YA's para quem não gosta de YA's

YA's para quem não gosta de YA's

A postagem de hoje é dedicada àqueles YA's para quem não gosta de YA's. No meu ritmo atual, estou lendo romance young adult, uma trás do outro. Não sei ao certo por que, só sei que são aqueles que estou devorando em velocidades incríveis. Mas eu também sei que muita gente não gosta deles ou nunca tentou ler porque fica com aquela ideia batida de que é tudo clichê e que você não vai encontrar nada de bom ou encantador por lá. Ou, ainda, que um YA não tem nada para acrescentar a sua vida.

Para provar o contrário, separei alguns YA's que fogem do ponto comum e trazem histórias divertidas, emotivas e tabus, que totalmente valem a pena serem lidos. Quem sabe consigo despertar a curiosidade e você acabe descobrindo que, como qualquer outro subgênero, há realmente títulos que valem a pena nos YA's!

YA's para quem não gosta de YA's

Lançado no ano passado pela editora Agir (agora Harper Collins), Vivian Contra o Apocalipse é o primeiro volume da duologia Vivian Apple e conta a história de uma garota e sua busca pelos pais. Em um EUA dominado pelo medo e as mudanças climáticas drásticas, que acabou rendendo-se a uma nova religião que rapidamente toma conta de tudo, Vivian é uma descrente. Ela não acredita no Arrebatamento e muito menos no fim do mundo. Mas depois que seus pais e várias outras pessoas desaparecem na noite em que foi previsto o Arrebatamento (uma espécie de fim do mundo), ela precisa se juntar a Harp, sua melhor amiga, e um garoto que parece conhecer a Igreja Americana mais do que deveria, para descobrir onde estão seus pais. 
Esqueça qualquer romance adolescente florescendo em meio a uma espécie de apocalipse. O foco de Katie é na amizade de Harp e Vivian e em todas as situações e provações pelas quais elas precisam passar para descobrir a verdade. Ela também foca muito no sentimento e na definição do que é coragem e explora o ímpeto adolescente por mudança. Aqui a autora, de fato, coloca os adolescente para agirem a respeito do que acreditam e encontrarem forças para mudar o mundo a sua volta -- e de quebra salvar as pessoas que amam.

Infelizmente ainda não foi publicado aqui no Brasil, mas para quem lê em inglês é uma ótima pedida. Depois de perder o pai, Amy precisa se mudar para o outro lado do país com a mãe. O problema é que a mãe precisa que ela vá dirigindo o carro e Amy não está mais dirigindo. É ai que entra Roger, um amigo da família, que vai servir como o motorista. Ignorando o itinerário preparado pela mãe, Amy e Roger embarcam em uma viagem de carro pelos Estados Unidos enquanto tentam resolver seus próprios problemas, sejam eles o rompimento repentino com a namorada ou a bagunça deixada pela pai depois de morrer.
Morgan trata a história com humor e sensibilidade, transformando as longas horas dentro do carro em uma terapia para Amy, que precisa lidar com a culpa, a saudade que sente do irmão e a raiva que guarda pela mãe. É uma história sutil e emotiva, que coloca o romance em terceiro plano e faz com que você queira entrar no carro o mais rápido possível, para sair dirigindo por ai e descobrindo a si mesmo nas estradas do país.

YA's para quem não gosta de YA's

Publicado por aqui há dois anos pela editora Valentina, a história traz os irmãos Lochan e Maia. Eles são os mais velhos de uma família de cinco que está destruída desde que o pai se foi. Com uma mãe alcoolotra e uma pai ausente, Maia e Lochan tomam as rédeas da família, escondendo os problemas para criar os irmãos dando-lhes estabilidade e amor, da melhor forma que podem. O problema é que eles só podem contar um com o outro e, quando veem, estão se apaixonando. Eles sabem que não é socialmente aceitável, sabem que serão julgados e também sabem que podem perder as crianças se levarem aquilo adiante. Mas quem é o resto do mundo para ditar como eles deveriam se sentir?
Com delicadeza e clareza, Tabitha traz a tona um assunto tabu: o incesto. Ela nos força a questionar as regras sociais que transformam o assunto em tabu e nos faz encarar questões que vão muito além do "eu jamais faria isso". Ela nos empurra para nos colocarmos sob a pele de outra pessoa e discutir sobre até onde opiniões pessoais deveriam interferir na vida de outras pessoas. Definitivamente, uma história que vale a pena ser lida e debatida.

