Resenha: O Feitiço dos Espinhos

  • 09:00
  • 15 de out. de 2020
  • Resenha: O Feitiço dos Espinhos

    Da mesma autora de An Enchantment of Ravens, Margaret Rogerson, O Feitiço dos Espinhos mistura romance e fantasia em uma narrativa carismática e encantadora. A Editora Literalize estreou no mercado com a publicação dessa história - e cedeu este exemplar em cortesia pro blog - e não poderia ter sido uma escolha melhor!

    Sinopse: Elisabeth sempre aprendeu que feiticeiros são maus por natureza, corrompidos pela magia demoníaca que dominam. Uma órfã criada em uma das Grandes Bibliotecas de Austermeer, ela cresceu rodeada pelos grimórios—livros mágicos que sussurram nas prateleiras, estremecem sob correntes de ferro e se transformam em monstros assustadores quando são provocados. Seu maior sonho é se tornar uma Guardiã da Biblioteca e proteger o reino contra a feitiçaria, mas uma sabotagem faz com que Elisabeth se torne a principal suspeita de um crime que não cometeu. Agora, forçada a ir para a capital enfrentar a justiça, ela só tem dois aliados: o feiticeiro Nathaniel Thorn e o misterioso criado dele, Silas. Não demora muito até que a garota perceba que está envolvida em uma conspiração muito maior do que esperava… E incrivelmente mais perigosa. À medida que sua aliança com Nathaniel se torna cada vez mais forte, Elisabeth é obrigada a questionar tudo o que sabe sobre a feitiçaria, sobre as bibliotecas e, acima de tudo, sobre si mesma.

    Na história, Elisabeth é uma aprendiz sonhando em se tornar guardiã da biblioteca onde vive. Abandonada quando bebê e criada entre as prateleiras de livros vivos - grimórios, como são chamados, que guardam todo o conhecimento mágico do mundo e são muito perigosos por isso - Elisabeth se tornou parte da biblioteca.

    Quando um ataque misterioso liberta um grimório de alto nível - e, portanto, muito mortífero - é Elisabeth quem salva o dia, mas não sem sofrer as consequências. E, por consequências, eu digo se infiltrar em uma situação que envolvem tramoias políticas, traições e um poder imensurável tentando ser alcançado.

    Resenha: O Feitiço dos Espinhos

    Esse livro tem absolutamente tudo que eu mais amo, e desenvolve todos os detalhes da melhor maneira possível. Se teve algum probleminha foi o começo que soou um pouquinho arrastado demais, mas como é fantasia eu dou o benefício da dúvida, sempre, justamente por ser um artifício comum no gênero. Aqui ficou interessante porque não era a personagem descobrindo o mundo e seus segredos, mas entendendo traições e personagens traiçoeiros - o que ajudou a aumentar a tensão e os riscos para o plot principal.

    Elisabeth é uma protagonista incrível. Eu me apaixonei por ela no instante em que apareceu, toda curiosa e determinada e teimosa entre as estantes da biblioteca. Ela é aquele tipo de personagem que bate de frente com tudo, inclusive as escolhas erradas e de inteligência duvidosa, tudo porque quer ajudar.

    Grandes Bibliotecas nunca dormem. 

    Ela é honrada e corajosa, mas também muito medrosa por causa da criação na biblioteca e seus receios em relação à magia - no mundo em que vive, feiticeiros são seres medonhos, aliados de demônios, e tudo que Elisabeth conhecia dentro das paredes de seu lar era isso.

    Uma vez lá fora, confrontando o mundo em seus tons de cinza, ela passa a entender que nem tudo é como imaginava. A jornada de descobertas e compreensão da Elisabeth vem muito com as reviravoltas que a trama dá; o começo já te entrega quem é o vilão e, por ter entregado isso apenas a alguns personagens, fica aquela tensão sobre quando a verdade vai vir à tona - se é que vai vir. E como Elisabeth e seus aliados podem impedir que o caos tome conta de tudo.

    Resenha: O Feitiço dos Espinhos

    Eu gostei muito de tudo que concerne o desenvolvimento da protagonista. Da garota apaixonada por livros a uma garota apaixonada por livros ciente de que, neles, ela encontra mais do que histórias, mas aliados.

