquinho cansativas. Os capítulos eram longos DEMAIS quando não engrenavam, e aí dava uma sensação de que nunca teria fim.

    Mas isso não tira o mérito da história e definitivamente não tira o meu amor por ela, muito pelo contrário. Apesar de demorar, eu me acostumei com o ritmo e com as descrições extensas da autora e me apaixonei tanto pelo Alex e pelo Henry que queria que nunca tivesse fim. Sabe aquele tipo de narrativa com o tom de humor certo e as provocações e flertes na melhor medida? É o que você vai encontrar nesse livro.

    Eu ainda não tive a oportunidade de ler a versão traduzida pela Editora Seguinte, mas farei isso assim que possível - porque esse é o tipo de história que você QUER reler assim que a termina.

    Vermelho, Branco e Sangue Azul é um New Adult que usa clichês sobre príncipes e romances proibidos para falar sobre a vida e aceitações. É uma releitura bem-vinda desse tipo de história e com certeza vai conquistar seu coração.


    Título original: Red, White & Royal Blue
    Autor: Casey McQuiston
    Editora: Seguinte
    Tradução: Guilherme Miranda
    Gênero: NA | LGBTQ+
    Nota: 5

    1. Oi Denise! Eu tenho a obra aqui, mas anda não li. Eu espero que estes personagens me cativem bastante, que a história me empolgue e que estas partes mais lentas não prejudiquem o andar da leitura. A cada dia mais aceitação vem sendo temas de livros jovens, o que é ótimo para conscientizar. Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Cida!
        Eu tenho certeza absoluta que tu vai curtir muito! A história é muito engraçada e carismática, impossível não amar cada momento.

        Beijos!

        Excluir
    2. Denise, eu amei o livro!
      Eu não me importei muito do tamanho dele, mas eu entendo o que você quer dizer. Acho que eu me acostumei em ler caps longos e tal hahah
      Viu nos agradecimentos ela dizendo que ainda tirou 40mil palavras a mais? HAHHAHA
      Eu amei a política desse livro, vi muitos reclamando, mas acho que deu um ar tão original ao clichê?!
      E O ROMANCE? MINHA FILHAAAAA EU SOFRI, GRITEI, AMEI!!!!
      E as cenas "calientes"? Eu fiquei até surpresa? :O
      MAS EU AMEI TUDO E EU LERIAM MAIS E MAIS DESSA HISTÓRIA JHABSBHABHJSA

      Ótima resenha!!! ♥

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Gi!
        Eu ando uma leitora muito preguiçosa, não vou mentir UHASUHASUHASUHASUH me acostumei com uns livros que tem caps de 3, 4 páginas ai peguei esse e fiquei IRMÃ TUDO BOM??????????????
        SIM AS 40 MIL TÔ ATÉ VENDO EDIÇÃO ESPECIAL COM ELAS EM BREVE!
        A parte política foge do romance e por isso é tão legal, bem na vibe daquelas romcom que envolvem jornalismo ou investigativo porque te enfia mais no universo.
        AS CENAS EU FIQUEI CHO-CA-DA porque peguei achando que ia ser YA mas ai OPS NÃO BEM NA MESMO MENINA AHASUHASUHASUHASUHSUH amo
        EU TÔ MORRENDO PELO PRÓXIMO DELA PORQUE VAI SER ROMANCE LÉSBICO COM TIME TRAVEL!!!!!!!!

        Beijos!

        Excluir
    3. Oi Denise, achei a trama ótima, amo um romance com realeza e neste caso ainda tem o filho da presidente, já estou shippando loucamente! E ainda nada forçado, natural, já quero, realmente acho que vou gostar!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Mi!
        Esse livro é TUDO DE BOM pra quem gosta de romcom, todos os clichês tão ali maravilhosamente bem usados ASFBASOLGASBOASGBOASG preciso reler!

        Beijos.

        Excluir
    4. Oi Denise,
      Acho que vou me encantar pela história, pois ADORO/AMO esse clichêzão gostosto.
      E saber que a autora inovou ao colocar um casal LGBT, dá aquela renovada que precisávamos. Esse livro está na minha lista!
      Beijos
      http://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Alê!
        SIM, a delícia desse livro é que tem tudo que a gente ama e o bônus de fugir da heteronormatividade JKASFJASBUOSGBOASGBOUA PODE ENTRAR ROMCOMS REPRESENTANDO TODA A SIGLA LGBTQ+

        Beijos!

        Excluir
    5. MEUS FILHOS APENAS!!
      Realmente o tamanho dos caps é um ponto a se reclamar. Outra ressalva que faço é que queria uns POVs do Henry, visto que ele sofre bastante por conta da pressão de ser gay na realeza
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Lu!
        SIM PROTECT THEM AT ALL COSTS!!!!!!!!
        Seria legal realmente ter um pouco da visão do Henry, mas é aquela coisa de ela segurou pra dar mistério pros sentimentos dele e ai pra trama também (a gente ganha mas perde ç_ç).

        Beijos!

        Excluir
    6. Hey Denise! Tudo bem?
      Só vejo elogios pra esse livro, mas não conhecia sua história.
      Adorei a resenha!

      | Blog Misto Quente |

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.