Publicado há alguns anos pela editora Novo Conceito, Garotas de Vidro conta a história de Lia, uma adolescente que luta contra a anorexia há anos. Quando o livro começa, Lia acabou de descobrir que sua melhor amiga, Cassie, morreu. Cassie também lutava contra um disturbio alimentar e ligou 33 vezes para Lia na noite que morreu. Embora as duas não se falassem desde que Lia foi para uma clínica de reabilitação, as ligações perdidas a incomodam e ela entra uma longa jornada para descobrir o que aconteceu com a melhor amiga. Um jornada que pode levá-la a recuperação ou a dividir o mesmo destino de Cassie.
Laurie tem um tato incrível para tratar de assunto delicados. Assim como em Fale!, publicação da editora Valentina que trata da longa jornada de superação de uma vítima depressiva de abuso sexual e bullying, aqui a autora tira o romance adolescente do caminho e pavimenta a história com uma trilha de autodescobrimento. Tanto Lia quanto Melinda (protagonista de Fale!) caminham por uma estrada que as leva ao fundo do poço e então ao triunfo da sobrevivência, fazendo com que elas se encontrem no meio do caminho e mostrando as pessoas com transtornos e doenças mentais que elas não estão sozinhas e que sua história não é menos poderosa ou transformadora do que uma alta fantasia.

YA's para quem não gosta de YA's


Publicado por aqui pela Globo Alt, A Playlist da Minha Vida podia ser só mais um livro onde a protagonista supera a depressão ao encontrar um amor. E de certa forma é. A diferença é que Elise supera sua depressão e as tendências suicidas ao encontrar-se na música. Um livro que retrata não só a jornada da protagonista, mas também das personagens a sua volta.
A Leila traz assuntos como saúde mental e relacionamentos emocionais sob uma luz bastante identificável, seja você adolescente ou não. Ela foca nos relacionamentos familiares e no sentimento universal que as pessoas com transtornos mentais compartilham: aquele em que não podem contar ou confiar em ninguém. Ela também foge de alguns dramas adolescente, retratando a vida de forma mais realista e menos idealizada, mesmo que isso não seja bonito ou necessariamente feliz.

6. Por Lugares Incríveis - Jennifer Niven
Publicado há dois anos pela Editora Seguinte, Por Lugares Incríveis é um livro premiado que pode ser considerado uma jornada de cura para a autora. Finch e Violet se conhecem no parapeito da torre do relógio da escola. Finch vive se colocando em situações de "quase suicidio", mas nunca vai em frente. Mas aquela é a primeira vez que Violet faz qualquer coisa do tipo. Assustada, ela acaba sendo salva por Finch e dali adiante, uma amizade incomum surge entre eles.
Assim como a Morgan, em Amy and Roger's Epic Detour, a Jennifer usa a amizade de Finch e Violet para ajudá-la a superar uma fase difícil e a se conectar com seus sentimentos. A principio parece ser apenas mais um romance adolescente com um twist comum, mas a medida em que avançamos pela leitura, desenrolamos uma trama de transtornos e dificuldades vivenciadas por adolescente de toda a parte, mas que raramente são tratadas. O livro segue a mesma linha daqueles da Laurie Halse Anderson e força os leitores e os protagonistas em um jornada de dúvidas, questionamentos e busca pela verdade -- embora ela nunca venha a ser absoluta ou completa.

YA's para quem não gosta de YA's

E você, se tivesse que listar alguns YA's para quem não curte muito ~subgênero, quais seriam as suas dicas? Conta que queremos aumentar nossa listinha de desejados!

Share this:

, , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Oiii Bibs

    Quero muito conferir essa dualogia da Vivian contra o Apocalipse, já ouvi ótimas criticas sobre a história e acho a premissa bem original.
    Garotas de Vidro é um livro que sempre tive curiosidade de conferir, mas sempre acabo esquecendo em meio à tantas novidades todo o mês... Quem sabe um dia chegue o momento de ler essa história..

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Oi!!
    Gostei muito da indicação dos livros quero ler Vivian contra o Apocalipse e sua continuação. Já li o livro Proibido é uma estória que mexe muito com quem está lendo!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!