    - Conhecimento sempre tem potencial para ser perigoso. É uma arma mais poderosa do que qualquer espada ou feitiço.

    Outros dois personagens que se destacam e completam o trio protagonista são Nathaniel - o feiticeiro - e Silas - o demônio. Eles entram no caminho da Elisabeth acidentalmente, e então se tornam parte essencial do desenrolar da história.

    Eu não consigo explicar o quanto amei esses dois!


    Nathaniel é o típico paspalho que usa humor para esconder seus verdadeiros sentimentos e vocês estão carecas de saber que eu tenho um fraco por personagem assim. Ele é todo sorrisinhos e sarcasmo, mas disposto a tudo para ajudar e proteger quando precisa. A relação dele com a Elisabeth nasce de desconfiança e olhares estreitos até evoluir para uma amizade poderosa e, sim, graças aos céus, um romance maravilhoso.

    Do outro lado da moeda, temos Silas. Eu não vou falar muito sobre ele porque a graça do personagem está justamente em todo o mistério que o envolve, mas esse livro não teria todo esse carisma sem o Silas. Justamente por todo o enigma e pelo perigo e pelos olhares frios, ele é maravilhoso - quanto mais você descobre sobre o demônio, junto com a Elisabeth, mais você o ama.

    Eles são perfeitos juntos. Todo o humor e a construção de confiança e aaaa eu queria guardar os três em potinhos!

    Ele a olhou como se estivesse se afogando, como se ela o tivesse afundado, como se não soubesse o que fazer.

    O mundo mágico criado pela autora é outro espetáculo à parte. A ideia de bibliotecas que guardam livros vivos, grimórios cujas páginas falam sobre poderes imensuráveis e cujos graus aumentam de acordo com o perigo que apresentam, eu fiquei babando por essa construção de universo. Não só as bibliotecas, mas a sociedade - que teme a magia, mas depende dela, no fim das contas - e o Outromundo, com os demônios e seres menores ameaçando a ordem que rege o universo.

    Tudo te enche de curiosidade e faz com que você queira continuar avançando e avançando, acompanhando as investigações da Elisabeth e do Nathaniel, tentando decifrar um pouco mais do Silas, ansiando por respostas e por um final onde tudo fique bem.

    Resenha: O Feitiço dos Espinhos

    Aliás, que final! Eu já comentei o quanto amo últimas páginas que deixam alguma coisa em aberto, aquele tipo de final que, num filme, seria o personagem olhando na direção de alguma coisa, mas a câmera nunca mostrando o que era essa coisa. Eu acho isso MARAVILHOSO e nunca vou exaltar o suficiente quando é bem executado.

    Aqui foi. Foi e foi muito. A autora fecha todos os arcos, mas deixa um detalhezinho para explorar na última página que, quando chega, UAU. Eu fiquei sem fôlego lendo aquelas linhas de tanta emoção, e quando fechei o livro só sabia correr e gritar de tanto amor.

    - Sem acreditar em nada, se tem muito menos a perder.

    A edição da Literalize é uma coisa à parte; um luxo, definitivamente. Acabamento impecável, diagramação muito boa (um pouco espaçada demais para o meu gosto, mas deixa confortável pra ler porque não tem palavras apertadas e nem um espaçamento minúsculo), toda a tradução da Sofia Soter e a preparação da equipe responsável também ficaram ótimas. É um livro que vale a pena demais ter na sua estante.

    O Feitiço dos Espinhos funciona muito bem para quem, assim como eu, ama ação e aventura e investigações fantásticas - e ainda é livro único! Tem um dos universos mágicos mais fascinantes que já li - especialmente para leitores, que vão se sentir em casa entre os corredores das bibliotecas - e um final arrebatador. Vocês vão me ouvir falando sobre esse livro por muito tempo.

    Título original: Sorcery of Thorns
    Autora: Margaret Rogerson
    Editora: Literalize
    Tradução: Sofia Soter
    Gênero: Fantasia | YA
    Nota: 5+

    1. Olá, Denise.
      Eu comprei esse livro no impulso e confesso que me arrependi por causa do valor. Agora é ficar na torcida para não venderem pela metade do preço futuramente hehe. E espero gostar muito da história para fazer o valor valer a pena. Não achei tudo isso do acabamento não, mas se for ver pelo lado deles estarem começando, se equipara aos primeiros livros da DarkSide.

      Prefácio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Sil!
        Eu teria comprado não fosse a cortesia porque a autora é ótima, e pela minha experiência de leitura valeu demais. É um preço salgado, mas não difere muito de edições de luxo que são lançadas por outras editoras (tipo Antofárgica e Darkside), o problema foi que bateu de frente com o período complicado da quarentena :/
        Pra ser bem sincera eu gostei mais do acabamento (folhas e edição) do que várias outras edições mais trabalhadas que tenho por aqui HUASHUSAUHSAUHSAUHUSHA

        Beijos!

        Excluir
    2. Oi, Denise!
      Eu conheci esse livro pelo Twitter, na época que todo mundo estava criticando o valor da edição.. Mas que ela é linda, isso é!
      Realmente todos os livros de fantasia são arrastados no início. Tenho até evitado o gênero porque parecem que todos usam a mesma fórmula.
      Mas achei bem original a premissa, e só de saber que os personagens são cativantes fiquei curiosa haha :D

      Estante Bibliográfica

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Laura!
        Deu um bafafá mesmo, mas né, pela promessa de edição de luxo o preço tá na faixa do que a gente vê em outros lançamentos do tipo. Dói no bolso, mas do tanto que eu surtei valeu a pena HUHUASUHSAUHSAUH
        Apesar dos clichês de fantasia, achei que a autora fugiu bastante do que se espera em livros do tipo, então pode ser uma boa surpresa pra ti!

        Beijos!

        Excluir
    3. Oi Denise, tudo bem?

      A capa desse livro é linda! Nunca li nada da autora, mas a sua resenha me deixou bem curiosa. Faz tempo que não leio uma boa fantasia e confesso que os últimos livros que li do gênero me deixaram um tanto decepcionada.

      A minha única dúvida é se esse é um livro único ou o primeiro de uma série.

      Beijos;*
      Ariane Reis | Blog My Dear Library.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Ariane! Tudo bom econtigo?
        É divina né? Eu babo nas ilustrações da Charlie Bowater, ela arrasa demaaaais.
        Esse livro é volume único, eu esqueci de comentar na resenha e já arrumei isso. É perfeito pra matar a saudade do gênero <3

        Beijos!

        Excluir
    4. Olá!
      Eu amei demais em saber e ver esse livro. Conheci o livro aqui e pela capa eu imaginei uma história completamente diferente.
      Fiquei encantada com a resenha e só de saber que ela tenta proteger a biblioteca onde viveu e com isso virão novas aventuras fiquei com vontade de ler.Dica mais que anotada com certeza.
      Beijos.



      https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

      ResponderExcluir
    5. Só preciso dizer que essas fotos ficaram PERFEITAS!!! Amei demais <3
      Eu tenho a versão em inglês mas queria ler em português, só não sei quando vou comprar por causa do precinho, mas tô na fé. Gosto porque a obra é volume único então a gente não precisa ficar desesperado esperando o próximo livro.
      Começando a ficar ansiosa para ler!
      Beijo
      http://www.capitulotreze.com.br/?m=1

      ResponderExcluir
    6. Nossa, essa fantasia parece realmente empolgante. Achei a capa linda de mais. E amo livros que tem mapas, dá ainda mais empolgação para ler e explorar a história.

      www.vivendosentimentos.com.br

      ResponderExcluir
    7. Vindo direto do Skoob para ler essa resenha depois daquele pequeno surto seu com esse final ahaha Adorei conferir suas impressões da obra, o livro parece ser maravilho, ainda mais por se passar em uma biblioteca, eu, como leitora, não tenho como não me interessar por um livro que tenha uma como cenário. O que mais achei interessante é por ser livros únicos, como uma amante de fantasia, sei que nem sempre é fácil achar livros únicos do gênero. Já vou adicionar na minha lista de desejados da amazon

      ResponderExcluir
    8. Wow, que livros bonitão! E todo livro que tem mapas já me interessa. Adicionando na lista.

      Abracinhos :)
      https://nsmoraes.com.br/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.